Pimentel se apropria de realizações de gestões anteriores

nova atitude

“Suposta prestação de contas” omite dados e falseia a realidade para tentar enganar os mineiros com resultados inexistentes do PT em Minas

Sem ter o que mostrar como resultado obtido no primeiro semestre deste ano, o governo Fernando Pimentel se restringe a divulgar mentiras, criticar ou tentar assumir a paternidade de programas e iniciativas das administrações anteriores. É isso o que se constata ao ver o balanço de seis meses divulgado pelo PT, uma suposta “prestação de contas” cheia de inverdades e omissões de dados, como denuncia os deputados do bloco de oposição Verdade e Coerência, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

Na saúde, o governo do PT diz que assumiu o compromisso de concluir e construir oito hospitais regionais, mas “esquece” de dizer que a gestão passada iniciou os trâmites para construção de 11 novas unidades hospitalares. Pelo visto, o governo desistiu das obras de Montes Claros, que estava em licitação no final de 2014, Novo Cruzeiro e Nanuque, cujos projetos estavam em elaboração. Além disso, o governo do PT chegou a paralisar as obras de dois hospitais neste ano (Governador Valadares e Teófilo Otoni).

Ainda na Saúde, o atual governo subestima e inteligência dos mineiros ao dizer que em apenas 30 dias organizou a Rede de Urgência e Emergência Sul, com sede no município de Varginha.

Isso implicaria, dentre tantas outras tarefas, neste prazo: na realização de nove oficinas de trabalho na região de saúde, envolvendo todos os segmentos do setor (hospitais, gestores municipais, dentre outros), o que só é possível, dentro do protocolo já desenvolvido para a implantação das redes, acontecer ao longo de 12 meses; na implantação da classificação de risco em todas as unidades de saúde; e na construção da estrutura física da sede do complexo regulador e operacional de um sistema com 45 ambulâncias de suporte básico e avançado. Evidentemente tudo isso não foi feito em apenas 30 dias. E o que o atual governo não diz é que a inauguração só não ocorreu em 2014 devido a atrasos causados pelo Ministério da Saúde.

No balanço de seis meses, o PT destaca também as ações do Programa Minas Competitiva, parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e Sebrae Minas para diversificar a produção mineira.

“Propositadamente, para enganar os mineiros, o PT ‘esqueceu’ de informar que a operação de crédito que vai permitir investir US$ 70 milhões de dólares foi concebida e iniciada pela gestão anterior, que negociou o contrato com o BID, Sebrae e Fiemg. É inacreditável a cara de pau para mentir para os mineiros”, denuncia o deputado Gustavo Corrêa (DEM), líder do bloco.

Na suposta “prestação de contas”, o governo diz que 107 convênios do ProMunicípios resultaram na transferência de recursos da ordem de R$ 12,5 milhões. Mas omite que esse programa foi lançado em 2013 e todos os convênios foram firmados na gestão passada. Entre 2013 e 2014, foram investidos R$ 302,02 milhões nos municípios por meio desse programa, com doação de máquinas e equipamentos e convênios para obras de infraestrutura.

Segurança

Na área de segurança, o PT afirma que deu início à construção de oito unidades prisionais, com um total de 3.142 vagas. A ordem de início realmente foi dada em 2015 uma vez que dependia de recursos pela Caixa Econômica Federal e da análise e aprovação do BNDES, mas todo o planejamento, contratação e elaboração de projetos, licitação e contratação da obra foram concretizados por meio de convênios negociados e assinados em 2013.

“O PT está dizendo que inaugurou um tempo de transparência. Ele tem se esforçado muito é para entrar para a história como um governo inoperante e que só divulga mentiras. É impressionante como esse governo gasta recursos públicos e o precioso tempo de seus servidores para esconder as iniciativas inovadoras e bem-sucedidas das administrações anteriores e para falsear a realidade, enquanto deveria trabalhar pelo desenvolvimento do Estado”, afirma Corrêa.

Relançamento

O governo do PT mente ainda ao dizer que lançou ou projeto Minas 2016 para organizar as ações necessárias à realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. Basta consultar o Plano Plurianual de Ação Governamental, o PPAG, pra saber que esse programa foi lançado em 2012.

O deputado Gustavo Valadares (PSDB), líder da Minoria, lembra que a escolha de Belo Horizonte como uma das cidades-sede do futebol masculino e feminino durante os jogos Olímpicos Rio 2016 foi anunciada no ano passado. Mas, no balanço de seis meses, o governo do PT diz que a decisão ocorreu em 2015.
“Nós, deputados da oposição em Minas e os mineiros continuamos aguardando a divulgação e o lançamento de programas, iniciativas e obras do governo do PT. Continuamos aguardando o cumprimento das promessas de campanha”, dispara Valadares.

Confira no ObservatórioMG:
http://observatoriomg.com.br/a-verdade-dos-fatos/

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s