PSDB não apoiará volta da CPMF, afirma Aécio Neves, ao lado dos governadores tucanos

“A posição do PSDB é a mesma que externei durante a campanha eleitoral até aqui. Somos contra o aumento dos impostos. O ajuste rudimentar que esse governo vem propondo se ancora, se sustenta em dois pilares. Primeiro deles, supressão de direitos dos trabalhadores, e o segundo, aumento de carga tributária. Ele deveria estar sustentado em dois outros pilares, que seria a redução de despesas, com a requalificação do Estado, e a retomada do crescimento, pois aí se arrecadará mais. E o governo me parecer não ter condições de fazer nem uma, nem outra coisa. Nem diminuir as suas despesas, nem tampouco estimular o país, os investidores e o mercado a participar da retomada do crescimento. Nós, do PSDB, não apoiaremos nenhuma proposta que puna ainda mais os já tão punidos cidadãos, consumidores e contribuintes brasileiros”, disse o presidente do PSDB durante entrevista neste sábado, em Cuiabá, ao comentar a proposta do governo Dilma Rousseff de recriar a cobrança da CPMF.

Assista

“Hoje o Brasil comemora a aliança da boa política”, diz Aécio sobre filiação de Pedro Taques ao PSDB

Aecio Neves - MT

Ao lado de todos os governadores tucanos e de várias lideranças nacionais e regionais, o presidente do PSDB, senador Aécio Neves, ressaltou neste sábado (29/08), em Cuiabá, que a filiação do governador de Mato Grosso, Pedro Taques, ao partido representa um momento histórico para a vida pública nacional, marcada por sucessivos escândalos de corrupção no governo federal e por uma grave crise econômica.

“Pedro Taques é uma pessoa com ideias, com história, uma vida irretocável, com demonstração permanente de amor a sua gente e a sua terra. Ele não é apenas mais um governador do PSDB, é a esperança de mais honestidade na vida pública. Hoje o Brasil comemora a aliança da boa política”, ressaltou Aécio Neves durante evento de filiação que reuniu cerca de 5 mil pessoas no centro de convenções do Hotel Fazenda Cuiabá.
Continuar lendo

Procuradoria Geral da República reconhece inocência de Anastasia e pede ao STF arquivamento de inquérito

Senador Antonio Anastasia (PSDB-MG)
Senador Antonio Anastasia (PSDB-MG)

Ex-policial que mentiu em depoimento para tentar incriminar o senador foi condenado a 11 anos e 10 meses de prisão pelo juiz Sérgio Moro

O procurador geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta sexta-feira (28/08) o arquivamento do inquérito aberto contra o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) no âmbito da operação Lava Jato. Na prática a ação é um reconhecimento da inocência do ex-governador mineiro que foi investigado nos últimos 6 meses pela Polícia Federal e pela Procuradoria Geral, segundo a qual não foram encontrados “elementos mínimos” que justificasse a continuidade do inquérito.

Durante todo esse período nenhum fato ou indício foi encontrado de forma a confirmar a versão apresentada pelo ex-policial Jayme Alves de Oliveira Filho, conhecido como Careca. Segundo as investigações ele trabalhava distribuindo recursos ilícitos para o doleiro Alberto Youssef, acusado de ser operador de esquemas entre empreiteiras, políticos e a Petrobras. Continuar lendo