“Minas com Censura”: Artigo do presidente do PSDB-MG mostra o lado censor do governador Pimentel

Em artigo publicado no jornal O Tempo de domingo (26/10), com o título “Minas com Censura”, o presidente do PSDB-MG, deputado federal Domingos Sávio, enumera diversos episódios que descortinam o pendor autoritário do governador Fernando Pimentel e do PT de Minas Gerais.

Desde que assumiu o governo, em janeiro deste ano, o governador Fernando Pimentel vem mostrando aos mineiros um total descompromisso com a liberdade de expressão, a exemplo do que ocorre no governo federal, administrado por sua companheira Dilma Rousseff.

O artigo do presidente do PSDB-MG revela o lado censor do governador petista e de seu governo, como a tentativa de criminalizar manifestantes que utilizaram bonecos infláveis com sua caricatura; o “apagão” promovido pela administração petista na Agência Minas (que tirou do ar todas as informações referentes às gestões anteriores) e o pedido de quebra de sigilo de um repórter do jornal O GLOBO que publicou reportagens sobre suspeitas de corrupção na campanha do petista em 2014 e também no período em que ele era ministro do Desenvolvimento. Esta última iniciativa foi condenada por várias entidades da sociedade civil, como a Associação Nacional de Jornais (ANJ) e a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (ABRAJI), que a consideram um atentado à liberdade de expressão.

“O PT não se cansa de surpreender negativamente a população”, conclui Domingos Sávio, fazendo alusão às tentativas do governo petista de punir manifestações contra malfeitos do governador Pimentel e de sua gestão.

Confira a íntegra do artigo do presidente do PSDB-MG, publicado no jornal O TEMPO:

imagem.domingos

O PT não se cansa de surpreender negativamente a população. Como se já não bastassem os sucessivos escândalos de corrupção envolvendo o partido, eis que os petistas mineiros agora pretendem punir manifestações populares legítimas contra o governador Fernando Pimentel e seu (des)governo.
O PT-MG entrou com ação judicial pedindo a punição de manifestantes que, durante protestos recentes em BH, utilizaram bonecos infláveis com caricaturas bem-humoradas do governador Fernando Pimentel, da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Lula. Mais que isso, querem punir também os manifestantes que vaiaram e viraram as costas para deputados petistas na Assembleia Legislativa, durante votação do projeto de Pimentel que aumentou impostos sobre vários produtos no final.

Numa tentativa de disfarçar seu descompromisso com a liberdade de expressão, o PT incluiu na ação judicial o lamentável episódio em que meia dúzia de manifestantes protestaram durante velório do ex-presidente da legenda, José Eduardo Dutra. Mas a tentativa não colou e o viés autoritário ficou claro. Os petistas chamam os manifestantes de criminosos e chegam ao cúmulo de tentar enquadrá-los no crime de formação de quadrilha. Só faltou desenterrarem a famigerada Lei de Segurança Nacional – o que, pelo andar da carruagem petista, não está descartado.

Além da hilária ação que tenta criminalizar os bonecos-pixulecos de Pimentel, Dilma e Lula, vários outros episódios descortinam o pendor autoritário do PT em Minas. Em um deles, numa clara tentativa de intimidação, a Secretaria de Defesa Social divulgou nota para todos os veículos de imprensa do país expondo a pauta de uma repórter que apurava problemas na gestão da Pasta.

Em outro caso evidente de censura, que veio à tona nesta semana, Fernando Pimentel pediu ao STJ a quebra de sigilo telefônico de um jornalista de O GLOBO que fez matérias com base em investigações da Polícia Federal sobre ele no âmbito da Operação Acrônimo. A Associação Nacional de Jornais (ANJ) e a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (ABRAJI) condenaram a nova investida autoritária do governador mineiro.

Também nesta semana, a gestão petista simplesmente deletou todas as informações da Agência Minas (portal de notícias oficial do Estado) postadas entre 2003 e 2014 durante as gestões de Aécio Neves e Antonio Anastasia (PSDB) e de Alberto Pinto Coelho (PP). No afã de esconder legados das administrações anteriores, os petistas desprezaram o fato de que o acervo da Agência Minas pertence ao povo de Minas Gerais, até porque foi produzido com recursos públicos. Na nova versão do portal, que entrou no ar na última quarta-feira (21/10), só é possível encontrar notícias postadas a partir de 1º de janeiro de 2015, quando Pimentel tomou posse. Ou seja: Para os petistas de Minas, o Estado começou a existir nesta data. E ai de quem afirmar o contrário!

Fonte: O Tempo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s