Após apresentar 50 pedidos de impeachment entre 1990 e 2002, PT agora mostra sua incoerência, denuncia líder do PSDB

cassio-cunha-lima-foto-george-gianni-1O líder do PSDB no Senado, Cassio Cunha Lima, fez questão de destacar a incoerência do PT em contraponto ao palanque montado pela presidente Dilma Rousseff no Palácio do Planalto para reforçar o mote escolhido pelos petistas para se segurarem no poder, de que o impeachment seria um golpe. Isto porque o PT que chegou ao poder parece ter esquecido que foi o responsável pela apresentação de nada menos do que 50 pedidos de impeachment entre 1990 e 2002.

O único desses pedidos bem sucedido foi apresentado em 1992 e garantiu o afastamento do cargo o primeiro presidente eleito pelo voto direto, após a ditadura militar: Fernado Collor de Mello, após a instalação de uma CPI que investigou denúncias de corrupção em seu governo.
Naquele momento, o PT assumiu a linha de frente do processo de impeachment contra Collor. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que hoje considera o impeachment um golpe contra Dilma, tinha um discurso bem diferente e considerava legítimo a oposição, a OAB e a população apoiarem o afastamento de um presidente eleito pelo voto popular, com o aval dos antigos caras pintadas como o hoje senador petista Lindberg Farias. Continuar lendo

Deputados do PSDB participam da entrega de 2 milhões de assinaturas pelo fim da corrupção

m.pDeputados e senadores que integram a Frente Parlamentar Mista de Combate à Corrupção receberam, nesta terça-feira (29/03), dezenas de volumes contendo mais de 2 milhões de assinaturas coletadas em todos os estados brasileiros em apoio ao pacote de medidas anticorrupção, idealizado pelo Ministério Público Federal (MPF). Além disso, representantes de movimentos sociais entregaram aos parlamentares sugestões de projetos de leis contendo dez medidas que devem ser adotadas para prevenir, coibir e punir quem cometer crime de corrupção.

O slogan “10 medidas contra a corrupção, adote esta ideia” foi proposto pela campanha, que começou no âmbito do MPF e ganhou espaço dentro de sindicatos, movimentos sociais, universidades, estabelecimentos comerciais, empresas e igrejas.

Na solenidade de entrega das assinaturas, que lotou o auditório Nereu Ramos, da Câmara dos Deputados, um grupo de crianças representando a Escola Classe 43, de Ceilândia (DF), marcou um momento de emoção ao entrar cantando o hino nacional e empunhando bandeiras de todos os estados. Elas também entregaram cartinhas a deputados e senadores falando da esperança num Brasil do futuro. Continuar lendo

Brasil vive plenitude democrática, diz Aécio Neves a jornais e agências internacionais

Aecio-Neves-29.3

Em entrevista a jornais e agências de notícias internacionais, nesta terça-feira (29/03), o presidente do PSDB, senador Aécio Neves, ressaltou que o Brasil vive um momento de fortalecimento da democracia e que o processo de impeachment contra a presidente Dilma aberto pela Câmara dos Deputados segue o rito definido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) com base na Constituição. Ao lado dos presidentes dos principais partidos de oposição, Aécio voltou a rebater a estratégia petista de considerar o impeachment um golpe.

“O Brasil não está prestes a sofrer um golpe, ao contrário do que lideranças do PT e do governo e a própria presidente da República têm dito ao mundo. Na verdade, se há algo sólido hoje no Brasil são as nossas instituições democráticas. O Brasil vive um momento, sim, de inquietação política, mas com as nossas instituições funcionando na sua plenitude. O processo de impeachment instalado na Câmara dos Deputados segue estritamente o que determina a Constituição federal do país. O Supremo Tribunal Federal definiu qual o rito que deveria ser cumprido, seguido pela Câmara dos Deputados, e essa comissão tem sido absolutamente exemplar no cumprimento daquilo que determinou o Supremo Tribunal Federal, gostássemos ou não os parlamentares”, afirmou Aécio Neves.

A entrevista foi concedida a repórteres dos jornais Le Monde (França), El País (Espanha), Wall Street Journal (Estados Unidos), La Nación (Argentina), Página 12 (Argentina) e das agências Reuters, France Press, Ansa e Efe. Continuar lendo

Líder do PSDB destaca pleno cumprimento do calendário do impeachment

Em discurso nesta quarta-feira (23/03), o líder do PSDB na Câmara, Antonio Imbassahy (BA), destacou o cumprimento do calendário do processo de impeachment de Dilma na Câmara. “Estamos cumprindo com nossas obrigações. O rito está correndo dentro do rito da normalidade, em respeito às decisões do STF e conforme a Constituição e o regimento da Casa”, disse o tucano. Confira trecho do discurso:

Oposição cobra explicações sobre falso golpe no país

Os partidos de oposição decidiram convocar ao Congresso Nacional o ministro das Relações Exteriores para explicar o envio de telegramas e mensagens oficiais às embaixadas brasileiras no exterior, contendo um alerta para um falso golpe de Estado no Brasil.

Em entrevista coletiva, nesta quarta-feira (23/03), o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, considerou inaceitável o uso de embaixadores e diplomatas brasileiros com objetivos políticos e destacou que a oposição quer explicações sobre quem deu a ordem ao Itamaraty. O envio de mensagens às embaixadas do Brasil foi denunciado hoje pelo jornal O Globo.

Aécio Neves criticou também o discurso feito ontem pela presidente Dilma Rousseff, em solenidade oficial, no Palácio do Planalto, sobre um falso golpe em curso no país.

“É inaceitável a forma como a presidente da República tem usado os instrumentos de Estado para se manter no poder. Na verdade, ao não ter mais argumentos para se defender das acusações que lhe são imputadas, a presidente busca ela própria criar quase que um estado golpista no país”, afirmou Aécio.

Aécio lamenta prejuízo recorde da Petrobras

“Volto no tempo e me lembro de muitos parlamentares da base do governo, e do próprio partido que governa o Brasil, virem a esta tribuna nos acusar de vendilhões da Petrobras. Eles diziam que queríamos privatizar a Petrobras. Pois bem, apenas o que a Petrobras coloca hoje à venda (US$ 60 bi) supera todo o volume de privatização do setor de telecomunicações do governo Fernando Henrique”, afirmou o senador Aécio Neves (PSDB-MG), em pronunciamento, hoje (22/03), no plenário do Senado Federal, ao lamentar o pior resultado financeiro da Petrobras em toda a história da estatal.

Aécio Neves disse que a empresa sofre os prejuízos gerados pelo encontro da leniência com a corrupção com a ineficiência do governo do PT. O balanço da empresa divulgado ontem (21/03) mostrou um prejuízo de R$ 34,8 bilhões em 2015.

Assista