Dilma na lama

dilma-mariana

A presidente observou, do alto e à distância, a tragédia de Mariana. Nos gestos traduz-se o descaso que o governo petista exibe em relação aos problemas reais do país. A tragédia aconteceu na quinta-feira da semana passada. Neste ínterim, a presidente encontrou tempo até para se confraternizar com artistas e fazer festinha no Palácio do Planalto, além de dedicar-se a arrochar caminhoneiros que protestavam contra ela. Preferiu manter os pés na lama de Brasília a embrenhar-se nos rejeitos que destroçaram a vida das famílias solapadas pela tragédia. Continuar lendo

O PT quer acabar com o país

itv-logo534

A história que os petistas agora tentam reescrever é inescapável: nos últimos 13 anos, o Brasil foi tomado de assalto por uma organização criminosa como nunca antes no país. O partido precisa, sim, ser dizimado. Mas não é por golpes, estratagemas ou armações. Será nos tribunais, nas cadeias e nas urnas. Porque o Brasil não merece o PT e o PT não merece continuar ainda mais tempo à frente do Brasil. Continuar lendo

Nos últimos cinco anos, governo federal aplicou apenas 50% do orçamento para prevenção e resposta a desastres naturais

O desastre ocorrido em Mariana (MG), em função do rompimento de barragens de rejeitos de mineração, tornou-se uma calamidade social sem precedentes no estado. Mas, se depender do histórico de investimentos do governo federal nessa área, a luta para atenuar o drama vivido pela população da região será insuficiente.

Desde que a presidente Dilma Rousseff (PT) tomou posse em 2011, menos da metade da verba destinada à prevenção e resposta a desastres naturais foi liberada. De acordo com levantamento feito Instituto Teotônio Vilela (ITV) junto ao Sistema Integrado de Administração Financeira (SIAFI), dos R$ 21,9 bilhões colocados no orçamento, apenas R$ 10,9 bilhões chegaram ao destino final.

“A vida é o bem mais precioso de uma pessoa, ela foi criada pelo próprio Deus à sua imagem e semelhança, e sua relevância está garantida em inúmeros dispositivos legais, a nossa Constituição Federal determina que o direito à vida é inviolável. Ao constatarmos que os investimentos na preservação de vidas humanas foram reduzidos drasticamente concluímos que os brasileiros e brasileiras são pouco importantes para o atual Governo, o projeto de poder prevalece sobre a dignidade da vida humana”, afirmou o deputado estadual João Leite (PSDB).

O gráfico a seguir mostra que governo federal aplicou apenas 50% do orçamento previsto em ações para prevenção e resposta a desastres:

grafico2-hj