Aécio em reunião com Temer reafirma compromisso do PSDB com agenda para o Brasil

aecio.neves.

“O apoio do PSDB não está vinculado nem de longe a qualquer ocupação de espaço público, a qualquer cargo. Não vamos entrar nesse tipo de negociação. Nosso compromisso é ajudar o Brasil”, diz Aécio

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves, recebeu, na manhã desta quarta-feira (27/04), em sua residência, em Brasília, o vice-presidente da República, Michel Temer, para discutir a contribuição que o partido dará ao novo governo, se confirmado o afastamento da presidente Dilma Rousseff.

No encontro, realizado a pedido de Temer, Aécio reafirmou que o PSDB prepara um conjunto de propostas que será discutido semana que vem pela Executiva nacional do partido e depois apresentado publicamente.

“Recebi a visita do vice-presidente Michel Temer. Uma visita de cortesia, reiterando sua intenção de ampliar as conversas com o PSDB e fazê-las como deve ser feito, institucionalmente. Foi uma conversa preliminar. Disse a ele que o PSDB, na terça-feira, apresentará ao país a síntese dessas medidas que, do nosso ponto de vista, são as emergenciais. Foi essa a conversa e, obviamente, vamos ter outras após a definição desses pontos que serão submetidos à Executiva Nacional do partido”, afirmou Aécio Neves. Continuar lendo

Dirigentes sindicais distribuirão “pão e água” na Praça Sete no Dia do Trabalhador em ato de protesto contra o desemprego

maio-image001

Ato no próximo domingo (1º de Maio) terá a participação de diversas lideranças ligadas ao PSDB Sindical, que se manifestarão contra a corrupção e o “caos econômico” promovidos pelos governos do PT

No próximo domingo (1º de Maio), Dia do Trabalhador, diversos dirigentes sindicais ligados ao PSDB de Minas Gerais irão distribuir “pão e água” na Praça Sete, no centro de Belo Horizonte, em um ato de protesto contra o explosivo aumento do desemprego que está assombrando milhões de trabalhadores em Minas e no Brasil. Durante a manifestação, cujo início está programado para as 10 horas da manhã, os sindicalistas irão protestar contra a corrupção e também contra o “caos econômico” patrocinados pelas administrações do PT em Minas e no Brasil.

“Vamos manifestar nossa indignação com o caos da economia provocado pelos desgovernos do PT, que gerou o maior índice de desemprego em nosso país nos últimos 24 anos”, explica o presidente do PSDB Sindical-MG, Rogério Fernandes, que é também presidente da Federação dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado de Minas Gerais (FEESEMG). Continuar lendo

Dados desmentem ataques petistas a Anastasia, relator do impeachment

Anastasia-image001

Sem argumentos para defender a fraude fiscal cometida por Dilma Rousseff, militantes petistas começaram a divulgar nas redes sociais que o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), relator do processo de impeachment no Senado Federal, fez as mesmas “pedaladas fiscais” que a presidente em sua gestão em Minas Gerais. Relatórios do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, que aprovou todas as contas da gestão Anastasia, no entanto, desmontam as acusações petistas e mostram que não aconteceram as chamadas pedaladas na gestão tucana em Minas.

Nenhuma das acusações atribuídas a Anastasia assemelha ao que está no pedido de impeachment de Dilma: a presidente é acusada de ter feito operação de crédito com instituição financeira controlada pela União, e é impossível que Anastasia ou qualquer outro governador mineiro faça o mesmo, já que Minas Gerais não controla nenhum banco comercial desde que o Bemge foi privatizado, na década de 90. Continuar lendo

Pesquisa mostra que eleitores de Uberlândia rejeitam Dilma, Pimentel e o prefeito Gilmar Machado

Gilmar Machado, Dilma e Pimentel (1)

Reprovação da presidente chega a 83%; a do prefeito, também petista, é de 80% e a do governador 59%  

A insatisfação da população com as más administrações do Partido dos Trabalhadores (PT) não é apenas nas esferas federal e estadual. Nesta quarta-feira (27/04), o jornal Correio de Uberlândia, o maior do Triângulo Mineiro, publicou matéria com resultado de pesquisa Ibope, que mostra que 80% dos eleitores uberlandenses reprovam a gestão do prefeito petista Gilmar Machado. Já no quesito classificação, a soma dos que classificam a administração municipal como péssima ou ruim é de 64%.

A análise feita pelo Ibope mostra também que é grande o descontentamento dos cidadãos do maior município do Triângulo Mineiro e o segundo de Minas Gerais, com cerca de 663 mil habitantes, com as três esferas governadas pelo PT. Além da grande insatisfação com a prefeitura comandada por Gilmar Machado, a pesquisa constatou ainda o que acontece em todo o país: uma forte reprovação do governo de Dilma Rousseff. A presidente é rejeitada por 83% dos eleitores de Uberlândia. Já no âmbito estadual, o governador petista Fernando Pimentel também tem grande reprovação dos uberlandenses, com índice de 59%.

A pesquisa foi encomendada pela TV Paranaíba, afiliada da Rede Record na região, traz também a avaliação média da atual administração municipal. Durante a pesquisa, ao perguntar ao eleitor que nota daria de zero a dez à atual gestão, Gilmar Machado obteve classificação média muito baixa, com 3,3 pontos.

avaliacao

Leia matéria no site do Correio de Uberlândia

“Governabilidade do país precisa ser urgentemente resgatada”, afirma presidente do PSDB de Minas, deputado Domingos Sávio

domingos

Afirmação foi feita em entrevista ao programa “Cena Política, da BHNEWS TV, que tratou também das eleições deste ano na capital

O presidente do diretório do PSDB de Minas Gerais, deputado federal Domingos Sávio, foi o entrevistado do programa “Cena Política” veiculado na noite da última segunda-feira (15/04) na BHNEWS TV (canal 9 da NET). Ele foi sabatinado pelos jornalistas Carlos Barroso (apresentador do programa) e Eujácio Silva (editor do semanário Edição do Brasil). Durante cerca de uma hora de debate, ele apresentou suas opiniões e posicionamentos do partido sobre vários temas da atualidade, como o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff e as eleições municipais deste ano.

Com relação ao discurso dos petistas, de que o processo de impeachment seria um golpe, Domingos Sávio lembrou que o STF decidiu reiteradas vezes (a última por 8 votos a 2), pela legitimidade do processo, tendo ditado, inclusive, o rito a ser seguido. “Foi por isso que, durante a histórica votação do último dia 17 de abril na Câmara dos Deputados, conclui assim o meu voto: ‘Não vai ter golpe. Vai ter impeachment’”, afirmou. Continuar lendo

Aécio defende respeito à Constituição e serenidade no debate sobre impeachment de Dilma

“Quem está com apoio amplo da sociedade brasileira caminhando para interromper o mandato da atual presidente da República é o conjunto do Congresso Nacional em sua ampla maioria”, afirmou o presidente do PSDB, senador Aécio Neves, ao responder ataques feitos por dirigentes do PT às bancadas da oposição no Congresso Nacional.

Em entrevista coletiva, Aécio pediu serenidade ao PT durante o debate sobre o pedido de impeachment da presidente da República, que começa a tramitar esta semana no Senado.

“É hora de absoluta serenidade. Nada vai nos tirar do nosso prumo, da nossa estratégia de agir com respeito à Constituição”, afirmou Aécio.

Assista

 

Aécio pede agilidade ao Senado no julgamento do processo de impeachment

“O Brasil não pode ficar parado em um hiato, paralisado por mais esse período”, afirmou hoje (19/04) o presidente do PSDB, senador Aécio Neves, ao defender agilidade nos procedimentos de instalação e nos trabalhos da Comissão Especial do Senado que julgará a aceitação do pedido de impeachment da presidente da República, aprovado pela Câmara dos Deputados no último domingo (17/04).

Em entrevista coletiva após reunião com líderes dos partidos, Aécio Neves disse que as oposições trabalham para votar o pedido do impeachment em plenário até 10 de maio e falou que a reforma política, com a redução do número de partidos no país, foi um dos temas da reunião com o vice-presidente Michel Temer, ontem, em São Paulo.

“O Senado tem um número excessivo de partidos políticos e eu disse ontem ao vice-presidente da República que, se assumir a Presidência da República, uma das questões essenciais a ser enfrentadas na largada do seu eventual governo é apresentar uma proposta de reforma política que restabeleça a cláusula de barreira. Não é possível você administrar o Brasil, com a complexidade das decisões que temos que tomar, com 25 partidos na Câmara e esse também número excessivo de partidos no Senado Federal”, afirmou Aécio.

Assista:
PSDB cobra agilidade no andamento do processo de impeachment

Reforma política