Com amplo apoio do PT, proposta de Dilma que reduz direitos trabalhistas é aprovada na Câmara

votacao

A sessão que debateu a Medida Provisória 665/14, que dificulta o acesso dos trabalhadores a direitos como o seguro-desemprego, foi marcada por manifestações das galerias e discursos da oposição contrários à tentativa do PT de apunhalar os brasileiros pelas costas. A reunião chegou a ser suspensa e houve discussão em plenário. Na noite desta quarta-feira (06/05), os parlamentares aprovaram o texto-base da proposta em votação apertada: 252 votos favoráveis e 227 contrários. A bancada do PSDB votou em peso contra a proposta. O PT, ao contrário, votou pela aprovação da matéria.

A MP faz parte do pacote de ajuste fiscal divulgado pela presidente Dilma Rousseff no fim do ano passado. A necessidade de corte de gastos, usada pela bancada petista como argumento para aprovar o texto, só existe porque o governo Dilma criou a crise vivida pelo Brasil, analisa o deputado Nilson Leitão (PSDB-MT).

“Temos que deixar claro para a população que quem criou este momento de crise foi a presidente Dilma com o desgoverno, a corrupção, a incompetência e a inoperância. Ela não pode cobrar essa conta do trabalhador”, afirmou. A solução, acredita o tucano, é buscar uma alternativa dentro do próprio governo, enxugando a máquina. Fragilizar uma proteção ao trabalhador que perde o emprego é a pior maneira de resolver o problema.

Ouvir um representante do PT afirmar que a MP não retira direitos dos brasileiros é debochar covardemente da inteligência do brasileiro, alega o deputado Domingos Sávio (PSDB-MG). Ele deu um exemplo claro: um trabalhador que ganha até dois salários mínimos e teve 30 dias assinados na carteira de Trabalho no ano anterior tem direito a receber o valor do abono salarial. Com a MP, ele teria que trabalhar no mínimo três meses no ano anterior e receberia apenas parte do montante devido. Assista ao vídeo gravado pelo deputado Domingos Sávio

O líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), classificou a atitude do governo como uma “facada nas costas” do povo.

Deputados levaram ao plenário faixas e cartazes para protestar contra a MP. A foto da presidente Dilma aparece em um cartaz abaixo das palavra “Procurada”, com uma lista de acusações: roubar o seguro-desemprego, o seguro-defeso dos pescadores e as pensões. Eles exibiram notasimitando o dólar, mas com a inscrição “PTro dollar” e fotos de Lula, Dilma e João Vaccari Neto, o tesoureiro afastado do PT preso em abril na operação lava Jato, da Polícia Federal. As notas foram jogadas das galerias em uma “chuva de petrodólares”. A oposição organizou ainda um “panelaço” em plenário, resgatando o protesto dos brasileiros contra a propaganda eleitoral do PT. Eles entoaram a paródia de um conhecido refrão: “PT pagou com traição a quem sempre lhe deu a mão”. Assista 

“O Partido dos Trabalhadores usou o horário eleitoral para falar para o Brasil inteiro que é contra tirar o direito do trabalhador. E vem cá e defende isso. Vamos amadurecer e achar outro caminho que não seja tirar direito do trabalhador. Há outras alternativas para fazer ajuste fiscal”, defendeu Sávio. Arthur Virgílio Bisneto (PSDB-AM), por sua vez, revelou que as máscaras estão caindo. “Quem trouxe essa maldade para a vida de vocês foi a Presidente da República. Quem está retirando direito dos trabalhadores é a Presidente da República”, completou.

Petrodólar

petrodolares

A votação desta quarta-feira mostrou de maneira efetiva os rumos tomados pelo PT, que esqueceu os trabalhadores, frisou Vanderlei Macris (PSDB-SP). Na avaliação dele, a história do partido que começou defendendo a classe produtiva foi reconstruída. “Hoje a aliança do PT é na direção do capital, não mais do trabalho. Quando retiram direitos dos trabalhadores, mostram a mudança de rumos”, explicou. O Brasil assiste à destruição do Estado e a população dá sinais de cansaço. O panelaço durante a propaganda política do PT indica a falta de credibilidade do partido perante a sociedade. “Essa postura retrógrada de ajuste fiscal caiu nas cotas dos trabalhadores”, resumiu o parlamentar.

A aprovação da MP é um momento triste pra os brasileiros, acrescentou João Gualberto (PSDB-BA). Durante os mandatos do ex-presidente Lula e de Dilma, o PT sempre alegou lutar por benefícios trabalhistas, mas hoje age no sentido contrário. “É bom que se diga que desde 1975 existe, por exemplo, o abono salarial. O PT não deu nenhum benefício nem ampliou”, repudiou o deputado.

Leia também Ajuste fiscal de Dilma é facada nas costas do trabalhador, alerta líder do PSDB

Fonte: Diário Tucano

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s