É estarrecedor conteúdo de depoimentos de ex-diretor da Petrobras, afirma Aécio

Aecio_Coletiva_MarcosFrenandes_3

O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, lamentou nesta sexta-feira (10/10) a reação da presidente Dilma Rousseff (PT), que disputa a reeleição, sobre os depoimentos relativos ao escândalo da Petrobras. A petista se indignou com o vazamento do áudio, não com o conteúdo criminoso das confissões do ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa.

Para Aécio, Dilma deveria considerar assustador o conteúdo das declarações que vieram a público. “A presidente deu uma declaração que considera estarrecedor o vazamento desses depoimentos. Eu considero estarrecedor esses depoimentos, essa confissão de crime cometido sucessivamente e de forma contínua ao longo dos últimos 12 anos”, afirmou Aécio em entrevista à imprensa.

Para o candidato, o escândalo demonstra a inserção de um esquema de corrupção próximo ao poder central. “Assaltaram a maior empresa brasileira nas barbas desse governo e não há sequer uma reação de indignação da presidente. Ela está indignada com o vazamento, não está indignada com os depoimentos. Eu quero dizer a ela que nós, brasileiros, estamos indignados com o que aconteceu na Petrobras, e sabe-se lá onde mais, ao longo desses últimos 12 anos de governo”, acrescentou ele. Continuar lendo

Aécio reafirma compromisso em garantir dignidade aos idosos do país

aecio-mogi3

O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, homenageou o Dia do Idoso, comemorado nesta quarta-feira (1/10), reafirmando seu compromisso de criar políticas públicas que permitam à população brasileira envelhecer com dignidade.

“O Brasil é um país que vem envelhecendo e ainda não tem políticas públicas que permitam ao idoso envelhecer com dignidade. A nossa proposta de governo incorpora várias propostas que levam a essa dignidade”, afirmou Aécio durante vista a Mogi das Cruzes (SP).

O candidato reiterou sua decisão de buscar alternativas ao fator previdenciário, que hoje é aplicado no cálculo das aposentadorias e reduz o valor dos benefícios. Segundo ele, os aposentados, que já contribuíram tanto para o desenvolvimento do país, merecem ter uma vida com “maior dignidade, em melhores condições”.

Caminhada

O candidato a presidente visitou Mogi das Cruzes acompanhado do governador de São Paulo e candidato à reeleição, Geraldo Alckmin (PSDB), e lideranças políticas. Aécio e Alckmin foram recebidos por uma multidão que tomou a Praça da Matriz, no centro da cidade. Durante a caminhada, apoiadores empunharam bandeiras, entoaram palavras de ordem e cantaram os jingles da campanha. Durante o trajeto, Aécio conversou com simpatizantes, distribuiu abraços e posou para fotos.

O candidato destacou a importância de Alckmin na campanha e se comprometeu a ser o presidente da parceria com Estados e municípios. “Serei o presidente da República da refundação da Federação. Nós vamos permitir que os municípios readquiram condições de eles próprios enfrentarem as suas dificuldades”, destacou.

Aécio afirmou que impedirá que as desonerações que o governo federal concede hoje a diversos setores atinjam os repasses que a União faz a Estados e municípios. “Nós vamos avançar na renegociação da dívida com os Estados, vamos avançar também no percentual maior do Fundo de Participação para os municípios brasileiros”, explicou.

aecio-mogi2

Confiança

Aécio demonstrou confiança nesta reta final da campanha com a vitória e afirmou que o crescimento de sua candidatura revela o sentimento de mudança da população.

“A minha palavra é de agradecimento à generosidade dos brasileiros pelo resultado que estamos tendo em todas as pesquisas. A nossa candidatura é a única que cresce em todas as regiões do país e tem crescido de forma muito sólida. Estamos prontos para, no dia 5, chegarmos ao segundo turno e vencermos o PT”, afirmou Aécio.

Segundo ele, a população está consciente de que a mudança exigida está representada na Coligação Muda Brasil. “As pessoas chegam à conclusão de que a mudança que todos nós queremos de valores, a mudança de eficiência na máquina pública e de visão de mundo, ela não se dá apenas com o gesto da eleição”, afirmou.

Aécio acrescentou que a mudança começa já a partir de1º de janeiro de 2015 – data da posse do presidente da República. “[Será uma mudança] com quadros, com coragem, com liderança política somos nós”, ressaltou ele. “Quero dizer aqui hoje, em Mogi das Cruzes, que nós estaremos no segundo turno e, a partir do dia 6 de manhã, prontos para iniciar a nossa caminhada rumo à democracia, à decência e à eficiência da máquina pública, que é a vitória do 45.”

Aécio vai acabar com o fator previdenciário

Após a reunião com os sindicalistas, Aécio participou como convidado do encerramento do encontro do Coletivo das Mulheres Metalúrgicas de São Paulo, Mogi das Cruzes e Região
Após a reunião com os sindicalistas, Aécio participou como convidado do encerramento do encontro do Coletivo das Mulheres Metalúrgicas de São Paulo, Mogi das Cruzes e Região

O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, assumiu, nesta sexta-feira (19/09), em São Paulo, o compromisso de buscar alternativas para acabar ao longo dos próximos anos com o fator previdenciário, que é aplicado no cálculo de aposentadorias. Em reunião com sindicalistas, ele se comprometeu a manter diálogo permanente com o movimento sindical durante o governo e garantiu a manutenção da política de valorização do salário mínimo.

“Vamos dialogar. É no diálogo que vamos encontrar caminhos, alternativas que garantam a capacidade de pagamento da Previdência, mas impedindo que o fator [previdenciário] continue a punir de forma tão violenta como vem punindo o salário dos aposentados brasileiros”, afirmou o candidato.

Segundo Aécio, a discussão com os trabalhadores sobre o assunto deverá encontrar uma forma responsável, levando em conta os dados que serão colocados à mesa. “O diálogo começa após a nossa eleição, para que possamos, por etapas, de forma verdadeira, clara, sem enrolação como fez o atual governo, encontrar uma política que substitua o fator previdenciário. Isso é um compromisso pessoal meu, a minha equipe econômica já está mergulhada nessas alternativas e vamos fazer isso com olho no olho do trabalhador”, garantiu o candidato. Continuar lendo

Aécio afirma que sentimento da mudança segura se consolidou entre brasileiros

Aecio Neves em _Todas com Aecio_ - Marcos Fernandes5

O candidato à Presidência da República, Aécio Neves, afirmou nesta quarta-feira (17/09), em São Paulo, que está consolidado na população brasileira o “sentimento de mudança segura representado por sua candidatura”. Para Aécio, que subiu quatro pontos percentuais, de 15% para 19%, em um intervalo de apenas quatro dias entre as pesquisas de intenções de voto, é chegada da “Onda da Razão”.

“É um sentimento de uma mudança que está aí presente na cabeça das pessoas. Eu percebo, e percebo de forma muito clara nas minhas viagens, nas minhas conversas, nos encontros que eu faço”, afirmou o candidato.
Continuar lendo

Aécio anuncia pacote de medidas para as mulheres

aecio-encontro-mulheres-sp

O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, anunciou nesta quarta-feira (17/09), em São Paulo, uma série de medidas que se destinam às mulheres, nas áreas de segurança pública, saúde, trabalho e política habitacional. Aécio detalhou seus compromissos durante encontro com mulheres de várias faixas etárias e diferentes experiências de vida.

Ao conversar com as mulheres, Aécio se comprometeu a ampliar o acesso a exames de detecção do câncer de mama, construir mais creches e adotar uma política habitacional específica para as faixas de até três salários mínimos, que representa 40% dos lares brasileiros. Continuar lendo

Aécio critica corrupção na Petrobras durante debate na CNBB

O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, enfatizou, nesta terá-feira (16/09), a necessidade de o governo combater a corrupção e lamentou as denúncias de desvios de recursos e pagamento de propinas envolvendo ex-dirigentes da Petrobras e aliados da gestão da presidente Dilma Rousseff (PT). Ao participar do debate entre presidenciáveis promovido à noite pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), ele lembrou que a Polícia Federal indica a atuação de uma organização criminosa na estatal.

Ao ser perguntado sobre os escândalos na empresa petrolífera, Aécio fez referência à compra superfaturada da refinaria de Pasadena, nos EUA, durante o governo Luiz Inácio Lula da Silva (2003 a 2010) – quando Dilma era presidente do Conselho de Administração da estatal e ministra de Minas e Energia e, posteriormente, da Casa Civil. Aécio também citou as denúncias recentes reveladas pelo ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa sobre o esquema de propinas. Costa está preso, acusado de participar de um esquema de lavagem de dinheiro comandado pelo doleiro Alberto Youssef. Continuar lendo