Petrobras suspende construção de fábrica de amônia em Uberaba

Para deputados da oposição, essa é mais uma demonstração de descaso dos governos do PT, federal e estadual, com Minas

petrobras-amonia

A Petrobras admitiu nesta quarta-feira (1º/7) a suspensão da construção da fábrica de amônia em Uberaba. A estatal alega que a Gasmig “não apresentou evidências de que vai construir o gasoduto no prazo e nas condições acordadas no contrato celebrado”. Ontem, o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), Altamir Rôso, também reconheceu que não há qualquer garantia de que o projeto será mesmo concretizado.

“É inaceitável que Uberaba, Minas e o país fiquem sem esse empreendimento. Abandonar o projeto é mais uma demonstração de descaso do PT com Minas, descaso tanto por parte do governo federal como de Pimentel”, afirma o líder da oposição na Assembleia Legislativa, Gustavo Corrêa. O gasoduto seria construído pelo governo de Minas ligando Queluzito (próximo a Betim, na região Metropolitana de Belo Horizonte) a Uberaba, no Triângulo Mineiro.

Em nota à imprensa, a Petrobras disse ainda que “entende que, atualmente, o investimento na construção desse projeto, com base na relação custo-benefício, não se mostra adequado em comparação a outros negócios da companhia”.

Corrêa ressaltou que esse é mais um estelionato eleitoral do PT em Minas, com promessas feitas para enganar a população. Pimentel garantiu que o gasoduto seria construído e a construção da fábrica de amônia, que dependente do gasoduto, foi anunciada pela presidente Dilma Rousseff em Uberaba em março de 2014.

Mas, ao contrário do prometido, o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), Altamir Rôso, reconheceu que não já qualquer garantia de que o projeto será mesmo concretizado.

Petrolão

“Não podemos admitir que os mineiros sejam prejudicados pelo Petrolão, pelo maior esquema de corrupção na Petrobras que a cada dia deixa os brasileiros estarrecidos”, afirma o deputado Corrêa. Desde que foi denunciado o esquema de corrupção envolvendo o PT, a Petrobras vive uma crise sem fim.

Ao informar que a planta de amônia em Uberaba está entre os projetos que entraram em “hibernação”, o secretário de Pimentel disse ainda que a Cemig e sua subsidiária Gasmig, responsável pela construção do gasoduto, ainda não têm nada definido. As declarações do secretário foram divulgadas pela imprensa nesta quarta-feira (1/7).

Rôso ainda admitiu não ter dúvidas de que o atual cronograma de obras não será cumprido. Ou seja, apesar de prometido, a fábrica da Petrobras, um investimento de R$ 2 bilhões não entrará em operação em 2017 e nem gerará empregos, já que depende da implementação do gasoduto.

Fonte: Bloco Verdade e Coerência

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s