Aécio Neves defende autonomia de estados e municípios

Foto George Gianni
Foto George Gianni

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves, convocou hoje as lideranças do partido e aliados a trabalharem em favor do fortalecimento dos estados e municípios. No encontro com prefeitos, vereadores e deputados tucanos em São José do Rio Preto, em São Paulo, Aécio Neves disse que a Federação enfrenta graves deficiências em razão do poder concentrado no governo federal e da perda de autonomia financeira dos estados e prefeituras no atendimento à população.

“O Brasil está deixando de ser uma Federação. A Federação é hoje uma palavra solta em uma folha de papel. O governo do PT está transformando o Brasil em um Estado unitário, colocando estados e municípios dependentes cada vez mais, com pires nas mãos, da bondade do governo”, afirmou.

Em entrevista coletiva antes da palestra que fará, na noite desta sexta-feira (25), no encerramento do VII Congresso de Municípios do Noroeste Paulista, em Olímpia (SP), Aécio alertou que o governo do PT trabalha para que estados e municípios fiquem reféns de financiamentos federais no atendimento das necessidades básicas da população, como saúde, transporte, habitação e saneamento.

O presidente tucano criticou também o uso de critérios políticos e eleitorais pelo governo federal no favorecimento de estados e municípios e em prejuízo da população.

“Atende esse que é companheiro, atende mais ou menos aquele que não é tão companheiro. Precisamos tomar medidas claras e temos uma agenda de medidas necessárias para restabelecer a capacidade dos estados e dos municípios de eles próprios enfrentarem suas necessidades”, disse o presidente nacional do PSDB. Continuar lendo

PSDB quer entregar a Petrobras aos brasileiros, tirando-a das garras de um partido político, diz Aécio

Aécio Neves na chegada em São José do Rio Preto (SP). Foto George Gianni
Senador Aécio Neves na chegada em São José do Rio Preto (SP). Foto George Gianni

O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), ressaltou nesta sexta-feira (25) que o partido tem como projeto a reestatização da Petrobras. Segundo ele, nas últimas gestões federais, a estatal acumulou perda no seu valor de mercado, sendo a empresa “não financeira mais endividada do mundo”. Aécio reiterou os excessos cometidos durante o leilão do campo de Libra, no último dia 21.

“Esta semana nós assistimos o ufanismo do governo, ao comemorar uma grande vitória, em que apareceu apenas um consórcio e que foi vencido sem qualquer ágio, no momento em que a Petrobras, um grande patrimônio dos brasileiros, apresenta uma perda de 34% do seu valor do mercado”, disse o senador.

Em entrevista coletiva, Aécio reiterou que a intenção do PSDB é promover a reestatização da Petrobras. “ Nos vimos neste período do governo de PT, [a Petrobras] triplicar seu endividamento, que era de R$ 47 bilhões e hoje é acima de R$ 150 bilhões”, ressaltou.

Em seguida, o senador lembrou a situação atual da empresa. “É a empresa não financeira mais endividada do mundo. Essa é a gestão temerária do PT. Nós queremos reestatizar a Petrobras e entregá-la de volta aos brasileiros e tirá-la das garras de um partido políticos e de um projeto de poder”, disse.
Aécio está em São José do Rio Preto, para uma série de encontros, onde foi recebido pela prefeita em exercício, Ivani Vaz de Lima (PSDB), e vários líderes políticos da região Noroeste de São Paulo.

Acompanham o presidente nacional do PSDB os líderes do PSDB no Senado, Aloysio Nunes Ferreira (SP), e na Câmara, Carlos Sampaio (SP), os deputados Mendes Thame (SP) e Duarte Lima (SP), entre outros.

Leia, abaixo, principais trechos da entrevista do presidente do PSDB, senador Aécio Neves

Objeto desconhecido Continuar lendo

Ministro da Saúde insiste em negar quebra de acordo em emenda do Mais Médicos, reprovam tucanos

“Estou estarrecido ao ver que, no governo da presidente Dilma, os ministros ou são mentirosos ou são cínicos”. A crítica foi feita no plenário da Câmara nesta sexta-feira (25) pelo deputado César Colnago (PSDB-ES), sobre a quebra de acordo pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, na MP do Mais Médicos. Após o veto da presidente Dilma à emenda do PSDB que estabelecia carreira médica específica, o ministro negou que tenha feito acordo com parlamentares.

O tucano explica que o ministro entrou em contato com o deputado Marcus Pestana (PSDB-MG) para avançar nas negociações. “Fizemos um acordo para se fazer concurso público, depois de três anos, e carreira nacional para os médicos. O ministro, na maior cara de pau, vem dizer que não houve o acordo. Como pode um ministro de Estado, que tem fé pública, mentir dessa forma?”, questionou Colnago.

Em nota divulgada na quinta-feira (24), o líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), afirmou que o ministro tenta desviar o foco da discussão em torno do veto à carreira médica. “A emenda condicionava a permanência no programa à admissão à carreira médica para todos os profissionais, estrangeiros ou não. O ministro prefere restringir a questão aos intercambistas e se eximir do não cumprimento do acordo”, afirmou

Colnago declarou que o PSDB continuará na luta por mais médicos, dentistas, enfermeiros e outros profissionais da saúde no interior do país. “A saúde hoje é uma equipe com 14 categorias. Ela precisa de uma estrutura física no interior, de estrutura tecnológica de exames e espaço para desafogar o número de cirurgias de que precisamos”, explicou o parlamentar.

Médico de família com residência na área, o tucano ressalta que a atenção básica é essencial, mas sozinha não resolverá os problemas da saúde pública. Problemas de alta complexidade precisam de cirurgias, exames e consultas com especialistas, por exemplo. “Isso é superficial, não vai resolver. É uma falácia e está sendo usada apenas como marco eleitoral”, reprovou.

Em discurso, o deputado Izalci (DF) disse que o Congresso e o governo federal estão entrando em uma fase muito difícil. Ele acredita que futuros acordos para votação na Câmara ficam comprometidos pela falta de confiança na equipe de Dilma. “A partir de agora, qualquer negociação dos partidos de oposição terá que ser feita diretamente com a presidente para não desautorizar seus representantes”, completou.

Fonte: Diário Tucano

No plenário da Câmara, no dia 23 de outubro, o deputado Marcus Pestana criticou duramente a presidente Dilma Rousseff por quebrar acordo entre parlamentares e o ministro Alexandre Padilha, ao vetar o dispositivo da Lei do Mais Médicos que condicionava a permanência dos médicos no projeto, após a primeira etapa de três anos, ao ingresso em carreira médica específica através de concurso público. Assista

Banco do Brasil: para líder do PSDB, PT sobe na escala da privatização

carlos sampaio

O líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), afirmou que, ao elevar a participação estrangeira no Banco do Brasil de 20% para 30%, conforme autoriza decreto publicado hoje, o PT subiu ainda mais na escala das privatizações.

“O mesmo PT que, na oposição, tinha um discurso raivoso contra as privatizações e fazia campanhas eleitorais combatendo-as, hoje, no governo, está cada vez mais abraçado a elas”, afirmou.

Sampaio ressalta que, como todas as ações do Banco do Brasil têm direito a voto, isso significa que 30% do controle da instituição estarão nas mãos do capital estrangeiro. O tucano lembra que, no leilão do campo de Libra, na segunda-feira, as empresas estrangeiras ficaram com 60% do consórcio e a Petrobras com os 40% restantes. “Além de privatizar, o PT privatiza para capitais e grupos estrangeiros o que, para os militantes mais históricos do partido, deve ser uma ousadia e tanto”, afirmou. Continuar lendo

Aécio Neves participa da “Conversa com os Mineiros” em Uberlândia

O PSDB e 10 partidos aliados iniciam, na próxima segunda-feira (28/10), em Uberlândia (Triângulo Mineiro), a série de encontros regionais “Conversa com os Mineiros”. O encontro contará com a presença do presidente nacional do PSDB senador Aécio Neves; do governador Antonio Anastasia; do presidente do PSDB-MG, deputado federal Marcus Pestana; além de parlamentares e lideranças políticas regionais de todas as legendas. A “Conversa com os Mineiros” será realizada no Espaço Pyth (Av. Anselmo Alves dos Santos, 1.542 – Tibery), a partir de 11h30.

O PSDB e os partidos aliados (DEM, PPS, PDT, PP, PR, PSB, PTdoB, PV, PTB e Solidariedade) percorrerão várias regiões do estado para ampliar o diálogo com a população mineira.

Por meio da “Conversa com Mineiros”, a sociedade poderá apresentar e discutir novas ideias com o senador Aécio Neves. O objetivo é criar uma nova agenda de futuro para Minas e o Brasil.

IFrame

Outros dois encontros acontecerão ainda este ano em Poços de Caldas (Sul de Minas), no dia 18 de novembro, e em Montes Claros (Norte de Minas), no dia 2 de dezembro.

Diretas

Em Poços de Caldas, o PSDB de Minas Gerais prepara uma homenagem especial para celebrar três décadas da “Declaração de Poços de Caldas”, que marcou o início do movimento pela redemocratização brasileira, as Diretas.

“A cidade tem um significado especial. Estaremos comemorando os 30 anos da assinatura do primeiro documento defendendo as Diretas. Na época, os governadores de São Paulo, Franco Montoro, e de Minas Gerais, Tancredo Neves, assinaram em Poços de Caldas uma nota defendendo uma ação conjunta a favor das eleições diretas no país”, lembrou Marcus Pestana.

ITV: Dilma deveria prestar atenção às avaliações do FMI e da OCDE sobre o Brasil

itv-logo534

Se tem mesmo intenção de aprender alguma coisa, embora a cadeira de presidente da República não seja o lugar mais adequado para isso, Dilma Rousseff deveria dedicar especial atenção às avaliações do FMI e da OCDE sobre o Brasil publicadas nesta semana. A cobrança é do Instituto Teotônio Vilela, órgão de estudos políticos do PSDB. “Equilíbrio e responsabilidade no trato das contas públicas são condição fundamental para que um país avance de maneira sustentável e sem aventuras, mas estamos indo no rumo contrário”, alerta a Carta de Formulação e Mobilização Política desta sexta-feira (25). Confira:

Continuar lendo

Assessor do governo do PT é preso acusado de coagir testemunha

Matéria publicada no jornal O Tempo – 25/10/13

Filho de ex-assessor da Casa Civil é preso no PR

O filho do ex-assessor da Casa Civil e um advogado foram presos ontem, no Paraná, sob a acusação de tentarem coagir testemunhas. Gaievski, que trabalhava como assessor no governo federal, foi preso em agosto sob a suspeita de forçar adolescentes a fazer sexo com ele em troca de dinheiro.

A denúncia do Ministério Público ocorreu quando ele era prefeito da cidade paranaense de Realeza entre 2005 e 2012. O ex-assessor, que foi afastado do governo e desfiliou-se do PT, está preso preventivamente. Ele nega as acusações.

A prisão do filho de Gaievski e do advogado aconteceu depois que uma testemunha disse estar sendo coagida. Segundo ela, o ex-prefeito pagaria R$ 1.000 a cada família para mudar o depoimento das vítimas. A polícia flagrou os dois em um carro com uma das mães de adolescentes a caminho do cartório – segundo a polícia, para alterar o teor do documento.