Aécio Neves critica sabatina coletiva e defende aprimoramentos na CCJ

Aecio-neves-CCJ

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves, criticou nesta quarta-feira (17/06) a sabatina simultânea de 10 indicados para o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. O senador afirmou que a sabatina pelo Parlamento de nomes que desempenharão funções importantes na área pública foi reduzida a uma etapa homologatória das nomeações, perdendo assim a função de preservar o interesse da sociedade.

“O que ocorre hoje nessa sessão é algo inexplicável. É algo, a meu ver, inaceitável. Porque é impossível que possamos, em uma só sessão, sabatinar dez ilustres indicados. Não podemos transformar a sabatina em um mero instrumento homologatório. Não é para isso que ela serve, não é essa a sua função. Fica aqui o registro que faço de que temos que tratar as sabatinas como elas efetivamente devem ser: a oportunidade de o sabatinado mostrar-se como a sua história de vida e, obviamente, os objetivos que tem ou que terá no cumprimento das funções para as quais foi indicado”, afirmou Aécio Neves, que integra a CCJ no Senado.

Aécio ressaltou que a CCJ deve se espelhar em boas práticas e não repetir equívocos. “As boas práticas são aquelas que devem ser repetidas e reiteradas. Os equívocos não. Se no passado essa comissão, e não estava eu aqui, se reuniu para sabatinar ao mesmo tempo 10, 15, 20, 30, 50 indicados, o fez a meu ver também equivocadamente. Não podemos com essa justificativa de que já ocorreu isso no passado, continuarmos reiteradamente no equívoco”, defendeu.

Projeto de resolução

Ao criticar a sabatina coletiva, o presidente do PSDB voltou a cobrar da CCJ a votação de seu projeto de resolução que regulamenta as sabatinas de indicados para o STF. A proposta é de que o indicado passe por três etapas antes que ocorra a votação no plenário do Senado. Pelo projeto, a primeira sabatina deverá ser em audiência pública com participação da sociedade. Hoje é feita apenas uma sabatina restrita a parlamentares da CCJ do Senado.

“Apresentei um projeto que foi relatado pelo senador [Ronaldo] Caiado e já entregue a esta comissão que regulamenta e transforma a sabatina naquilo que efetivamente ela deve ser: a oportunidade do sabatinado externar seus pontos de vista, defender-se de determinados questionamentos, permitindo que nós, senadores, em nome da sociedade brasileira, conheçamos aqueles que estão sendo indicados para os seus respectivos cargos”, ressaltou.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s