Aécio seria o novo presidente em simulação do Datafolha, enquanto rejeição de Lula chega a 47%

aecio-campanha-limpa

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) seria o novo presidente da República caso a eleição fosse hoje. É o que mostra a pesquisa da Datafolha divulgada ontem (29). Com 31% das intenções de voto, Aécio ganharia do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com 22%, e da candidata da Rede, Marina Silva, com 21%. Em uma primeira simulação entrariam, também, Luciana Genro (PSOL), Eduardo Paes (PMDB) e Eduardo Jorge (PV). Luciana teria 3% dos votos e os outros concorrentes ficariam empatados com 2%, conforme mostra matéria publicada domingo (29) no Jornal Estado de Minas.

Quando simulado um segundo turno contra Lula, Aécio venceria o ex-presidente. Segundo a pesquisa, Aécio teria a preferência de 51% dos eleitores, contra 32% para o petista. O levantamento indica que, em todos os cenários de segundo turno, Lula sairia derrotado, perdendo também para o governador de São Paulo, o tucano Geraldo Alckmin,e Marina Silva.

Os resultados da pesquisa deixam claro o desgaste político do atual governo. Dos entrevistados, 47% disseram que não votariam de jeito nenhum no ex-presidente Lula.

O Datafolha consultou 3.541 cidadãos em 185 cidades na quarta e na quinta-feira. A margem de erro do levantamento é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

“Temos hoje uma crise social de dimensões extremamente graves”, afirma Aécio Neves no Recife

IMG_8736

No Recife, capital pernambucana, para participar do Seminário “Caminhos para o Nordeste – Mobilidade Urbana”, promovido pelo PSDB em parceria com o Instituto Teotônio Vilela (ITV), nesta sexta-feira (27/11), o presidente do PSDB, senador Aécio Neves, afirmou que o Brasil vive hoje uma crise social de dimensões graves, e que pode se aprofundar ainda mais no futuro.

“Não temos mais no Brasil uma crise econômica. Não temos apenas no Brasil, como se isso fosse pouco, e não é, a mais grave crise moral da nossa história democrática. Nós temos hoje uma crise social de dimensões extremamente graves e que, infelizmente, se aprofundará ainda mais nos próximos meses”, disse Aécio Neves.

O presidente tucano voltou a criticar também a distribuição de ministérios e cargos federais pelo governo em troca de votos da base aliada no Congresso Nacional.

“O projeto de governo do PT hoje é apenas um: manter-se no poder por mais algum tempo, custe o que custar. Distribua-se o que for necessário de cargos, de vantagens, de emendas, mas nem isso vai ser suficiente, na minha avaliação, para que a presidente Dilma conclua o seu mandato. Porque há algo mais forte, algo que se impõe com muito maior vigor, que é a realidade da vida das pessoas”, avaliou Aécio. Continuar lendo

Programa Roberto D’Avila: Governo é beneficiário da corrupção, afirma Aécio sobre prisão de Delcídio

A entrevista do senador Aécio Neves ao jornalista Roberto D’Avila foi ao ar na noite desta quarta-feira
A entrevista do senador Aécio Neves ao jornalista Roberto D’Avila foi ao ar na noite desta quarta-feira (25/11)

Uma das principais vozes da oposição ao governo, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) foi entrevistado pelo jornalista Roberto D’Avila. Aécio falou, no programa exibido nesta quarta-feira (25/11) na GloboNews, sobre a prisão do líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral, a crise política, impeachment, o processo contra Eduardo Cunha, desemprego, o fator previdenciário, os escândalos de corrupção na Petrobras, Lula, candidatura à presidência, a tragédia em Mariana e as eleições na Argentina.

Confira abaixo alguns destaques da entrevista: Continuar lendo

Governo do PT consegue aprovar projeto que piora processo de licenciamento ambiental implantado pelo PSDB em Minas

Cartaz colocado nas galerias do plenário da ALMG demostra a revolta dos ambientalistas mineiros
Cartaz colocado nas galerias do plenário da ALMG demostra a revolta dos ambientalistas mineiros

O governo de Fernando Pimentel, do PT, segue fazendo estragos em Minas. Desta vez, na área ambiental. Na tarde desta quarta-feira (25/11), foi aprovado em turno único na Assembleia Legislativa, em regime de urgência, o polêmico e criticado projeto do governador que estabelece novas regras para o Sistema Estadual do Meio Ambiente (SISEMA).

Rechaçado pelos ambientalistas desde a sua apresentação na ALMG, o Projeto de Lei 2.946/15 pode, segundo especialistas, acelerar o processo de degradação ambiental do estado. Além do impacto ambiental, outro aspecto que vem merecendo repúdio dos ambientalistas é a centralização que o governo petista quer implementar nas ações e nos processos de decisão do setor, deixando em segundo plano órgãos como o Conselho de Política Ambiental (Copam). Continuar lendo

Em ação suprapartidária, deputados anunciam medidas pelo afastamento de Cunha da presidência

supartidaria

O líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), anunciou, ao lado de outros cinco partidos, uma série de medidas em defesa do afastamento do presidente da Casa, Eduardo Cunha. PSDB, DEM, PSOL, PSB, Rede e PPS têm reunião marcada nesta quarta-feira (25/11), às 18 horas, com o Procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Além de entrar com uma representação, eles pretendem obstruir as votações em plenário e deixar de participar das reuniões de líderes.

Os partidos entraram em consenso pelo afastamento do pemedebista após entrevista ao “Jornal da Globo” exibida no último dia 6. Cunha admitiu que chegou a acumular um patrimônio no exterior não declarado ao Banco Central e à Receita Federal, mas alegou que tudo foi fruto de transações licitas de comércio internacional e aplicações em bolsas estrangeiras. Alegou que a experiência com exportação começou na década de 1980, quando ele diz que passou a vender produtos brasileiros na África. Continuar lendo

“Quem vai pagar esta conta ao final? Serão os consumidores”, diz Aécio sobre a MP 688

“É mais uma medida extrema do governo federal para repor algum recurso nos cofres do Tesouro federal baqueado, solapado pela ação irresponsável do governo ao longo do último ano. Então o governo busca agora arrecadar um determinado recurso para suprir a necessidade de caixa do Tesouro criada por ele próprio. Mas vai fazer isso como? Esta que é a grande questão. Quem vai pagar esta conta ao final? E sabemos quem. Serão os consumidores”, afirmou o senador Aécio Neves (PSDB-MG) ao votar contra a MP 688 na qual governo federal faz nova intervenção no mercado de energia.

Assista aos trechos do pronunciamento do senador Aécio Neves – 24/11/15

Governo da irresponsabilidade fiscal

itv-logo534

Pela segunda vez consecutiva, faltando poucas semanas para acabar o ano, o governo prepara-se para mudar a meta orçamentária. Responsabilidade fiscal não é a praia do PT. A Lei de Responsabilidade Fiscal foi duramente combatida pelo partido, inclusive nos tribunais. O resultado é que o país não tem mais um parâmetro fiscal crível. Não tem nem mesmo alguma meta, já que os objetivos mudam ao sabor dos ventos. É passo decisivo para dinamitar a credibilidade de uma nação e implodir qualquer ponte para o futuro. Continuar lendo

PSDB e ITV discutem caminhos para o meio ambiente e a sustentabilidade em São Paulo

“O PSDB e o ITV têm o compromisso de debater todas as questões nacionais, não com o viés partidário. Queremos que o Instituto seja a porta de entrada, escancarada, para aqueles que pensam ao Brasil, que têm responsabilidade para construção do futuro deste país. Estaremos dispostos a apoiar, discutir propostas na área ambiental e avançar na legislação no Congresso Nacional”, afirmou o senador Aécio Neves durante seminário “Caminhos para o Brasil – Meio Ambiente e Sustentabilidade” realizado pelo Instituto Teotônio Vilela (ITV), órgão de estudos do PSDB, nesta segunda-feira (23/11), em São Paulo.

O senador e ex-governador de Minas abriu o encontro lembrando da tragédia de Mariana, provocada pelo rompimento de uma barragem de rejeito da mineradora Samarco, devastando os distritos de Bento Rodrigues e Paracatu de Baixo. Confira abaixo

Participaram do seminário, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso; o presidente do ITV, José Aníbal; além de importantes lideranças da área ambiental como o Carlos Klink, secretário de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental do Ministério de Meio Ambiente; José Goldemberg, um dos negociadores da Rio-92 e atualmente presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo; o ex-ministro e ex-secretário de Meio Ambiente de Minas Gerais, José Carlos Carvalho; Israel Klabin, presidente da Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável; e o ambientalista Fábio Feldmann.

Leia também: PSDB e ITV discutem caminhos para o meio ambiente e a sustentabilidade