Aécio Neves se reúne com Henrique Capriles e pedirá a Temer posição contrária do Brasil a violações políticas na Venezuela

O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, disse hoje que ele e um grupo de senadores do partido pedirão ao presidente em exercício, Michel Temer, um posicionamento do Brasil contra as violações à Constituição na Venezuela, na reunião da Organização dos Estados Americanos (OEA). Marcada para semana que vem, a assembleia da OEA discutirá sanções ao governo de Nicolás Maduro.

Aécio se reuniu, nesta terça-feira (14/6), no Senado, com o líder da oposição na Venezuela Henrique Capriles.

“O que nós queremos para a Venezuela é o que nós queremos para o Brasil: respeito à Constituição. Quando se fala em democracia e em respeito aos direitos humanos não existem fronteiras. Eu vou tomar a iniciativa de solicitar, ainda hoje, um encontro com o presidente Michel Temer para este grupo de senadores, para que a posição do Brasil, na reunião da próxima semana da OEA, seja diametralmente oposta à omissão, a meu ver criminosa, com que o Brasil conduziu sua política externa em relação à Venezuela nos últimos anos”, afirmou o senador Aécio em entrevista à imprensa.

Assista

Congresso deve ter foco nas reformas para Brasil superar recessão, diz Aécio

“Não podemos esquecer que existe, além de toda essa crise, um país real, com o desemprego ainda crescendo, com as empresas desestimuladas a investir, com um conjunto de dificuldades no campo social porque os programas de transferência de renda, dentre outros, não alcançam mais os objetivos que alcançavam no passado. Nosso foco, enquanto congressistas, é votar o mais rapidamente possível uma agenda de reformas que sinalize a retomada do crescimento, a retomada da geração de empregos. Essa é a nossa responsabilidade”, afirmou o senador Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, ao defender hoje (07), em Brasília, urgência na votação pelo Congresso de medidas que estimulem o país a superar a recessão econômica.

Aécio defendeu as investigações em curso, mas disse que elas cabem ao MP e ao Poder Judiciário.

“De tudo isso que estamos assistindo no Brasil, há um ponto extremamente positivo: a solidez das nossas instituições, o trabalho que vem sendo exercido pelo Judiciário, pelo Ministério Público e pelo próprio Congresso Nacional, tocando a vida, ajudando a construir uma agenda importante para o Brasil”, afirmou.

Assista:

Cemig eleva jetons para R$ 14 mil e turbina mais salários de secretários de Fernando Pimentel

Man Carrying Large Money Bag --- Image by © Images.com/CorbisReajuste foi aprovado às vésperas do envio de reforma administrativa com economia zero; coincidência mostra que redução de gastos não é a prioridade do governo

Em meio a uma grave crise financeira, com as contas públicas no vermelho e com parcelamento de salários, o governo de Minas continua a inflar os gastos para pagamento de jetons a membros de conselhos das empresas públicas do Estado. Na Cemig, a remuneração dos conselheiros teve novo aumento e chegou a R$ 14,3 mil por mês. É o segundo reajuste promovido pela gestão petista de Fernando Pimentel, o que representa uma alta de 100% nos valores dos jetons na comparação com 2014.

O novo aumento foi aprovado em assembleia geral dos acionistas da Cemig no último dia 29 de abril, dias antes do envio da reforma administrativa, que chegou ao Parlamento no final desta terça-feira (03/5). Os documentos só se tornaram públicos nesta quarta-feira (04/5) e ainda estão sendo avaliados pela oposição, mas de acordo com declarações de integrantes do próprio governo, a prometida reforma não trará nenhuma economia, contrariando as afirmações de Pimentel de que o enxugamento na máquina iria resultar em cortes de R$1 bilhão. Continuar lendo

PSDB lança documento com contribuições ao governo Temer

“Essa é a contribuição efetiva que o PSDB pretende dar a esse governo de emergência nacional, a esse governo de transição. Falamos de princípios, falamos de valores e de propostas. O presidente Michel Temer deve ter absoluta liberdade para construir e apresentar à nação um governo de altíssimo nível, capaz de enfrentar as enormes dificuldades que o Brasil tem hoje”, afirmou o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, ao apresentar o documento do partido com contribuições ao governo do vice-presidente, se confirmado o impeachment de Dilma Rousseff.

A carta “Princípios e Valores para um novo Brasil” reúne propostas aprovadas pelos governadores, pelas bancadas do PSDB no Congresso e pelos integrantes da Executiva nacional do partido, todos reunidos em Brasília, na manhã de hoje (03/05).

Em entrevista coletiva, Aécio anunciou também a decisão conjunta do partido de não indicação de nomes para ministérios e cargos federais, e disse que novo governo precisa ter compromissos com uma agenda voltada para o fortalecimento do país e a retomada da geração de empregos.

“Há uma preocupação em relação à capacidade de termos um governo que possa ter a liderança que o Brasil aguarda. Queremos num segundo momento ter uma conversa com o governo Temer, com a área econômica em torno da questão federativa, em torno de medidas que possibilitem a aprovação de reformas que sinalizem para retomada do crescimento do emprego no país”, afirmou Aécio.

Leia íntegra do documento

Assista

PSDB apresenta carta que selará apoio a Temer

Nova agenda para o Brasil é prioridade para o PSDB

Aécio em reunião com Temer reafirma compromisso do PSDB com agenda para o Brasil

aecio.neves.

“O apoio do PSDB não está vinculado nem de longe a qualquer ocupação de espaço público, a qualquer cargo. Não vamos entrar nesse tipo de negociação. Nosso compromisso é ajudar o Brasil”, diz Aécio

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves, recebeu, na manhã desta quarta-feira (27/04), em sua residência, em Brasília, o vice-presidente da República, Michel Temer, para discutir a contribuição que o partido dará ao novo governo, se confirmado o afastamento da presidente Dilma Rousseff.

No encontro, realizado a pedido de Temer, Aécio reafirmou que o PSDB prepara um conjunto de propostas que será discutido semana que vem pela Executiva nacional do partido e depois apresentado publicamente.

“Recebi a visita do vice-presidente Michel Temer. Uma visita de cortesia, reiterando sua intenção de ampliar as conversas com o PSDB e fazê-las como deve ser feito, institucionalmente. Foi uma conversa preliminar. Disse a ele que o PSDB, na terça-feira, apresentará ao país a síntese dessas medidas que, do nosso ponto de vista, são as emergenciais. Foi essa a conversa e, obviamente, vamos ter outras após a definição desses pontos que serão submetidos à Executiva Nacional do partido”, afirmou Aécio Neves. Continuar lendo

Dados desmentem ataques petistas a Anastasia, relator do impeachment

Anastasia-image001

Sem argumentos para defender a fraude fiscal cometida por Dilma Rousseff, militantes petistas começaram a divulgar nas redes sociais que o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), relator do processo de impeachment no Senado Federal, fez as mesmas “pedaladas fiscais” que a presidente em sua gestão em Minas Gerais. Relatórios do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, que aprovou todas as contas da gestão Anastasia, no entanto, desmontam as acusações petistas e mostram que não aconteceram as chamadas pedaladas na gestão tucana em Minas.

Nenhuma das acusações atribuídas a Anastasia assemelha ao que está no pedido de impeachment de Dilma: a presidente é acusada de ter feito operação de crédito com instituição financeira controlada pela União, e é impossível que Anastasia ou qualquer outro governador mineiro faça o mesmo, já que Minas Gerais não controla nenhum banco comercial desde que o Bemge foi privatizado, na década de 90. Continuar lendo