Ministro da Justiça não sabe o que fala nem o que faz

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, demonstrou publicamente profundo desconhecimento da sua própria pasta ao tentar rebater os dados, todos corretos, que o candidato à Presidência da República Aécio Neves apresentou em sabatina promovida pelo jornal O Estado de S.Paulo.

O ministro primeiro tentou desmentir que a Polícia Federal tenha o menor orçamento para investimentos desde 2009 e alegou desconhecer de onde Aécio retira os seus dados. Aécio os retira do Siafi, que computa os números oficiais do próprio governo federal. Em 2014, a dotação para investimentos na PF foi de R$ 204,1 milhões. Em 2009, foi de R$ 204,9 milhões. Em 2013, de R$ 242,6 milhões. Em 2012, de R$ 414,6 milhões. Em 2011, de R$ 333,1 milhões. Em 2010, de R$ 272,5 milhões. E, em 2009, foi de R$ 204,9 milhões.
O problema fica mais grave quando se percebe que, do orçamento da PF para 2014, até março 29,8% havia sido contingenciado. Segundo dados do Congresso em Foco, os investimentos de fato executados caíram de R$ 82 milhões em 2002 para R$ 20 milhões em 2012. Continuar lendo

Pimenta anuncia o programa “Minas Educa Mais” como novo marco para o ensino público

Em visita ao Sul do Estado, Pimenta disse que iniciativa tem como meta a valorização do educador e a ampliação do ensino integral e profissionalizante
Em visita ao Sul do Estado, Pimenta disse que iniciativa tem como meta a valorização do educador e a ampliação do ensino integral e profissionalizante

A adoção de um novo modelo de gestão para o setor da educação estadual é o grande pilar do programa de governo de Pimenta da Veiga, para fazer com que a rede de ensino de Minas, que já possui qualidade atestada pelo próprio governo federal, possa avançar ainda mais. Em visita à cidade de Itajubá, no Sul do Estado, nesta sexta-feira (29/08), Pimenta anunciou o Programa Minas Educa Mais, que ele vai implantar no Estado, caso eleito governador do estado. O programa atuará em três vertentes: valorização dos professores, ampliação da rede de ensino integral e a expansão do ensino profissionalizante.

Pimenta da Veiga lembra que a criação do Programa Minas Educa Mais visa reforçar a política remuneratória já praticada pelo Governo de Minas Gerais, que fizeram com que o Estado obtivesse um nível de excelência no ensino público. Desde 2011, o Estado paga valor superior ao estabelecido pelo Ministério da Educação. “O piso em Minas está, proporcionalmente, 42,93% acima do estabelecido pelo MEC para uma jornada de 40 horas semanais. Mas nós queremos valorizar ainda mais o nosso magistério”, afirma o candidato a governador, que sempre repete ter orgulho de ser filho de professores. Continuar lendo

Governo Aécio terá novo modelo de política econômica

Aécio visitou com o governador e candidato à reeleição, Geraldo Alckmin, a estação Vila Prudente, da Linha 15 Prata do Monotrilho, em São Paulo. Foto Marcos Fernandes
Aécio visitou com o governador e candidato à reeleição, Geraldo Alckmin, a estação Vila Prudente, da Linha 15 Prata do Monotrilho, em São Paulo. Foto Marcos Fernandes

O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, comprometeu-se, nesta sexta-feira (29/08), a adotar um novo modelo de política econômica ao assumir o governo, para combater o quadro de recessão técnica em que o país se encontra. De acordo com os dados divulgados hoje, o PIB (Produto Interno Bruto) caiu 0,6% no segundo trimestre de 2014 em relação aos três primeiros meses do ano.

Com o resultado ruim da economia, o país está em recessão técnica, quando o resultado do PIB de dois trimestres seguidos apresenta queda.

“Mais do que nunca fica claro que esse modelo que está aí fracassou. Temos as melhores condições de apresentar ao Brasil não apenas uma proposta de mudança, mas uma mudança consistente, uma mudança clara, na direção da retomada do crescimento, do combate firme à inflação e também da volta dos empregos, com o fortalecimento da economia”, disse Aécio em entrevista em São Paulo (SP). Continuar lendo

Aécio desenvolveu todas as regiões de Minas com novos investimentos

Ao assumir o governo de Minas em 2003, Aécio definiu pilares como a eficiência da máquina pública
Ao assumir o governo de Minas Gerais em 2003, Aécio definiu pilares como a eficiência da máquina pública

A atração de novos investimentos para promover o desenvolvimento econômico sustentado de todas as regiões de Minas Gerais foi uma das principais estratégias de Aécio Neves quando governou o Estado. Hoje, candidato à Presidência da República, Aécio defende a recuperação da credibilidade do governo federal como ponto fundamental para que Brasil volte a atrair investimentos, que gerem mais empregos de qualidade e mais renda para toda a população.

Ao assumir o governo de Minas em 2003, Aécio definiu pilares como a eficiência da máquina pública, com base no modelo “Choque de Gestão”, os planejamentos de médio e longo prazo e a retomada da confiança no governo para reanimar a economia. O ex-secretário de Desenvolvimento Econômico, Wilson Brumer, lembra que o momento vivido pelo Estado há doze anos era muito semelhante ao que o Brasil enfrenta atualmente. Continuar lendo

Aécio: “Apresento a possibilidade concreta de transformar sonhos numa realidade melhor”

Foto Igo Estrela/Coligação Muda Brasil
Foto Igo Estrela/Coligação Muda Brasil

O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, afirmou na noite desta quinta-feira (28/8), em comício em Campinas, que o seu projeto de governo é o único capaz de transformar os sonhos dos brasileiros em uma realidade melhor.

“Sonhos todos nós os temos. É legítimo que nós tenhamos. Eu apresento ao Brasil a possibilidade concreta de transformar os nossos sonhos numa realidade melhor para milhões de brasileiros que esperam mudanças e transformações”, ressaltou o candidato.

Aécio afirmou que a candidata à Presidência da República Marina Silva (PSB) precisa começar a apresentar as propostas de governo e criticou a ideia da candidata de governar de maneira difusa com apoio dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Fernando Henrique Cardoso (PSDB). “Tenho respeito pela candidata Marina. Agora, é preciso que ela diga com muita clareza o que significará seu governo, porque me parece um pouco confusa essa ideia de alguns de seus assessores que querem governar com Lula e Fernando Henrique. Mas com qual direção?”, questionou.

Perguntado sobre a reação de Marina Silva à sua afirmação de que o Brasil não é para amadores nem principiantes, Aécio respondeu: “Surpreende que ela já tenha se considerado amadora porque eu não a citei. É um reconhecimento de um certo improviso em relação à sua candidatura”. Continuar lendo