Programa Farmácia de Minas chegará a mil unidades em todo o Estado, garante Pimenta da Veiga

Rede responsável pela distribuição gratuita de medicamentos do SUS  nos 853 municípios mineiros será ampliada por Pimenta da Veiga
Rede responsável pela distribuição gratuita de medicamentos do SUS
nos 853 municípios mineiros será ampliada por Pimenta da Veiga

O candidato a governador pela Coligação Todos por Minas, Pimenta da Veiga, garantiu nesta terça-feira (16/09), em Belo Horizonte, que vai dobrar o número de unidades das Farmácias de Minas, passando das cerca de 500 hoje existentes para mil em todo o Estado. A rede, responsável pela distribuição gratuita de medicamentos do Sistema Único de Saúde (SUS) nos 853 municípios mineiros, é referência em serviços farmacêuticos para a população.

“Vamos manter e aumentar o Farmácia de Minas. Hoje são, mais ou menos, 500 unidades. Nós vamos dobrar para mil unidades em todo o Estado”, assumiu Pimenta da Veiga, ao participar de encontro com integrantes do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Minas Gerais (Cosems-MG). E completou: “vamos também estimular o sistema que existe hoje de transporte para consultas. Então, é um conjunto de ações muito fortes, mas que tem como base a regionalização e a valorização do atendimento em cada cidade”.

Lançado em 2008 pelo Governo do Estado, o Farmácia de Minas tem o objetivo de garantir acesso da população aos medicamentos gratuitos distribuídos pelo SUS, com atendimento de profissionais qualificados. Cada unidade disponibiliza mais de 150 tipos de medicamentos básicos. Até o final deste ano, serão cerca de 16 milhões de pessoas atendidas em todas as regiões mineiras.

Pimenta da Veiga reafirmou que manterá e expandirá outros programas de saúde já em funcionamento no Estado e que têm dado importantes resultados para a população, como a rede de hospitais regionais e os consórcios de saúde. O candidato do PSDB voltou a criticar a concentração de recursos em poder do governo federal, o que prejudica estados e municípios, e defendeu uma efetiva ação política para a alteração do Pacto Federativo.

“É um absurdo. Hoje, há uma enorme distorção no Brasil, porque dois terços das rendas públicas estão concentradas no poder federal e não há necessidade disso. O governo federal não tem razões para acumular tantos recursos, enquanto estados e municípios estão à míngua. Então, com o prestígio de governador de Minas, vamos desenvolver uma ação política para contribuir para que isso seja alterado”, destacou.

Saúde garantida

Nos últimos 12 anos, Minas se dedicou ao cumprimento das metas propostas para fazer da saúde de Minas Gerais o que ela é de fato: a melhor saúde pública da região Sudeste e a quarta melhor do Brasil, segundo o Índice de Desenvolvimento do SUS, do Ministério da Saúde. Essa liderança se deve à construção de redes de saúde, nos três níveis de atendimento: primário (básico), secundário (média complexidade) e alta complexidade, com vistas a preencher os vazios assistenciais existentes em todo o Estado, garantindo que todos os mineiros tenham acesso à saúde em locais próximos de suas casas.

Entre os avanços garantidos em Minas destaca-se o Pro-Hosp, programa voltado para o fortalecimento e modernização de 148 hospitais em 114 municípios mineiros. Com isso, a oferta de atendimento hospitalar de alta e de média complexidade foi ampliada em todas as regiões do Estado, superando as desigualdades e as distâncias. Para assegurar o custeio e promover melhorias na infraestrutura, com ampliação, construção e compra de equipamentos mais modernos para os hospitais integrantes da rede Pro-Hosp, o Governo de Minas já investiu mais de R$1 bilhão do Tesouro Estadual.

Além de modernizar e melhorar a infraestrutura de 148 hospitais, o Governo de Minas está investindo na construção de nove hospitais regionais de grande porte, todos, com, no mínimo, 100 leitos, que ofertarão 100% dos serviços ao SUS, com atendimento de urgência e emergência e todos com leitos de UTI. No total, serão abertos 2 mil leitos.

O investimento do Governo de Minas na construção dos hospitais ultrapassa R$ 710 milhões de receita própria. Além disso, o Governo de Minas equipará os hospitais, contratará as equipes e ficará responsável pela maior parte do custeio, como acontece hoje com o Hospital Regional de Uberlândia, no qual há investimento mensal de mais de R$ 20 milhões para custeio. Às prefeituras cabe a doação dos terrenos e a complementação do custeio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s