Gastar é fácil; o difícil é investir

O governo prepara para as próximas semanas o anúncio de cortes no Orçamento, num valor que pode chegar a R$ 60 bilhões. Assim como aconteceu no ano passado, a promessa é de que os investimentos sejam poupados. Assim como aconteceu no ano passado, é possível que o compromisso não seja cumprido. É sempre mais fácil deixar de investir com critério do que não gastar desmesuradamente.

Em 2011, a gestão Dilma Rousseff obteve um resultado fiscal bastante positivo. O número final será conhecido até o fim do mês, mas é certo que o superávit ficará próximo a 3% do PIB. O problema é como esta economia foi alcançada: mais uma vez aumentando a carga de impostos e, mais uma vez, cortando os investimentos.

Continuar lendo

Palocci já caiu uma vez por ter tido suas versões desmentidas pela realidade, lembra ITV

Em sua Carta de Formulação e Mobilização Política desta terça-feira, dia 17, o Instituto Teotônio Vilela cobra do ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, transparência completa dos seus atos. “Se não deve nada, Antonio Palocci não tem por que temer o escrutínio. Do contrário, pode acabar vendo-se na incômoda companhia de ex-ministros como José Dirceu e Erenice Guerra”,  lembra o órgão de estudos políticos do PSDB ao lembrar de outros chefes da Casa Civil que foram abatidos por escândalos. Diante das “explicações” pela metade do atual braço-direito de Dilma e da primeira queda de Palocci após ter sido desmentido pela realidade, o ITV questiona:  ele vai cair de novo?

Leia a íntegra do documento