Lafayette de Andrada: Assembleia encerra trabalhos com balanço positivo

Deputado Lafayette de Andrad participou de todas as votações e foi o relator de vários projetos que se tornaram lei este semestre
Deputado Lafayette de Andrad participou de todas as votações e foi o relator de vários projetos que se tornaram lei este semestre

A última semana de atividades na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, antes do recesso parlamentar de julho, teve esforço concentrado de votações nas sessões plenárias. Entre as principais matérias apreciadas está a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 3/2011, que extinguiu o voto secreto nas deliberações da Casa, além das proposições que trazem uma série de modificações referentes ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e o Projeto de Lei (PL) 4041/13, que autoriza o Governo de Minas a contratar operação de crédito em moeda estrangeira, até o limite de R$ 1,15 bilhão. Os recursos irão financiar as seguintes ações: construção de trechos rodoviários e recuperação da malha rodoviária de responsabilidade do Estado, construção e modernização de unidades prisionais, investimentos no circuito cultural da Praça da Liberdade e na Escola de Design da Universidade do Estado de Minas Gerais – Uemg.

O balanço do 1° semestre de 2013 da Assembleia revela um trabalho intenso, com elevada participação popular e a busca constante por resultados concretos: foram 21 proposições que já transformadas em normas, que direta ou indiretamente terão impacto na vida dos mineiros. Para o deputado Lafayette de Andrada (PSDB), Líder do Bloco Transparência e Resultado na ALMG, o sucesso dos trabalhos é fruto de um consistente planejamento construído pelo Governo do Estado, juntamente com os parlamentares, autoridades, especialistas, servidores e cidadãos mineiros. Lafayette participou de todas as votações e foi o relator de vários projetos que se tornaram Lei este semestre, como o projeto 4041/13 citado acima e projetos que reajustaram o salário dos funcionários do executivo e judiciário do Estado.

Além da participação ativa no plenário, o parlamentar sempre está presente nas comissões da casa, o deputado participa das principais comissões da ALMG, Comissão de Segurança Pública, Fiscalização Financeira e Orçamentária, Meio Ambiente e Minas Energia. Neste semestre foram mais de 50 reuniões ordinárias no plenário e 121 reuniões nas comissões que o deputado participa. Lafayette participa de 99% das reuniões, faltando somente quando está cumprindo agenda no interior atendendo interesses da população. Continuar lendo

Anúncios

Congresso homenageia José Bonifácio de Andrada e Silva, Patriarca da Independência

O Senado Federal comemorou nesta quinta-feira (13), em sessão especial, os 250 anos de nascimento de José Bonifácio de Andrada e Silva, o Patriarca da Independência do Brasil. Ele é trisavô do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), que foi representado pelo filho José Bonifácio Borges de Andrada, Subprocurador-Geral da República, na solenidade. Também são filhos de Bonifácio de Andrada o deputado estadual e líder do Bloco Transparência e Resultado da Assembleia Legislativa, Lafayette de Andrada, e o prefeito de Barbacena, Toninho de Andrada, ambos do PSDB.

Na solenidade, José Bonifácio destacou a importância do seu ancestral de tornar o Brasil independente de Portugal e na preservação da unidade nacional, evitando o movimento separatista no país como ocorreu na América do Sul. Continuar lendo

Governo do PT atrasa repasses e mostra descaso com patrimônio histórico

O governo federal do PT não parece estar preocupado com a preservação do nosso patrimônio. Desde que foi criado o programa PAC das Cidades Históricas em 2009, com tanta pompa pelo governo Lula, pouco ou quase nada foi investido para preservar monumentos, igrejas e casarões, sob responsabilidade do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), e que estão condenados pela ação do tempo ou pela falta de manutenção ou segurança adequada.

Na semana passada, o Ministério da Cultura do governo Dilma, anunciou tardiamente investimentos para algumas cidades históricas brasileiras. Apenas oito cidades mineiras foram contempladas entre os 44 municípios beneficiados. O governo do PT nada mais fez que anunciar, agora, uma promessa que havia sido feita há mais de quatro anos.

Acontece que a espera pelos recursos é longa e tem colocado em risco de muitas edificações centenárias de Minas e de outros estados. Fora que a falta de investimento na manutenção do patrimônio histórico e na revitalização das cidades históricas deixa cada vez mais insegura a população e não permite agregar valor ao turismo que depende de sua história para sobreviver.

Esta é a cara do governo do PT que faz promessas e mais promessas e nada sai do papel.

O Bloco Transparência e Resultado da Assembleia Legislativa de Minas Gerais  cobrou mais sensibilidade e agilidade do governo federal para liberação desses recursos. Leia mais aqui

Sem intervenções do Governo Federal do PT, Anel Rodoviário será ainda palco de milhares de acidentes

Deputado Lafayette Andrada (PSDB), líder do Bloco Transparência e Resultado

Novos acidentes, mais morte. Se o Anel Rodoviário de Belo Horizonte permanecer abandonado como está, sem sofrer qualquer intervenção das autoridades do Governo Federal do PT, as tragédias no local só tendem a aumentar. Até 2016, se nada for feito, serão mais de 13 mil acidentes e 120 mortes. O cenário é desolador, mas, infelizmente, reflete o descaso do PT com as estradas de Minas Gerais.

Na avaliação do líder do Bloco Transparência e Resultado da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado Lafayette Andrada (PSDB), “o Anel Rodoviário é a maior prova da falta de compromisso do Governo Federal com Minas Gerais”. O trecho segue há anos sem obras de melhorias e revitalização e, pior, se transformou em alvo de promessas constantes de líderes petistas, inclusive da presidente Dilma Rousseff.

Levantamento

A projeção dos acidentes nos próximos quatros anos foi feita pelo jornal O Tempo com base nos números já registrados. De janeiro a junho deste ano foram 1597 ocorrências com 15 mortes. Isso representa uma média diária de 8,8 batidas e de 2,5 vítimas fatais por mês. Para os especialistas ouvidos pelo jornal, os problemas ocorridos no Anel Rodoviário só serão resolvidos após o trecho passar por uma grande reforma estrutural.

O grande problema é que as obras previstas para o trecho ficam só promessas e promessas. Até agora, nada de concreto foi efeito para evitar as tragédias recorrentes no local. No mês de junho, a presidente Dilma Roussef esteve em Belo Horizonte anunciado a liberação de recursos para estas obras. Mas, as mesmas obras já tinham sido prometidas pelo ex-presidente Lula no início do seu mandato e, quase dez anos depois, nunca saiu do papel. Ou seja, é a velha máxima de requentar anúncios e não liberar recursos.

Leia também

Dilma vem a BH e anuncia investimentos para projeto do Anel Rodoviário, obras mesmo só devem sair em 2015

Governo Federal do PT não libera recursos previstos no orçamento para obras do Anel Rodoviário

Fonte: Minas Transparente

Deputados de Minas vão discutir segurança pública com outros Estados

A Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) aprovou requerimento solicitando a realização de debate público para discutir segurança pública e a cooperação dos Estados da Federação no combate à criminalidade, na manhã desta terça-feira (08/05). Entre os autores do requerimento estão os deputados João Leite (PSDB) e Duarte Bechir (PMN), integrantes da base do governo.

A meta da Comissão de Segurança Pública da ALMG é debater, juntamente com outros Estados, o tráfico de drogas e o contrabando de armas, bem como seus desdobramentos e consequências para a sociedade. Será criado um fórum permanente com parlamentares integrantes das comissões de Segurança Pública dos Estados do Espírito Santo, do Rio de Janeiro, do Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná, entre outros.

“Nós queremos discutir a segurança pública com os Estados que fazem divisa com Minas Gerais e também com os Estados que fazem fronteira com outros países em função do diagnóstico que a Comissão de Segurança Pública fez no Estado, identificando a rota do tráfico de drogas que inicia na Bolívia, no Paraguai, atravessa o Mato Grosso do Sul, entra em São Paulo e alcança o Sul de Minas”, afirmou o deputado João Leite, presidente da Comissão de Segurança Pública da ALMG e integrante do Bloco Transparência e Resultado.

Continuar lendo

Sem investimentos do Governo do PT, unidade oncológica de atendimento pediátrico fica inativa

A notícia que poderia dar esperança a inúmeras crianças e adolescentes vítimas do câncer, infelizmente, ainda não surtiu o efeito esperado. Isso porque, devido à ausência de investimentos do Governo Federal do PT, a Unidade Onco-Hematológica Pediátrica Professor Marcos Borrato Viana, construída em maio do ano passado, ainda não está em funcionamento por falta de funcionários.

A unidade, que é ligada ao Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), recebeu R$ 1,37 milhão da iniciativa privada para a construção e montagem da estrutura que dará atendimento às crianças e adolescentes com câncer. Mas, quase um ano depois, exatamente na Semana Mundial de Combate ao Câncer, vemos que o descaso do PT com a liberação de recursos para a contratação de médicos, enfermeiros e terapeutas tem deixado inativo um serviço tão essencial à população.

Indignado com a situação, o deputado Dalmo Ribeiro (PSDB), do Bloco Transparência e Resultado da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), solicitou uma audiência pública com a presença de representantes do Hospital das Clínicas, da Unidade Professor Marcos Borrato Viana e da fundação parceira para tentar encontrar soluções para o problema. A audiência aconteceu nesta quarta-feira 11/04, durante reunião da Comissão de Saúde da ALMG.

De acordo com a diretora de Recursos Humanos da UFMG, Marília Alves, presente na reunião, a falta de funcionários é um problema não só da Unidade, mas do Hospital das Clínicas como um todo. “São oito anos sem a realização de concursos, a situação é dramática”.

O deputado Dalmo lamenta o abandono do Governo Federal do PT. A Unidade de atendimento já está inteiramente construída com 22 leitos equipados, brinquedoteca, área de lazer e solário, aguardando somente a autorização do Governo Federal para entrar em funcionamento. “Temos que sensibilizar o Governo Federal, este caso é um caso exclusivamente de contratação de funcionários especializados, porque o resto já foi feito pela iniciativa privada”.

Para tentar resolver a grave situação da Unidade Onco-hematológica, o presidente da Comissão e também membro do Bloco Transparência e Resultado da ALMG, deputado Carlos Mosconi (PSDB), quer unir forças para encaminhar aos ministérios da Saúde, Planejamento e Educação, bem como, para as secretarias estadual e municipal de Saúde, requerimento solicitando a imediata contratação de funcionários especializados para a unidade.

No entanto, Mosconi acredita que “isto ainda não será suficiente porque é um problema de uma burocracia quase invencível. Como um lugar destes não funciona por falta de pessoal?”, questionou o deputado. “Nós não podemos nos conformar com esta situação”, completou.

Fonte: Minas Transparente