Ramalho da Construção e Rogério Fernandes falam à imprensa sobre aumento do desemprego no Brasil

informacao_2 - Copia

Coletiva de imprensa, nesta quinta-feira (29/10), com o vice-presidente nacional da Força Sindical e presidente do Núcleo Sindical do PSDB, deputado estadual Ramalho da Construção (PSDB-SP), e com o Secretário Internacional da Força Sindical e presidente do PSDB Sindical de Minas Gerais, Rogério Fernandes.

Na oportunidade, serão apresentadas informações sobre o aumento do desemprego no Brasil decorrente da recessão econômica, bem como sobre negociações e problemas trabalhistas enfrentados por diversas categorias dos setores público, industrial de comércio e serviços em Minas.

Informações divulgadas nessa semana revelam que atualmente estão ocorrendo sete demissões por minuto no Brasil. A cada três vagas de trabalho fechadas, uma acontece em MG.
Após a coletiva, o deputado Ramalho da Construção participará de uma palestra-debate “Os reflexos da política econômica do governo federal sobre o emprego e os direitos trabalhistas e sociais” (confira convite no final do post)

SERVIÇO

Data: 29 de outubro de 2015 (quinta-feira)
Horário: 16 horas
Local: Auditório do PSDB-MG (Rua Ouro Preto, 846, Barro Preto, Belo Horizonte-MG)

convitesindical (1)

Para confiscar dinheiro do cidadão, Pimentel pede prisão de gerentes do Banco do Brasil

Sem títuloInstituição financeira recorreu ao STF para suspender ação petista até que seja julgada a inconstitucionalidade da Lei do Confisco

O governador de Minas, Fernando Pimentel (PT), está utilizando todas as armas para colocar a mão no dinheiro dos depósitos judiciais. De forma autoritária e truculenta, solicitou ao juiz da 5ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias de Belo Horizonte a prisão de três gerentes da agência do Banco do Brasil que atende o Estado. Isso porque, diante da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) nº 5353 – que corre no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a Lei 21.720/15 – o Banco ainda não liberou R$ 2,8 bilhões dos quase cerca de R$ 6 bilhões que o governo quer confiscar.

Foi justamente para reaver o restante do valor que o governo entrou, em 19 de outubro, com ação contra a instituição financeira solicitando não só o pagamento, como também a aplicação de multa diária e, se necessário, a prisão dos prepostos do Banco na gerência de relacionamento. O juíz Adriano de Mesquita Carneiro, da 5ª Vara de Fazenda Pública Estadual, acatou o pedido e decretou a prisão de Marcos José da Cunha, Gladstone Oliveira Araújo e Bruno Torres Carvalho.

“Pedir a prisão de funcionários do Banco revela o desespero do governo. Eles temem não conseguir colocar a mão nesse dinheiro antes que o STF julgue a ADI e declare a lei mineira inconstitucional. Se isso acontecer, não haverá dinheiro para quitar as contas, pagar a folha dos servidores”, explicou o líder do bloco Verdade e Coerência, deputado Gustavo Corrêa (DEM). Continuar lendo

Para Aécio Neves, irresponsabilidade do PT levou Brasil ao caos econômico e social

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves, rebateu, nesta terça-feira (27/10), líderes da base do governo Dilma Rousseff no Congresso que tentaram responsabilizar as oposições pelo caos político que o Brasil atravessa. Em discurso, no Senado, Aécio afirmou que os graves problemas econômicos e sociais são hoje resultado da irresponsabilidade do governo do PT, que ignorou todos os alertas feitos pelos partidos opositores nos últimos anos de que o país caminhava para uma recessão.

“O que trouxe o Brasil a esse nível inédito de desconfiança por parte daqueles que fazem a roda da economia girar foi a irresponsabilidade do governo do PT. O que nós estamos fazendo é o que cabe à oposição fazer, porque quando se vence uma eleição, deve-se governar, o que este governo, infelizmente, perdeu as condições de fazer. E quando se perde, tem-se que fiscalizar. É o que estamos fazendo. Não vejo por que isso incomoda tanto aqueles que estão no governo”, afirmou Aécio Neves ao rebater discurso do senador Lindbergh Farias (PT-RJ).

O presidente do PSDB destacou que Dilma Rousseff venceu as eleições há um ano, mas até hoje não iniciou seu segundo mandato. Pesquisa CNT/MDA divulgada hoje mostrou que 80,7% da população desaprovam a presidente Dilma Rousseff e 70% avaliam negativamente o seu governo.

“Um ano já se foi e até hoje, infelizmente, a pauta do governo da presidente Dilma é apenas uma: se sustentar no poder por mais uma semana, por mais quinze dias. Nem que, para isso, tenha que fazer o que está fazendo com os cargos públicos, distribui-los”, disse o senador Aécio Neves.

Assista ao pronunciamento