Marcus Pestana em O Tempo – “Itamar Franco: ética, espírito público e nacionalismo”

Artigo publicado no jornal O Tempo, em 11/07/11

Itamar Franco: ética, espírito público e nacionalismo

O conterrâneo mais ilustre da nossa Juiz de Fora

MARCUS PESTANA

Deputado federal (PSDB-MG)

Num tempo em que proliferam escândalos na vida pública e a ação política é ameaçada pela mediocrização e pelo fisiologismo, a morte de Itamar Franco provoca necessariamente uma reflexão.

Itamar Franco foi um daqueles políticos singulares na história do Brasil. Símbolo de ética, dignidade, firmeza, espírito público e nacionalismo. O conterrâneo mais ilustre da nossa Juiz de Fora.

Lembro bem dos meus 10 anos, em 1970, e dos comícios, “santinhos” e principalmente do jingle da campanha que elegeu meu pai na sucessão da Prefeitura de Juiz de Fora com o lema: “As obras não podem parar, Agostinho Pestana depois de Itamar”. Itamar tinha sido eleito aos 36 anos, em 1966, acompanhado de uma nova geração de políticos e técnicos, e promoveu uma administração histórica e modernizante.

Em 1974, após ser eleito para um segundo mandato frente à prefeitura, Itamar teve um gesto de coragem e ousadia – traço que sempre o acompanhou -, ao se desligar do cargo para, em pleno regime autoritário, se candidatar ao Senado Federal pelo MDB. Venceu e fez parte daquela que talvez tenha sido a melhor geração que já passou pelo Senado. A partir daí, participou de forma marcante das lutas pela redemocratização e pela defesa do interesse nacional.

Em 1982, acompanhei de perto sua reeleição ao Senado, já que, aos 22 anos, era candidato a vereador. Essas eleições foram decisivas. O voto era vinculado. Nossa chapa em Juiz de Fora: Tancredo, Itamar, Tarcísio Delgado, José Luis Guedes, Clodsmith Riani. Foi minha estreia eleitoral antes mesmo de me formar em economia. Fizemos barba, cabelo e bigode.

Em 1986, coordenei a dissidência do PMDB em Juiz de Fora a favor da candidatura de Itamar ao governo de Minas contra Newton Cardoso. Pimenta da Veiga liderava essa corrente no plano estadual. Essa foi a semente do PSDB.

Vieram o governo Collor e a crise do impeachment. Itamar assume a Presidência em condições extremamente graves e instáveis. O PSDB é o primeiro a se oferecer para colaborar. Itamar, com serenidade e firmeza, consolida um governo de união nacional. Só o PT, que pensa sempre no próprio PT, não quis participar. Itamar deixa uma herança definitiva: garante a liberdade e assegura a estabilidade econômica através do Plano Real. Gozando de enorme prestígio popular, escolhe e elege Fernando Henrique presidente da República.

De 1998 a 2002, realiza o sonho de governar sua Minas tão querida. E, em gesto generoso, abre mão da reeleição para apoiar Aécio Neves. Em 2010, tem papel decisivo na grande vitória de Anastasia, elegendo-se, pela terceira vez, senador. Nos quatro meses de exercício do novo mandato se destacou de forma absoluta pela exemplar e consistente ação oposicionista.

Itamar Franco deixará um enorme vazio. Mas servirá de firme exemplo para as novas gerações por sua vida dedicada à ética, à pátria e ao povo brasileiro.

Brasileiros prestam última homenagem a Itamar Franco no Palácio da Liberdade

Os mineiros se despediram, nesta segunda-feira (04), do senador e ex-presidente Itamar Franco, com emocionante homenagem no Palácio da Liberdade. O governador Antonio Anastasia acompanhou os familiares desde a chegada do corpo no Centro de Instrução da Aeronáutica, no Aeroporto da Pampulha, passando pelo velório no Palácio da Liberdade, até a cerimônia de cremação, no Cemitério Parque Renascer, em Contagem.

Leia matéria completa Brasileiros prestam última homenagem a Itamar Franco no Palácio da Liberdade

Leia também Tucanos lamentam falecimento e destacam trajetória política de Itamar Franco

 

Minas se despede com homenagens ao ex-presidente Itamar Franco

Senador Aécio Neves e o governador Anastasia junto à família de Itamar Franco na chegada do corpo em Juiz de Fora. Foto Omar Freire

Autoridades políticas e populares se uniram neste domingo (3/07), em Juiz de Fora, para prestar homenagens ao ex-presidente da República, Itamar Franco. O governador Antonio Anastasia e o senador Aécio Neves (PSDB/MG), receberam o corpo do ex-governador de Minas, ao lado dos familiares, no Aeroporto de Serrinha, pela manhã, em Juiz de Fora.

No percurso do aeroporto de Juiz de Fora até a Câmara Municipal, no centro da cidade, onde aconteceu o velório, várias pessoas aplaudiram a passagem do corpo do ex-presidente, que foi transportado em caminhão do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais. O cortejo foi recebido sob aplausos das centenas de pessoas que formaram fila para prestar uma última homenagem ao ex-presidente.

O velório reuniu, além do governador Antonio Anastasia e políticos de Minas Gerais, os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, José Sarney, Fernando Collor. O vice-presidente Michel Temer também foi prestar homenagem ao senador.

Em entrevista, Antonio Anastasia destacou o sentimento de pesar da população de Minas Gerais pelo falecimento de Itamar Franco.

“Eu acompanhava o cortejo entre o aeroporto e a Câmara Municipal e tive a oportunidade de testemunhar cenas de patriotismo. As pessoas com bandeiras, várias pessoas chorando, demonstrando o grande apreço e o sentimento carinhoso que especialmente o povo de Juiz de Fora tem por esse grande líder mineiro e brasileiro que nós perdemos, o nosso presidente Itamar Franco. É com grande tristeza que, como governador de Minas, aqui estou em Juiz de Fora, amanhã estaremos todo o dia em Belo Horizonte, para prestar essas homenagens a ele e à sua memória. Lembrando sempre que Itamar Franco foi um homem cuja autoridade moral, cuja respeitabilidade, estiveram ao longo desses anos todos a serviço de Minas e do Brasil”, declarou o Antonio Anastasia.

Velório em BH

O corpo do senador Itamar Franco deixará Juiz de Fora na manhã desta segunda-feira (4/07), com destino a Belo Horizonte, onde será recebido com honras fúnebres como ex-governador de Minas Gerais, no Palácio da Liberdade. Ao final da tarde o corpo de Itamar Franco será cremado em cerimônia reservada à família, em Contagem. A população de Belo Horizonte também terá acesso ao Palácio da Liberdade para prestar sua homenagem a Itamar Franco.

Fonte: Agência Minas

Aécio Neves afirma que morte de Itamar Franco deixará uma lacuna na política brasileira

O senador Aécio Neves (PSDB/MG) afirmou que a morte do ex-presidente e senador Itamar Franco representará uma grande lacuna para a política brasileira. Aécio Neves participou, na manhã deste domingo, ao lado do governador de Minas, Antonio Anastasia, das honras militares recebidas pelo corpo do senador Itamar Franco na chegada ao aeroporto Francisco Álvares de Assis, em Juiz de Fora. O senador apresentou seu pesar às filhas do ex-presidente, Georgiana e Fabiana, e a amigos e parceiros de trabalho que acompanharam de perto toda a vida pública de Itamar.

Aécio Neves destacou que a retidão e a coragem de Itamar Franco em defender seus princípios servirão de exemplo para as próximas gerações políticas do país.

“Fiz questão de receber, em solo mineiro, esse brasileiro que, como poucos, tanto honrou Minas Gerais. Minas e o Brasil perderam um dos grandes homens públicos do nosso tempo. Nessa nossa política tão desgastada, tão atacada e tão mal realizada por tantos, Itamar era singular. Uma ausência, uma lacuna que não será preenchida. Itamar foi único no seu tempo. A sua retidão, a sua dignidade pessoal, a sua coragem em defender valores e princípios é um legado para as próximas gerações”, afirmou Aécio Neves.

Homenagem dos mineiros

O senador destacou a trajetória política do ex-presidente e afirmou que os mineiros souberam reconhecer as virtudes de Itamar Franco, elegendo-o senador da República com mais de 5,1 milhões de votos no ano passado.

“Itamar foi um homem que, durante toda a sua vida pública, sem qualquer exceção, foi absolutamente fiel a suas convicções, aos seus princípios e aos valores que fazem do Brasil uma sociedade democrática e livre. Eu tenho um orgulho enorme de ter tido a oportunidade de ser seu companheiro e, mais do que as homenagens póstumas, o que para mim é mais valioso foi a grande homenagem que os mineiros fizeram a Itamar nas últimas eleições dando-lhe uma consagradora vitória ao Senado”, afirmou o senador.

Familiares, amigos mais próximos e autoridades também receberam o corpo do ex-presidente em Juiz de Fora, como os ex-ministros Henrique Hargreaves e Djalma Morais, o ex-presidente de Furnas, Marcelo Siqueira e o prefeito da cidade, Custódio Matos. Os ex-presidentes José Sarney, Fernando Collor e Luiz Inácio Lula da Silva também participaram do velório de Itamar em Juiz de Fora.

Vindo de São Paulo, onde faleceu, o corpo do ex-presidente chegou à cidade governada por duas vezes por Itamar Franco em avião da Força Aérea Brasileira. Recepcionado por guarda de honra militar, o caixão, coberto com as bandeiras de Brasil e de Minas Gerais, foi transportado para um caminhão do corpo de bombeiros por policiais militares e soldados do Exército. O corpo seguiu em cortejo pelas ruas de Juiz de Fora até a Câmara Municipal, onde será velado até amanhã.

Itamar Franco receberá as últimas homenagens, na manhã desta segunda-feira, no Palácio da Liberdade, em Belo horizonte. A chegada do corpo do ex-presidente está prevista para as 8h30.

Declaração do presidente do PSDB de Minas Gerais, deputado federal Marcus Pestana, sobre o falecimento do senador Itamar Franco

“Itamar Franco é um daqueles líderes políticos singulares na história do país. Símbolo de ética e honestidade, líder do governo de união nacional que garantiu a consolidação da democracia – depois da grave crise do impeachment -, e a estabilidade da economia com o Plano Real, frente a uma inflação aguda que ameaçava o futuro do país.

Um dos maiores políticos da história de Minas Gerais,  teve um desempenho exemplar em todos os cargos que ocupou, desde a prefeitura de sua Juiz de Fora, passando pelo Senado Federal, o Governo de Minas e chegando à presidência da República.

Recentemente, do alto de toda a sua experiência e maturidade aos 80 anos, se destacou de forma absoluta no exercício de seu terceiro mandato de senador da República, levantando sua voz em defesa da soberania do Congresso Nacional, da ética e da transparência, da Nação e dos menos favorecidos.

A vida do PSDB se confunde com a trajetória deste grande brasileiro Itamar Franco. As raízes primeiras do PSDB se encontram na dissidência do PMDB que, em 1986, apoiou sua campanha ao governo de Minas Gerais.

Quando, em 1992, Itamar Franco assumiu a presidência da República em condições extremamente graves e instáveis, o PSDB foi o primeiro a se colocar à disposição do presidente para que nossa jovem democracia de então não fosse colocada em risco.

Em 1994, gozando de extremo carinho e respeito do povo brasileiro, indicou e elegeu Fernando Henrique Cardoso presidente da República.

Em 2002, num gesto generoso, apoiou nosso grande líder Aécio Neves ao governo de Minas, abrindo mão de seu direito à reeleição.
Mais recentemente em 2010, teve papel decisivo na vitória do governador Antonio Augusto Anastasia, elegendo-se senador.

Itamar Franco deixará na história política de Minas Gerais um espaço que nunca mais poderá ser ocupado. Servirá de exemplo para as novas gerações por sua vida dedicada à ética, ao Brasil e ao povo brasileiro.

Com saudades e admiração

Marcus Pestana
Presidente do PSDB de Minas Gerais”

Aécio Neves lamenta morte de Itamar Franco e destaca o exemplo político do ex-presidente

Itamar Franco e Aécio Neves no Senado. Foto Geraldo Magela/Ag.Senado

O senador Aécio Neves (PSDB/MG) lamentou, neste sábado, dia 2, em Belo Horizonte, o falecimento do ex-presidente da República e senador Itamar Franco. Aécio Neves destacou a biografia e o legado político do ex-presidente, lembrando que Itamar na vida pública sempre foi um homem de atitudes corajosas e coerentes, na defesa da democracia e dos interesses do país, como na edição do Plano Real, e um exemplo de ética no exercício de seus mandatos. Além de presidente da República, Itamar Franco foi governador de Minas Gerais, senador durante 16 anos, prefeito de Juiz de Fora por dois mandatos e embaixador do Brasil na Organização dos Estados Americanos (OEA), em Portugal e na Itália.

“Poucos homens públicos foram tão coerentes, tão retos na sua trajetória como Itamar. Itamar representa o que há de melhor na política brasileira, na sua coerência e na sua coragem para fazer no tempo certo o que precisou fazer. Itamar foi coerente na resistência democrática e foi corajoso para dar à equipe econômica e ao presidente Fernando Henrique, seu ministro de então, as condições políticas para construir o Plano Real”, disse o senador.

Eleito governador de Minas Gerais em 2003 com o apoio de Itamar, a quem sucedeu, Aécio Neves disse que, nas eleições do ano passado, os mineiros prestaram uma importante homenagem ao ex-presidente ao elegê-lo senador do Estado.

“Eu tinha um orgulho enorme de, não só de ter caminhado ao seu lado na campanha eleitoral, e ali os mineiros fizeram a última grande homenagem a esse grande homem público com extraordinária vitória que lhe deram, mas eu tinha o orgulho de estar sentado ao seu lado no Senado, nesses poucos meses, e ver o quanto ele era reverenciado, o quanto ele era respeitado”, afirmou Aécio Neves.

O senador destacou ainda a relação pessoal que manteve com o ex-presidente ao longo de toda sua vida pública.

“Para mim são duas perdas distintas e que se complementam. Primeira, do homem público que representou como poucos a dimensão do que é a vida pública. E trago comigo uma perda muito dolorida e muito pessoal. Eu construí com Itamar ao longo dos últimos anos uma relação, que, ele costumava dizer, paternal. Eu perdi, há poucos meses o meu pai, e perco agora uma figura que de alguma forma tomava esse espaço”, lamentou Aécio Neves.

Despedida dos mineiros

O senador Aécio Neves deverá participar neste domingo, em Juiz de Fora (MG), e na segunda-feira, no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, das cerimônias de despedida ao ex-presidente. Aécio Neves, nesta manhã, recebeu telefonema da presidente Dilma Rousseff que disponibilizou o Palácio do Planalto para o velório do corpo do ex-presidente. Segundo o senador, as filhas de Itamar, entretanto, optaram pela realização do funeral em Minas Gerais.

“Eu recebi hoje pela manhã, um telefonema da presidente Dilma colocando o Palácio do Planalto à disposição da família para que lá também ele pudesse receber as últimas homenagens. Eu quero aqui registrar e agradecer este gesto republicano da presidente, mas a opção da família, talvez mais afeita à própria personalidade de Itamar, seja fazer um caminho mais curto e mais singelo para seu descanso”, informou o senador.

Ouça entrevista do senador Aécio Neves

http://www.psdb-mg.org.br/midias/download/id/3478

Assista

Governador Anastasia e senador Aécio Neves lamentam morte de Itamar Franco

O governador Antonio Anastasia divulgou nota sobre o falecimento do senador e ex-presidente Itamar Franco, ocorrido neste sábado, dia 2, aos 81 anos, no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Itamar estava hospitalizado desde 21 de maio para tratamento de uma leucemia. Leia declaração  do governador Antonio Anastasia abaixo:

“É com grande tristeza que recebemos a notícia do falecimento do senador Itamar Franco. Uma perda irreparável para Minas Gerais, não só pela sua trajetória política, como prefeito de Juiz de Fora, ex-senador, ex-vice-presidente, ex-presidente da República, ex-governador de Minas, e novamente como senador da República, mas em especial pelo seu senso político e público. Um homem que tinha, na realidade, uma vocação inacreditavelmente alta para a política e para fazer o bem. Um homem dedicado, de fato, às grandes causas do seu tempo. Defendeu Minas Gerais de maneira especial, enquanto senador, realizou um belo governo à frente do Estado, e como presidente da República será sempre lembrado como aquele que encerrou o ciclo da inflação como autor do Plano Real. Minas Gerais está em luto, estamos muito tristes com o falecimento do senador Itamar. Pessoalmente, perdi um grande amigo. Durante a campanha de 2010 tive a oportunidade raríssima de viajar Minas Gerais toda, lado a lado com Itamar Franco, aprendendo com ele, com seu ensinamento, sua experiência, com a sua maturidade. Mas, sobretudo, repito: com seu senso de serviço público, com seu senso de bem servir a Minas e ao Brasil. Aproximei-me muito do Senador sob o ponto de vista pessoal, tive nele um grande conselheiro. Itamar Franco deixará, permanentemente, na história de Minas, uma página de serviços prestados e a imagem de um homem dedicado, honesto, trabalhador, e sobretudo, sensível às causas sociais, aos mais simples, aos mais pobres.”

Ouça
http://www.psdb-mg.org.br/midias/download/id/3479

Em nota à imprensa, o senador Aécio Neves (PSDB/MG) também lamentou a morte do ex-presidente. Confira:

“Itamar se despede de Minas e do Brasil deixando atrás de si um imenso vácuo de saudade e admiração. Foi um homem excepcional e singular naquilo que é tão precioso e tão raro na vida pública: a fidelidade aos seus princípios e convicções.

Nunca foi omisso e, no exercício da Presidência e do governo, honrou as melhores tradições de Minas sendo implacável na defesa do interesse público. Os mineiros, em toda a sua sabedoria,  prestaram  a Itamar, sem saber que seria a última, uma homenagem que teve para ele um significado muito especial.

Ao levá-lo de volta ao Senado Federal, Minas manifestou a ele todo o seu reconhecimento e respeito e permitiu que ele vivesse um momento de especial importância na sua vida.

Nesse poucos meses, iluminou o Senado. Nesse poucos meses, graças aos mineiros, o Brasil se lembrou do valor de Itamar. Para mim pessoalmente trata-se de uma perda irreparável. Mantive com Itamar, ao longo dos últimos 10 anos, uma convivência próxima e amiga.

Sou testemunha do seu incansável trabalho por Minas, assim como sou testemunha da sua lealdade. Poucos homens honraram a vida pública com tanta bravura. Ele costumava dizer que tinha por mim um afeto paternal.

Me despedi de meu pai no final do ano passado. Me despeço de Itamar agora. E não posso deixar de  lamentar, com grande tristeza, profunda e intimamente, como filho e cidadão, as perdas que Minas vem sofrendo.”