Pimenta da Veiga percorrerá mais 40 cidades nas próximas semanas

Pimenta da Veiga já visitou mais de 100 municípios de todas as regiões do Estado. Foto Leo Lara
Pimenta da Veiga já visitou mais de 100 municípios de todas as regiões do Estado. Foto Leo Lara

As principais demandas de mais de 100 municípios de todas as regiões do Estado estão sendo ouvidas, desde outubro do ano passado, pelo candidato do PSDB ao Governo de Minas, Pimenta da Veiga. No próximo mês, o ex-ministro percorrerá outras 40 cidades para conhecer problemas e desafios enfrentados pelos prefeitos e lideranças regionais.

As visitas em cada município reúnem políticos, administradores municipais, lideranças comunitárias, moradores e empresários para o compartilhamento de sugestões e problemas. Pimenta da Veiga destaca o interesse na opinião de cada mineiro para a construção de novas propostas em favor do desenvolvimento regional do Estado.

“A opinião do mais simples cidadão de Minas pode mudar o rumo da história. Por isso, minha campanha será totalmente pautada no diálogo. É isso que tenho feito há meses, ao visitar cerca de 100 cidades e conversar com todas as lideranças possíveis, mesmo nos menores e mais longínquos municípios. O importante é continuar pelo interior para estruturarmos cada dia mais nossas propostas para o desenvolvimento”, explica Pimenta.

Respeito à vocação regional

O candidato do PSDB já percorreu municípios de todas as macrorregiões do Estado e destaca a importância e seu interesse em respeitar a vocação econômica de cada região mineira.

No Triângulo Mineiro, incluindo o Pontal do Triângulo, Pimenta ressalta a importância da implantação do Gasoduto para o desenvolvimento industrial da região. O Sul de Minas será valorizado por meio de seu polo de tecnologia, levando em conta o projeto do candidato em tornar Minas o Estado da inovação.

Minas Gerais também é conhecida por meio de seus importantes polos econômicos, como o moveleiro, na região de Ubá, os de café e leite, no Sul e Zona da Mata, os de cachaça, concentrados mais no Norte e no Sul do Estado, além da fruticultura. “Temos, acima de tudo, que valorizar produtores e empreendedores mineiros. Vamos declarar guerra contra a burocracia que atrapalha as principais produções de nosso Estado e priorizar a agregação de valor aos produtos mineiros, fazendo que ele ganhe mais credibilidade nos mercados interno e externo”, disse Pimenta da Veiga.

Para ele, não se faz política sem a participação cidadã. “É preciso ouvir todas as demandas e reivindicações dos nossos prefeitos, maiores conhecedores da realidade da população. O município é, sim, protagonista entre os entes federados”, destacou o candidato Pimenta da Veiga, ao relembrar, ainda, a necessidade de descentralizar recursos públicos para que municípios tenham mais autonomia.

“O governo federal tomou toda a renda do País, fica com mais de 70% dos recursos. È uma visão equivocada, temos que descentralizar o Brasil. Devemos dar recursos aos prefeitos para eles empregarem em favor da população, e o governo federal não faz isto. É preciso refazer o pacto federativo, que castiga tanto os municípios. As desonerações feitas pelo governo federal atingiram diretamente o Fundo de Participação dos Municípios. Não é possível fazer isso sem consultar as prefeituras e oferecer algum tipo de compensação”, disse Pimenta.
Objeto desconhecido

Foco no município

A preocupação do Governo de Minas com todos os 853 municípios se reflete nos inúmeros projetos já implementados em prol do desenvolvimento de cada um.

A recuperação e construção de novas rodovias, por exemplo, tem propiciado a várias regiões de Minas Gerais a dinamização da economia, o aumento da competitividade, melhor escoamento da produção, além do conforto à população. Atualmente, cerca de 70% da malha rodoviária pavimentada do Estado estão em ótimas condições de conservação.

Pimenta da Veiga ressalta que foram feitos acessos em todos os municípios do Estado, exceto em cinco cidades, onde a construção das estradas depende do governo federal. “O que dependia do governo do estado foi feito. Já as rodovias federais continuam matando”, disse.

Também foi levada telefonia móvel a todas as cidades, promovendo o desenvolvimento econômico e social em todas as regiões e possibilitando o acesso a informações e a vários serviços.

”A universalização da telefonia e da internet é minha preocupação antiga. Quando fui ministro das Comunicações, no governo FHC, levei adiante a privatização das telecomunicações, que estabeleceu concorrência entre as operadoras e tirou comunidades inteiras do isolamento. Quando cheguei ao Ministério, havia poucos milhões de celulares no Brasil. Hoje são 300 milhões. Resultado das medidas daquele instante. Por isso já construímos uma boa base sobre a qual podemos avançar ainda mais. O programa Minas Comunica, por exemplo, que já está na segunda etapa, vai implantar, até o início de 2016, cobertura celular em mais 692 distritos de Minas”, explicou Pimenta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s