Após apresentar 50 pedidos de impeachment entre 1990 e 2002, PT agora mostra sua incoerência, denuncia líder do PSDB

cassio-cunha-lima-foto-george-gianni-1O líder do PSDB no Senado, Cassio Cunha Lima, fez questão de destacar a incoerência do PT em contraponto ao palanque montado pela presidente Dilma Rousseff no Palácio do Planalto para reforçar o mote escolhido pelos petistas para se segurarem no poder, de que o impeachment seria um golpe. Isto porque o PT que chegou ao poder parece ter esquecido que foi o responsável pela apresentação de nada menos do que 50 pedidos de impeachment entre 1990 e 2002.

O único desses pedidos bem sucedido foi apresentado em 1992 e garantiu o afastamento do cargo o primeiro presidente eleito pelo voto direto, após a ditadura militar: Fernado Collor de Mello, após a instalação de uma CPI que investigou denúncias de corrupção em seu governo.
Naquele momento, o PT assumiu a linha de frente do processo de impeachment contra Collor. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que hoje considera o impeachment um golpe contra Dilma, tinha um discurso bem diferente e considerava legítimo a oposição, a OAB e a população apoiarem o afastamento de um presidente eleito pelo voto popular, com o aval dos antigos caras pintadas como o hoje senador petista Lindberg Farias. Continuar lendo