Diárias de Dilma poderiam ser convertidas em 375 benefícios do Bolsa-Família

cq5dam_web_720_405-300x168A presidente Dilma Rousseff e sua comitiva fizeram uma escala luxuosa em Lisboa, Portugal, no último sábado (25). Dilma e seus assessores diretos ocuparam 15 quartos no Hotel Ritz, um dos mais caros da capital portuguesa, enquanto os demais ficaram em 30 apartamentos do Hotel Tivoli – cinco estrelas. Convertendo as despesas de Dilma e assessores em Lisboa em benefícios do Bolsa Família seria possível ajudar até 375 pais ou mães que têm filhos em idade escolar.

Só a diária da presidente custou R$ 26,2 mil. O jornal O Estado de S. Paulo informa que no total foram gastos mais de R$ 71 mil em diárias para apenas um pernoite. De Lisboa, Dilma seguiu com os assessores para Havana, em Cuba. Em geral, esses gastos são pagos com cartões corporativos cujas despesas da Presidência da República não são divulgadas sob a justificativa de segurança nacional.

Convertendo apenas a diária da presidente, poderiam ser pagos benefícios no valor de R$ 70,00, que é o máximo, para 375 famílias. Já a conta total do hotel, no valor de R$ 71 mil, poderia beneficiar 1.015 famílias. A escala em Lisboa foi uma surpresa para a imprensa e o público, pois na agenda oficial não estava prevista.

Pompas

A assessoria do Palácio do Planalto confirmou que fazem parte da comitiva os ministros Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), Luiz Alberto Figueiredo (Relações Exteriores) e Helena Chagas (Secretaria de Comunicação Social da Presidência), além do assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia.

Na noite de sábado (25), Dilma jantou com o embaixador do Brasil em Portugal, Mário Vilalva, e Helena Chagas, no Restaurante Eleven. No restaurante, o valor por pessoa é de 89 euros (equivalente a R$ 284,8), sem incluir bebidas. O prato mais caro é o cardápio cujo prato principal é a trufa negra, que custa 178 euros (o equivalente a R$ 569,6). A presidente deixou o restaurante pela porta dos fundos, sem prestar esclarecimentos.

Se cada um dos três – Dilma, Helena e o embaixador Vilalva – comeu o cardápio básico de 89 euros (R$ 284,8) por pessoa, seria possível pagar o maior benefício do Bolsa Família (R$ 70,00) para 12 famílias.

Mas se cada um deles escolheu o cardápio mais caro, no valor de 178 euros, o equivalente a R$ 569,6, pelo menos 24 famílias seriam beneficiadas com o maior valor do programa, que é de R$ 70,00.

Fonte: Site PSDB

Nota à imprensa

“Perplexos, os brasileiros acompanharam hoje a inauguração do moderno porto de Mariel, em Cuba. No centro dos acontecimentos, estava a presidente Dilma Rousseff, já que o dinheiro do financiamento para a construção saiu do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O Brasil tem na infraestrutura uma de suas maiores e unânimes carências. Não consegue resolver problemas básicos de rodovias, de ferrovias e de seus próprios portos. Mesmo assim, passou a destinar recursos para obras no exterior, numa atitude absolutamente incompreensível para milhões e milhões de famílias que vivem na penúria em nosso território. Quantos milhares de pequenos empresários poderiam ter seus empreendimentos alavancados com o dinheiro que está sendo aplicado em Cuba?

Os objetivos do BNDES estão sendo desvirtuados. Passamos a ser guiados agora pelos laços ideológicos que historicamente unem os petistas a uma das derradeiras ditaduras do planeta. Não nos surpreende que haja comunhão de ideário entre uns e outros, mas isso não pode ser custeado pelo dinheiro público que pertence aos brasileiros.

Desde o início, toda essa operação do BNDES está cercada de sigilo de Estado, decretado por ordem do ministro Fernando Pimentel, de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. O que o governo federal está escondendo? Há empresas amigas que estão sendo beneficiadas e a Nação não pode saber?

O PSDB anuncia que convidará o ministro Pimentel para comparecer à Câmara dos Deputados e informar aos brasileiros a natureza desse acordo com o governo cubano. Em particular, queremos saber as razões do sigilo e os detalhes de toda a operação.”

Deputado Federal Marcus Pestana
Presidente do PSDB-MG

Confira “Alguma coisa está errada nessa história! Se você é brasileiro, leia e reflita”

joaovitorArtigo do deputado estadual João Vítor Xavier (PSDB)

O Fantástico acaba de mostrar que a presidente Dilma Rousseff pagou uma diária de R$ 27mil num hotel de Lisboa.

A Presidente do Brasil está viajando da Europa para Cuba. Ela vai inaugurar um porto na ilha comunista. Detalhe: o porto, em Cuba, foi construído com dinheiro do povo brasileiro.

Para quem não sabe, nos últimos anos o Dinheiro do povo brasileiro financiou também estradas na Bolívia e metrô na Venezuela.

Há poucos meses, nossa Presidente perdoou uma dívida de quase 2 BILHÕES de países africanos. Alguns desses países comandados por ditadores que tem apartamentos de luxo avaliados em 80 milhões, no Rio de Janeiro.

Alguém precisa avisar à Presidente Dilma que enquanto financiamos portos, em Cuba, nossos portos estão lotados e sem capacidade de escoar nossa produção.

Enquanto financiamos estradas na Bolívia, a BR 381, a BR 040 e outras estão em péssimo estado e matando nossa gente.

E enquanto o dinheiro dos brasileiros financia o metrô da Venezuela, nossas cidades continuam com trânsito caótico, sem transporte público de qualidade e sem o metrô, que demos aos venezuelanos.

Presidente, também precisamos de tudo isso aqui! Precisamos de portos, estradas, linhas de metrô e muito mais.

Isso é um desrespeito com nosso país e nosso povo.

PSDB critica “gastança desnecessária” de Dilma em Lisboa

O PSDB condenou os gastos da presidente Dilma Rousseff e de sua comitiva em Lisboa, no último fim de semana. Segundo apurou o jornal “O Estado de S. Paulo”, Dilma se hospedou na suíte presidencial do hotel mais caro da cidade, o Ritz, cuja diária custa R$ 26,2 mil, e sua comitiva ocupou mais de 30 quartos em outro estabelecimento luxuoso.

O líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Carlos Sampaio, classificou como “um disparate” a escala de Dilma em Portugal “sem compromissos oficiais”, conforme o Palácio do Planalto. “É uma gastança desnecessária, que não condiz com a situação econômica do nosso país e muito menos com as dificuldades com as quais os brasileiros são obrigados a conviver todos os dias, como inflação alta e serviços públicos precários, problemas que Dilma não consegue resolver”, criticou o deputado em nota.

Sampaio disse que Dilma poderia ter se hospedado na embaixada brasileira em Lisboa. “A presidente Dilma deveria dar exemplo de austeridade e sensatez”, afirmou o deputado. Ele lembrou que, em março do ano passado, a comitiva presidencial gastou R$ 325 mil em hospedagem para acompanhar a posse do papa Francisco.

A presidente deixou a cidade de Davos, na Suíça, onde participou do Fórum Econômico Mundial, e desembarcou em Lisboa no sábado, em agenda mantida em sigilo. No domingo, a comitiva saiu do hotel pela porta dos fundos e seguiu viagem para Havana, em Cuba, onde inaugura nesta segunda-feira (27/1) um porto financiado com dinheiro público brasileiro.

Oportunidade perdida: Dilma falhou em Davos, analisa ITV

itv-logo534

Dilma Rousseff frustrou quem esperava que ela fizesse, em Davos, o que realmente importa para o Brasil e para os brasileiros: emitir sinais críveis e inequívocos que permitam iniciar a recuperação da confiança – lá fora e aqui – no futuro do país. A presidente falhou no exercício do papel que dela se esperava e desperdiçou uma das últimas oportunidades para reverter a onda de descrédito e baixa credibilidade que acompanha seu governo, analisa o Instituto Teotônio Vilela (ITV) na Carta de Formulação e Mobilização Política desta segunda-feira (27/01). Leia íntegra:  Continuar lendo

Marcus Pestana: A invenção do Brasil e seus intérpretes

marcus pestanaArtigo do deputado federal Marcus Pestana, presidente do PSDB-MG, no jornal O Tempo – 27/01/14

Daqui a nove meses escolheremos o presidente da República e a estratégia nacional que guiarão o país nos próximos quatro anos. Só têm direito a reivindicar o futuro aqueles que compreendem criticamente e valorizam a herança da história. Nada é mais raso e equivocado do que as visões do tipo “nunca antes na história deste país”. Pecam por falta de humildade e rigor analítico. A história não começa nem termina com nenhum ator individual isoladamente, por mais importante que tenha sido. Não se quer com isso negar o papel, positivo ou negativo, do indivíduo na história. É evidente que sujeitos singulares como Mandela, Napoleão, Lenin, Hitler, Gandhi, Lincoln, Churchill, Vargas, JK, entre tantos outros, para o bem ou para o mal, catalisaram e sintetizaram as energias e as tendências de determinada época através de sua liderança pessoal. Mas o avanço civilizatório é um processo, o desenvolvimento da sociedade é obra coletiva, geração após geração. Continuar lendo

“No palanque, em Davos”, por Aécio Neves

aecioArtigo do senador Aécio Neves, presidente do PSDB, no jornal Folha de S.Paulo – 27/01/14

Quem acompanhou o discurso do presidente Dilma em Davos achou que não estava entendendo bem. Do ponto de vista político, a presidente tinha dois caminhos corretos para seguir. O primeiro, defender, com coragem, as escolhas que fez e as decisões que tomou nos últimos três anos. Mesmo que não obtivesse a concordância de quem a ouvia, poderia ganhar o respeito pessoal pela coerência e firmeza de suas convicções. O segundo seria o da autocrítica, o de reconhecer, ainda que tardiamente, os inúmeros erros cometidos e assumir o compromisso com a mudança de rumos ainda no pouco tempo que lhe resta de governo. Continuar lendo