Cotação recorde do dólar reflete falta de credibilidade do governo Dilma

dolar

Nesta terça-feira (22/9), o dólar comercial fechou a R$ 4,05 pela primeira desde o Plano Real, em mais um recorde do governo Dilma. A alta da moeda americana deve derrubar o Brasil no ranking das maiores economias do mundo, elevar a dívida externa das empresas em reais e pressionar os índices de inflação. Para deputados do PSDB, o enfraquecimento do real é consequência da perda de credibilidade da gestão petista, que transmite insegurança ao mercado financeiro e aos investidores.

Entre as razões para o alto da moeda, está a desconfiança do mercado em relação ao êxito do governo Dilma na aprovação das novas medidas de ajuste fiscal. Neste mês uma das principais agências internacionais de classificação de risco tirou do Brasil o selo de bom pagador. Segundo ranking elaborado pela Austin Rating destacado pelo portal UOL, a escalada do dólar, associada ao baixo crescimento econômico, fará o Brasil perder a 8ª posição entre as maiores economias globais. Continuar lendo

Pimenta da Veiga é recebido pela população de Itaguara e Carmópolis de Minas

Pimenta da Veiga destacou a necessidade do diálogo com o povo mineiro para construção de um plano de governo eficiente. Foto Leo Lara
Pimenta da Veiga destacou a necessidade do diálogo com o povo mineiro para construção de um plano de governo eficiente. Foto Leo Lara

O candidato do PSDB ao Governo de Minas, Pimenta da Veiga, esteve nesta quinta-feira (03/07) nas cidades de Itaguara e Carmópolis de Minas, na região Central, onde foi recebido pela população dos municípios. O ex-ministro tem percorrido o Estado para ouvir demandas e sugestões para melhorar a qualidade de vida dos mineiros.

Ao lado de lideranças políticas e comunitárias, Pimenta caminhou pelas ruas de Itaguara, cumprimentou moradores e afirmou ser fundamental o diálogo com o povo para a construção de um plano de governo eficiente. Continuar lendo

Bonifácio Andrada lança “Direito Constitucional Moderno e a Nova Revisão da Constituição”

Dep.Bonifácio Andrada (PSDB-MG)
Dep.Bonifácio Andrada (PSDB-MG)

O deputado Bonifácio Andrada (PSDB-MG) lança, nesta quarta-feira (4), o livro “Direito Constitucional Moderno e a Nova Revisão da Constituição”. Autor de 20 obras e parlamentar constituinte, o tucano está em seu nono mandato como deputado federal e traz uma abordagem crítica a respeito da Constituição de 1988 e os dias atuais. O lançamento será às 17 horas, no Espaço do Servidor, na Câmara dos Deputados em Brasília.

Na obra, o professor e deputado federal destaca aspectos da Constituição Brasileira de 1988. Ele traz algumas histórias da sua elaboração, mas defende uma ampla revisão constitucional, sobretudo no que diz respeito às relações entre os poderes da República e à ampla modificação da medida provisória, que considera a matéria de conteúdo antidemocrático e de riscos para a representação popular. Continuar lendo

Projeto de lei de Bonifácio Andrada que amplia salário maternidade tem aval da OMS e da SBP

Dep.Bonifácio de Andrada (PSDB-MG)
Dep.Bonifácio de Andrada (PSDB-MG)

A Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) estão favoráveis ao projeto de lei do deputado Bonifácio Andrada (PSDB-MG) que amplia o salário maternidade de 120 para 180 dias. As duas organizações se manifestaram recentemente sobre o assunto, que está sendo debatido na Câmara dos Deputados.

A Organização Mundial de Saúde recomenda que o aleitamento seja feito durante seis meses, enquanto que a Sociedade Brasileira de Pediatria entende que este período garante a criação de vínculos afetivos mais estreitos, melhorando a convivência familiar. Esse período inicial da vida é decisivo e insubstituível para o crescimento e diferenciação do cérebro dos bebês, e a garantia de amamentação nesse período reduz a mortalidade, previne enfermidades comuns nos dois primeiros anos de vida e até doenças na adolescência e na vida adulta. Continuar lendo

Projeto de tucano determina que passageiros sejam avisados sobre problemas com transportes

bonifacio-de-andrada

Proposta do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) aprovada pela Comissão de Defesa do Consumidor determina a comunicação de qualquer impedimento que possa dificultar o deslocamento de um passageiro, seja por transporte rodoviário, ferroviário, aéreo ou marítimo. Caberá ao Poder Público comunicar o fato em meios acessíveis ao cidadão.

De acordo com o tucano, o transporte proporciona meios fundamentais para a realização de transações econômicas. “Quando o Estado não protege o deslocamento do transporte que levará bens matérias de interesse do consumidor estará faltando com a assistência que deve dar a este para valer-se de utilidades comerciais de um modo geral, ou até alimentares ou de saúde, indispensáveis ao consumo do cidadão”, explica. Continuar lendo

Os “Rolezinhos” e a Crise na Ordem Pública

Artigo do deputado federal Bonifácio Andrada (PSDB-MG)bonifacioandrada

Verifica-se no país, através dos meios de comunicação, que se desenvolve uma série de manifestações contrárias ao poder público, tendo como alvo principal, indiscutivelmente, o Governo Federal e, logicamente, o seu principal titular, a atual presidenta da República, Dilma Rousseff. É curioso que essas manifestações que ferem a ordem pública se desenvolvem, hoje, de uma forma específica mostrando, assim, a insatisfação de novas áreas sociais que até então não se revelavam no país.

Continuar lendo

MEC contra a Educação, por Bonifácio Andrada

Artigo do deputado federal Bonifácio Andrada (PSDB-MG)

bonifacio andradaHá vários aspectos que revelam que a máquina pública do Ministério da Educação (MEC), nos últimos dias, alcançou uma alta centralização, dando fim a uma sadia descentralização que existia, o que vem provocando uma situação nociva ao desenvolvimento do ensino.

A mencionada centralização faz com que o número de processos de demandas recaia em Brasília, para submeter-se a um número reduzido de tecnocratas que, além de se colocarem em local longínquo em relação aos problemas que examinam não encontram, do outro lado, o tempo normal e razoável para solucionar os pleitos enviados, em demasia, para Brasília.

O MEC, dessa forma, não resolve as questões urgentes do ensino, sem dizer da mentalidade estatizante que domina a atual orientação política do Ministério. Continuar lendo