Jeito PT de governar: Nomeações para cargos de confiança são mantidas enquanto concursados da Polícia Civil seguem sem definição

Governo Fernando Pimentel trata aprovados em concurso da PC com descaso e não envia representantes para audiência pública
Governo Fernando Pimentel trata aprovados em concurso da PC com descaso e não envia representantes para audiência pública na Assembleia Legislativa

Insensível ao pleito dos aprovados em concurso público para a carreira de investigadores da Polícia Civil, o governo Fernando Pimentel não sinaliza de forma concreta sobre a convocação, mas mantém nomeações diárias para cargos comissionados. De 2 de setembro até hoje, foram 271 nomeações, entre cargos de confiança (os chamados DADs, cargos de Direção e Assessoramento da Administração Direta) e funções gratificadas, sem exoneração correspondente, com impacto de quase R$ 8,1 milhões, incluindo o 13º salário e 1/3 de férias.

O descaso do governo de Minas é tão grande que, na tarde desta terça-feira (29/9), sequer enviou representantes para participar da audiência pública realizada pela Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) para discutir a situação dos aprovados e cobrar um cronograma de nomeações. A reunião foi solicitada pelo deputado Sargento Rodrigues (PDT) e teve a participação de cerca de 900 aprovados no concurso.

Na audiência, o deputado Sargento Rodrigues destacou a necessidade de manter a vigilância para cobrar a convocação dos aprovados. “O Fernando Pimentel, da Dilma, não tem nenhuma coerência. Ao contrário das promessas feitas, em setembro, não houve a nomeação de nenhum aprovado no concurso da Polícia Civil. Mas as nomeações para cargos em comissão, essas não foram interrompidas. Em menos de 30 dias, o impacto com a contração em cargos de confiança provoca um impacto de R$ 8, 1 milhões”, afirmou.

Sargento Rodrigues lembrou ainda que a contratação de policiais foi prometida por Fernando Pimentel, quando ainda candidato. “Pimentel, da Dilma, disse que iria contratar 12 mil policiais, o que dá uma média de 3 mil em cada ano de mandato”, destaca.

Contradições

As contratações para cargos comissionados estão ocorrendo após o secretário de Estado de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, anunciar, no início de setembro, que estavam suspensas novas nomeações de concursados e comissionados ou reajustes salariais em 2015.

Logo depois, no dia 18 de setembro, o próprio governador Fernando Pimentel assumiu o compromisso de nomear os concursados. Essa garantia também já foi dada em relação aos aprovados no concurso da Educação. Mas, até agora, não foram publicadas nomeações nem para a PC, nem para a Educação. Nesta terça-feira, o governo nomeou também 47 aprovados no concurso do Sistema de Meio Ambiente (Semad, Feam, IEF e Igam).

“A nomeação dos investigadores da Polícia Civil não é prioridade do governo Pimentel. O orçamento do estado está sendo usado pra outra coisa, temos que pressionar. Muitas pessoas alugaram apartamentos e se programaram para serem chamadas. Isso é uma irresponsabilidade do estado”, afirmou Hugo Leonardo Duarte, representante dos concursados.

Os deputados Antônio Carlos Arantes (PSDB), Dalmo Ribeiro (PSDB), do bloco de oposição Verdade e Coerência, e o deputado Antônio Jorge (PPS) também participaram da audiência e cobraram um posicionamento do governo. A reunião ainda teve a presença de excedentes do concurso do Corpo de Bombeiros, que também cobram a convocação.

Fonte: Bloco Parlamentar Verdade e Coerência

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s