Deputados condenam proposta do governo Dilma de aumentar os impostos em 2016

Para Caio Narcio, por falta de planejamento do governo, trabalhador paga mais tributos
Para Caio Narcio, por falta de planejamento do governo, trabalhador paga mais tributos

Deputados do PSDB rechaçaram nesta segunda-feira (24/8) qualquer tentativa de aumento de impostos no país. Os tucanos entendem que não há clima para se aprovar propostas nesse sentido no Congresso e nem razões para isso, pois a carga tributária brasileira já é muito alta. Mesmo com os impostos tendo atingindo 35,42% do PIB em 2014, segundo o IBPT, o governo irá sugerir aumento de tributos na peça orçamentária de 2016 que deverá ser enviada ao Legislativo nesta semana.

Os parlamentares analisam que o cenário atual já é de alto peso dos tributos sobre a renda dos trabalhadores. De acordo com o IBPT, a carga tributária sobre o PIB, que já era alta, cresceu, entre 2013 e 2014, em 0,39 ponto percentual, chegando a 35,42%. Durante o primeiro mandato de Dilma, houve aumento de 1,66 ponto percentual da carga tributária. Continuar lendo

Anunciado sem detalhes pelo Planalto, corte de ministérios é cobrado há anos por tucanos

MINISTERIOS

Com um atraso enorme, o governo Dilma anunciou nesta segunda-feira (24/8) a intenção de cortar dez ministérios. Em mais um típico exemplo de uma gestão perdida e desorganizada, não informou quais pastas serão extintas e o impacto financeiro da proposta. O fato é que a providência é tardia: há anos deputados do PSDB vêm cobrando cortes na gigantesca máquina montada pelo PT, composta por 39 pastas. Há mais de três anos, por exemplo, a bancada foi ao Planalto apresentar uma sugestão de reforma administrativa, mas o plano que traria economia bilionária aos cofres públicos foi ignorado.

Na proposta entregue em 9 de fevereiro de 2012, os tucanos propuseram uma reengenharia administrativa do governo federal. As ações abrangiam a redução e/ou fusão de ministérios e a diminuição no custeio da máquina pública e no número de cargos comissionados. Se tivesse sido adotada na ocasião, a economia da reestruturação chegaria a R$ 3,3 bilhões ao ano. Continuar lendo

Destaque na imprensa: Agência contratada pelo PT paga R$ 20 mil de salário a criador de Dilma Bolada

dilma boladaReportagem da revista Época traz o que todos já sabiam ou pelo menos desconfiavam: o responsável pela página Dilma Bolada no Facebook, Jeferson Monteiro, que jurava fazer elogios à “diva” por amor, na verdade, recebe um pixuleco de R$ 20 mil da agência Pepper. As provas estão em documentos enviados por advogados da agência Pepper Interativa ao Superior Tribunal de Justiça.

Apesar das evidências, o criador da Dilma Bolada insiste que não recebe do PT para manter o personagem nas redes sociais. Jeferson afirma que apenas presta serviços a Pepper. Acredite se quiser…

Os brasileiros, e os mineiros em particular, foram apresentados à agência Pepper por meio da Operação Acrônimo, em que a Polícia Federal descobriu evidências dum esquema de lavagem de dinheiro e corrupção envolvendo o governador Fernando Pimentel, e operadores do PT. A revista já mostrou que a dona da Pepper, Danielle Fonteles, é investigada por intermediar pagamentos do BNDES para a mulher de Pimentel, Carolina Oliveira, no período que ele era ministro de Dilma e chefiava o banco. A Pepper é uma espécie de agência parapartidária do PT.

Leia abaixo matéria completa publicada pela revista “Época“: Continuar lendo

Em queda livre

itv-logo534

Com a economia apontando para uma recessão inédita em 85 anos, as medidas tomadas até agora por Dilma aprofundaram a crise ou ressuscitaram políticas fracassadas. O problema é que a presidente da República não tem para entregar o principal ingrediente de uma economia que precisa sair da crise: credibilidade, ressalta a análise do Instituto Teotônio Vilela (ITV) desta segunda-feira (24/8). Confira abaixo. Continuar lendo