Ao contrário do que alardeou na campanha, Pimentel corta investimentos e não prioriza hospitais regionais

jeitoPT

Mais uma promessa de campanha do então candidato do PT ao Governo de Minas, Fernando Pimentel, está sendo desmascarada. Além de mentir durante a campanha, afirmando que as obras dos hospitais regionais estavam paralisadas, o então candidato petista afirmou na propaganda eleitoral o seguinte: “Dinheiro para terminar as obras existe, sim. É preciso priorizar os investimentos”.

Uma vez eleito, Pimentel agiu como sua companheira de partido Dilma Rousseff: esqueceu a promessa. No orçamento de 2015, enviado por ele à Assembleia Legislativa, foi feita uma previsão de gastos nos hospitais regionais de R$ 347,5 milhões. Entretanto, passados mais de 10 meses de governo, apenas 30% desse valor foi executado pelo governo petista. E o pior: para o ano que vem, a previsão é que este valor caia para apenas R$ 150 milhões, ou seja, a menos da metade da previsão (não cumprida) de 2015.

A verdade é que, entre 2003 e 2014, os governos do PSDB em Minas viabilizaram a abertura das seguintes unidades hospitalares, localizadas em várias regiões do Estado: hospital regional de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, hospital Municipal Dr. Moisés de Magalhães Freire, em Pirapora, no Norte de Minas, hospital São Camilo em Coronel Fabriciano, no Vale do Aço, e hospital Municipal de Ibirité, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Além disso, ao final de 2014, haviam 11 novos hospitais regionais sendo implantados, dos quais oito em fase de construção (Uberaba, Sete Lagoas, Juiz de Fora, Divinópolis, Além Paraíba, Governador Valadares, Teófilo Otoni e Conselheiro Lafaiete) e três em licitação ou fase final de projeto (Montes Claros, Novo Cruzeiro e Nanuque), com previsão de investimentos de R$ 729,5 milhões.

Na realidade, as obras dos hospitais regionais foram paralisadas em 2015 (portanto, já na gestão petista), em virtude da demora na aprovação da Lei Orçamentária, que ocorreu por decisão do próprio governador Pimentel.

Sabe-se agora que, além de paralisar e atrasar as obras, o agora governador Fernando Pimentel também não está priorizando investimentos nessa área tão essencial para a população. Isto fica claro no fato de até agora seu governo ter aplicado menos de um terço do previsto para 2015 e na drástica redução do investimento previsto para essa área no orçamento do ano que vem.

PRO-HOSP beneficiou 155 hospitais em todas as regiões do Estado

Além dos investimentos na elaboração de projetos e em obras de hospitais regionais, entre 2003 e 2014, as administrações do PSDB desenvolveram o Programa de Fortalecimento e Melhoria dos Hospitais de Minas Gerais (Pro-Hosp/MG), a maior iniciativa do gênero já realizada no Estado. Por meio deste Programa, foram investidos, até 2014, mais de R$ 1,2 bilhão em 155 hospitais. Os recursos foram empregados na melhoria da infraestrutura, na implantação de novos serviços, na compra de equipamentos de alta tecnologia e no aprimoramento da gestão das unidades hospitalares.

Os resultados alcançados pelo Pro-Hosp podem ser mensurados pela representatividade do desempenho hospitalar do Programa em relação ao cenário estadual. Em 2014, os hospitais contemplados representavam 30% do parque hospitalar do Estado, possuíam mais de 50% dos leitos SUS existentes e executavam em média 60% da produção geral do SUS de Minas Gerais.

image

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s