Governo do PT de Minas apaga todas as informações das gestões do PSDB e do PP contidas no portal de notícias oficial do Estado

jeitoPT

Da mesma forma que, no âmbito federal, o Partido dos Trabalhadores (PT) acha que o Brasil começou a existir em janeiro de 2003, quando o petista Luiz Inácio Lula da Silva assumiu o governo federal, no âmbito estadual o PT-MG também considera que Minas Gerais começou a existir em janeiro de 2015, quando o petista Fernando Pimentel assumiu o Governo do Estado. Isso é o que se depreende da nova versão da Agência Minas, o portal oficial de notícias do Estado de Minas Gerais, que entrou no ar nesta quarta-feira (21/10).

Desprezando o fato de que todas as informações contidas na Agência Minas pertencem ao Estado e ao povo de Minas Gerais, até porque foram produzidas com recursos públicos, o Governo do PT simplesmente deletou todas (isso mesmo, todas!) as informações que estavam postadas no portal. Ali, estavam depositados milhares de notícias, gráficos, fotos, áudios e vídeos postados desde 2005, quando o portal foi criado, com informações de utilidade pública e também de ações e programas desenvolvidos durante as gestões dos ex-governadores Aécio Neves e Antonio Anastasia (janeiro de 2003 a março de 2014), do PSDB, e Alberto Pinto Coelho (abril de 2014 a dezembro de 2014), do PP. Na nova versão da Agência Minas só é possível encontrar notícias postadas a partir de janeiro de 2015, quando Pimentel tomou posse. Ou seja: Para os petistas de Minas, o Estado começou a existir nesta data. Continuar lendo

Juristas consideram ilegal decreto de Pimentel que aumentou impostos sobre 150 produtos, diz matéria de jornal O TEMPO

jeitoPT

Entre os aumentos decretados pelo governador petista estão materiais escolar e de construção e até medicamentos

Além de ter sido feito na surdina, o aumento do ICMS sobre 150 impostos decretado por Fernando Pimentel em Minas é inconstitucional. A opinião é de juristas ouvidos pelo jornal O TEMPO, em reportagem publicada no sábado (10/10). O principal argumento é que o aumento fere o artigo 150, inciso I, da Constituição Federal, que diz que não é possível criar ou aumentar tributo por decreto. “É o princípio da legalidade. É ele que dá segurança ao contribuinte, evitando surpresas”, explica Gustavo da Mata, professor de Direito Tributário do Instituto Newton Paiva, ouvido pelo jornal.

No período em que foi governador de Minas Gerais (2003-2010), o hoje senador Aécio Neves (PSDB-MG) reduziu impostos de mais de 200 produtos, tais como: material escolar, produtos da cesta básica e itens de higiene pessoal. Nos governos de Antonio Anastasia e Alberto Pinto Coelho reduções de impostos feitas por Aécio Neves foram mantidas.

A professora da PUC Minas e membro da comissão de direito tributário da Ordem dos Advogados do Brasil – seção Minas Gerais (OAB-MG), Pilar Coutinho, ouvida pelo jornal O TEMPO, afirmou que o decreto do governador Fernando Pimentel, do PT, que revogou os benefícios tributários dados a partir de 2005 fere a ideia de segurança jurídica e a Constituição.

Pelo decreto do governador petista, foram aumentados em Minas Gerais nada menos do que 150 produtos, entre os quais medicamentos, material escolar, artigos de higiene pessoal e material de construção. Tais aumentos vão impactar negativamente o custo de vida e orçamento de milhões de mineiros.

Dias antes, Fernando Pimentel já havia subido o ICMS na energia elétrica das classes comercial e de serviços de 18% para 25%, onerando mais de 700 mil empresas dos setores de comércio e serviços e colocando em risco o emprego de milhares de cidadãos em todas as regiões do Estado.

Leia íntegra da reportagem publicada no jornal O TEMPO Continuar lendo

Governo do PT “viaja o mundo” para conhecer metodologia de mensuração social utilizada pelas administrações tucanas em Minas

Um mapa feito em cada domicílio permitia que as políticas públicas do Governo de Minas fossem feitas de forma customizada e mais eficiente
Um mapa feito em cada domicílio permitia que as políticas públicas das administrações do PSDB no estado do fossem feitas de forma customizada e mais eficiente

Utilização do Índice de Pobreza Multidimensional feita pelo Programa Travessia, em vias de ser extinto pela gestão petista, foi destaque em evento internacional promovido pela Universidade de Oxford em 2013

Uma notícia na última semana causou estranheza e inquietou profissionais da área social no estado: de que um representante do governo de Fernando Pimentel, do PT, foi a Nova York para “conhecer” a proposta do Índice de Pobreza Multidimensional (IPM). O índice, que foi formulado pela Universidade de Oxford e acatado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), permite medir e diagnosticar quais os problemas enfrentados por famílias que estão em extrema pobreza a partir de três dimensões: saúde, educação e padrão de vida.

A viagem a Nova York, toda custeada pelos contribuintes mineiros, teve como objetivo “avaliar” a adequação do IPM para a área social em Minas. Mas, o governo petista se esqueceu de um “pequeno” detalhe. Por meio do Programa Travessia, deste 2011, Minas Gerais já utilizava de forma pioneira no país a metodologia do IPM. Continuar lendo

Vencedores, por Aécio Neves

aecio-neves-13.05

Leia artigo do senador Aécio Neves, ex-governador de Minas Gerais (2003-2010), publicado no jornal Estado de Minas (03/10/2015)

Nossos alunos do 3º ano do ensino fundamental foram os melhores do país em leitura e matemática, e estão em quarto lugar em escrita

Não há milagre em gestão pública. Planta-se hoje para colher lá na frente, desde que tudo seja feito com a devida seriedade e responsabilidade. O que ocorre na área de educação em Minas é emblemático dessa verdade. Os dados divulgados neste mês pelo Ministério da Educação, com os resultados da Avaliação Nacional de Alfabetização realizada em 2014, confirmam os avanços alcançados pela educação pública em Minas no período de 2003 a 2014, quando o estado esteve sob a administração do PSDB e de nossos aliados. Nossos alunos do 3º ano do ensino fundamental foram os melhores do país em leitura e em matemática, e estão em quarto lugar em escrita. Continuar lendo

Minas não quer retrocesso na cultura

centro cultural

Não é de hoje que os mineiros andam preocupados com o descaso do governo Fernando Pimentel do PT com a cultura de Minas Gerais. A começar pelas declarações do secretário de Cultura, Ângelo Oswaldo, ao assumir o cargo, quando fez críticas aos projetos bem sucedidos da gestão de Aécio Neves e Antonio Anastasia e prometeu rever o projeto do Circuito Cultural Praça da Liberdade, um dos maiores complexos culturais do país formado por 12 espaços abertos ao público.

Criado para promover a diversidade cultural do Estado, levando mais arte e conhecimento para a população mineira, o Circuito Cultural Praça da Liberdade já recebeu mais de 3 milhões visitantes e foi um dos principais atrativos aos turistas que estiveram em Belo Horizonte durante a Copa do Mundo de 2014.

Desde 2012, o Circuito vem sendo administrado em parceria com o Governo do Estado e o Instituto Sérgio Magnani, associação sem fins lucrativos qualificada como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) pelo próprio governo federal. O instituto também é responsável pela gestão do Plug Minas, centro de formação tecnológica e digital para jovens, do prêmio Cenas Minas, e pela gestão de projetos que viabilizam a programação artística da Fundação Clóvis Salgado. Continuar lendo

Plug Minas, criado por Aécio Neves, garante mais oportunidades e futuro melhor para jovens

O Centro de Formação e Experimentação Digital já atendeu 6 mil jovens em cinco anos, como Bianca Ribeiro e Jocasta da Cruz Roque .
O Centro de Formação e Experimentação Digital já atendeu 6 mil jovens em cinco anos, como Bianca Ribeiro e Jocasta da Cruz Roque

Investir na formação e no conhecimento como forma de afastar os jovens, especialmente aqueles que residem em áreas mais vulneráveis socialmente, de ações criminosas. Em Minas, um projeto transformador implantado por Aécio Neves no Governo de Minas possibilitou à juventude condições para enfrentar o aumento da criminalidade, a falta de oportunidades e o desemprego. Com o Centro de Formação e Experimentação Digital, o Plug Minas, estudantes da rede estadual de ensino ou aqueles que concluíram o ensino médio na rede pública, tiveram uma nova perspectiva e a garantia de um futuro melhor.

Instalado no espaço onde funcionou durante anos a antiga Febem, o Plug Minas oferece aos jovens, com idade entre 14 e 24 anos, oficinas gratuitas de design digital, teatro, dança, música, aulas de idiomas e culturas do mundo e ainda de empreendedorismo. Além de promover mais conhecimento e novas habilidades técnicas, o Plug Minas contribui para que os jovens sejam cidadãos capazes de conduzir o seu próprio futuro.

O Plug Minas é formado por seis núcleos desenvolvidos em parceria com empresas privadas e instituições da sociedade civil. São eles: Caminhos do Futuro, Núcleo de Empreendedorismo Juvenil, Laboratório de Culturas do Mundo, Oi Kabum!, Valores de Minas e o Núcleo de Planejamento e Gestão.

Assista ao vídeo sobre o Plug Minas: 

 

Transformação

Desde que foi criado em 2009, mais de 6 mil jovens já passaram pelo Plug Minas. Guilherme Menezes, 21 anos, é um deles. Ele estudou no núcleo de empreendedorismo e, hoje, cursa Administração de Empresas na Fundação Getúlio Vargas. Guilherme sente-se realizado com a experiência no Plug Minas e já desenvolve o seu próprio projeto de negócio.

“O Plug não forma só profissionais e artistas, forma cidadãos, pessoas do bem que podem transformar a realidade. Normalmente, a sociedade olha o jovem como problema e aqui dentro olham os jovens como solução. Aqui me formei não apenas profissionalmente, mas como pessoa. Passei a acreditar mais em mim, nas pessoas, em uma sociedade mais justa e também numa educação de qualidade. Quero ser empreendedor, estou desenvolvendo uma startup. Antes do Plug a palavra que me guiava era indecisão, hoje, é transformação”, disse.

Yago Ferreira, 19 anos, é também aluno do núcleo de empreendedorismo. Além de estudar Direito, ele dá aulas particulares para estudantes do ensino fundamental.

“Em todos os cursos eles ensinam que não precisamos esperar das pessoas, que cada um pode transformar o lugar que está. Quero ser diplomata e estudo inglês sozinho, porque falaram que eu era capaz. Hoje, a palavra coletivo faz parte da minha vida”, afirmou. Continuar lendo

Aécio beneficiou agricultores familiares do Jaíba com redução no custo de energia e água

O agricultor Geraldo da Cruz, que há vinte anos produz frutas e legumes no Jaíba, diz que os investimentos ajudaram a economizar água e luz
O agricultor Geraldo da Cruz, que há vinte anos produz frutas e legumes no Jaíba, diz que os investimentos ajudaram a economizar água e luz

Considerado o maior projeto de irrigação da América do Sul e o segundo maior do mundo em área contínua irrigada, o Jaíba, localizado no Norte de Minas, contou com uma iniciativa pioneira em eficiência energética na gestão de Aécio Neves. Por meio da Cemig, o Governo de Minas investiu R$ 15 milhões para substituição dos sistemas de irrigação convencional, gerando economia de 72% nos custos de energia e de 55% no consumo de água para os agricultores familiares.

O agricultor Geraldo da Cruz, que está no Jaíba há vinte anos produzindo frutas e legumes, relata os benefícios que o programa trouxe para o cultivo das lavouras e a economia de custos.

“O programa que foi implantado pela Cemig favoreceu muito os pequenos produtores. Nós ganhamos tempo, o consumo de água foi reduzido e a luz ficou com o preço bem em conta. Facilitou muito a nossa vida”, disse. Continuar lendo

Aécio Neves transformou o atendimento à saúde no Norte de Minas

A saúde do Norte de Minas passou por uma verdadeira transformação com Aécio Neves. A população que antes percorria dezenas de quilômetros para receber atendimento médico, hoje tem hospitais, centros de saúde e UTI neonatal mais próximos de casa. O resultado está na redução da mortalidade infantil e materna e na melhoria da qualidade de vida das pessoas.

Uma das primeiras iniciativas de Aécio no Governo de Minas na área da saúde foi descentralizar os serviços nas 13 macrorregiões e 76 microrregiões do Estado. Para o Norte de Minas, uma das regiões mais pobres do Estado e onde a população mais sofria com as longas distâncias, a decisão foi fundamental.

As ações para os 86 municípios da região foram voltadas para o combate à mortalidade infantil e materna, reforma e melhoria de hospitais, implantação do sistema de transportes para pacientes, construção de novas Farmácias de Minas com distribuição gratuita de medicamentos e de novas Unidades Básicas de Saúde. Entre os principais investimentos, estão a construção de cinco Centros Viva Vida nos municípios de Brasília de Minas, Janaúba, Januária, Pirapora e Taiobeiras. Em todo o Norte mineiro, houve redução na mortalidade infantil em 18% entre 2003 e 2012.

Bom exemplo de Janaúba

As trigêmeas Laila, Larissa e Lara nasceram prematuras e foram atendidas na UTI Neonatal de Janaúba. Foto Rafael Motta
As trigêmeas Laila, Larissa e Lara nasceram prematuras e foram atendidas na UTI Neonatal de Janaúba. Foto Rafael Motta

Um dos bons exemplos está no município de Janaúba, localizado a 540 km de Belo Horizonte e a 120 km de Montes Claros, maior cidade do Norte de Minas.

Com o foco na atenção primária e aumento das equipes do Saúde em Casa, construção do Centro Viva Vida e ampliação do número de leitos de UTI Neonatal e Pediátrico, Janaúba se tornou referência nacional ao reduzir a mortalidade infantil de 31 óbitos para mil nascidos vivos em 2000, para 4,6 nos últimos anos.

A ampliação dos serviços de atendimento à saúde garantiu que as trigêmeas Laila, Larissa e Lara permanecessem em Janaúba quando nasceram prematuras. Durante 17 dias elas ficaram internadas na UTI Neonatal da cidade, que hoje tem dez unidades de tratamento e atende a população de 15 municípios da microrregião, cerca de 270 mil habitantes.

“Foi uma gestação de risco e as crianças nasceram com oito meses, pequenas e com menos de dois quilos. Se não tivéssemos a UTI em Janaúba, teríamos que ir para Montes Claros, ficar longe da nossa casa e da família. Todo o tratamento foi realizado aqui e hoje elas estão cheias de saúde, pesando sete quilos. A UTI salvou a vida das nossas meninas”, comemorou o balconista Luciano Fernandes de Souza, pai das crianças. Continuar lendo

Pimenta e Anastasia firmam compromissos com setores sucroalcooleiro e de frigoríficos do Estado

Durante evento em BH, representantes de importantes segmentos produtivos do estado reafirmam confiança nos candidatos da Coligação Todos por Minas
Durante evento em BH, representantes de importantes segmentos produtivos do estado reafirmam confiança nos candidatos da Coligação Todos por Minas

Os candidatos da Coligação Todos por Minas ao Governo do Estado, Pimenta da Veiga, e ao Senado Federal, Antonio Anastasia, se reuniram na manhã desta segunda-feira (15/09), em Belo Horizonte, com representantes dos frigoríficos e de fabricantes de açúcar e etanol de Minas Gerais. No encontro, Pimenta se comprometeu a criar medidas, em parceria com setor produtivo, para estimular estes importantes setores econômicos. “Vamos impulsionar e dinamizar a economia do Estado, estimulando o setor produtivo e, sobretudo, agregando valor ao que é produzido em solo mineiro”, afirmou.

O presidente da Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais (Siamig), Mário Campos, ressaltou sua preocupação com a queda na produção de açúcar e etanol nos últimos anos. Pimenta já estabeleceu como meta reverter esse quadro – profundamente afetado pela má administração da Petrobras, que atingiu negativamente o setor energético em todo o país. Graças ao empenho do Governo do Estado, Minas é o segundo maior produtor de açúcar do país e o terceiro na produção de cana de açúcar e etanol. No período de 2003 a 2009, 23 novas usinas se instalaram em Minas Gerais. Continuar lendo

Pimenta aponta novos avanços para as áreas de segurança e educação em Minas Gerais

Em entrevista à TV Record, Pimenta da Veiga aponta melhorias em políticas sociais no estado e afirma que Minas Gerais não pode adotar o modelo de gestão do PT
Em entrevista à TV Record, Pimenta aponta melhorias em políticas sociais no estado e afirma que Minas não pode adotar o modelo de gestão do PT

O candidato da Coligação Todos por Minas ao Governo do Estado, Pimenta da Veiga, reafirmou na manhã desta sexta-feira (12/09), em entrevista ao programa MG no Ar, da Record Minas, que as políticas sociais, com destaque para saúde, segurança e educação, terão toda atenção necessária durante seu governo, caso seja eleito. Defensor da política de tolerância zero com a criminalidade, Pimenta quer adotar o policiamento ostensivo em todo Estado, oferecendo ao cidadão maior sensação de segurança. Ele também defende mudança na legislação no que se refere à impunidade.

“O que importa é que o policiamento ostensivo seja maior. Vamos também adotar uma tecnologia mais apurada. Queremos usar a melhor tecnologia que houver. Queremos que haja um conceito de tolerância zero com a bandidagem. Portanto, procuraremos interferir também na legislação, que hoje está muito concessiva, a polícia prende e é obrigada a soltar. Então, é um conjunto de ações. Mas eu tenho a certeza que a segurança dará a sensação ao cidadão de que ele está mais protegido e, ao bandido, de que ele está sendo perseguido pela lei”, afirmou Pimenta da Veiga. Ele aproveitou para cobrar mais investimentos da União do setor, “tendo em vista que hoje o governo federal investe apenas 13% do que é gasto em segurança no Brasil inteiro”, completou. Continuar lendo