Governo Federal do PT não reduz tributos e esconde que quem define o custo da energia elétrica é Aneel

Mais uma vez, lideranças da oposição em Minas se contradizem em seus próprios discursos numa tentativa desesperada de esconder a verdade da população. Ao debater os custos da energia elétrica no Estado, a oposição busca fazer palanque político e se esquece que todas as companhias energéticas do país, inclusive a Cemig, estão subordinadas às determinações de um órgão superior: a Aneel do governo federal do PT.

É claro que as políticas de redução de energia, como as isenções fiscais feitas pelo governo de Minas, são muito importantes. Mas quem determina os custos da energia elétrica é a Aneel, ou seja, o governo federal. No entanto, ao invés de adotar medidas de isenção, o governo do PT é o grande responsável pelo peso das contas de luz dos brasileiros, com a cobrança de nada menos do que 11 tributos federais.

Mesmo sabendo que é a Aneel quem define as tarifas e que é o governo federal quem mais cobra impostos nas contas, o PT tenta inverter os fatos propondo a realização de um plebiscito para tratar o tema, conforme foi discutido em audiência pública realizada nesta quinta-feira (24/10) na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

Para o líder do Bloco Transparência e Resultado, deputado Lafayette de Andrada (PSDB), quem pode e deve baixar a conta de energia é a ANEEL. “A Aneel é que determina a tarifa de cada estado e leva em consideração esses tributos todos que estão embutidos, dos quais 11 são tributos federais. A Cemig apenas cumpre. Não só em Minas Gerais, mas em todos os estados quem determina é o governo federal através da Aneel”, explicou.

Minas dá exemplo

O que o PT não quer que a população saiba é que, na verdade, Minas Gerais dá isenção total de ICMS – o único tributo estadual na conta de luz – para quem consome até 90 KW, o que significa que quase metade das famílias mineiras não pagam nenhum imposto ao Estado. Se o governo federal fizesse o mesmo, a conta de luz no país já ficaria, de imediato, 20% mais barata.

Em quantidade, Minas Gerais é o estado que tem mais famílias de baixo consumo com isenção. Enquanto isso, os governos do PT, Bahia e Rio Grande do Sul, não dão nenhuma isenção sequer. Bahia cobra ICMS de 27% e Rio Grande do Sul 25%. Esses valores são muito próximos aos 30% cobrados em Minas Gerais.

Fonte: Minas Transparente

Segurança pública exige investimentos e trabalho integrado, afirma Anastasia

Palavra do Governador

Que a segurança pública tem sido um dos grandes desafios de todo o Brasil nos últimos anos todo mundo já sabe. A questão é complexa e exige atitudes inteligentes e eficazes. E é nesse sentido que o Governo de Minas vem trabalhando. O Palavra do Governador desta semana destaca o trabalho articulado que o sistema de Defesa Social do Estado vem desenvolvendo para diminuir os crimes e os índices de homicídios em Minas Gerais.

Uma das iniciativas recentes é a implantação de sete novos Centros de Prevenção à Criminalidade, que estão sendo instalados pelo Governo de Minas pelo interior do Estado. Hoje, eles já somam 41 espalhados por diversas regiões. Nesses centros estão inseridos projetos como o Programa Fica Vivo!, que faz acompanhamento especializado e oferece oficinas voltadas para o esporte, a arte e a cultura para jovens de 12 a 24 anos em situação de risco social.

“Nós temos realizado, em Minas Gerais, um grande esforço no combate à criminalidade e já apresentamos bons indicadores, mas sabemos que é preciso melhorar a sensação subjetiva de insegurança da nossa população. Para isso, investimos muito na prevenção da criminalidade, com programas, como o Fica Vivo!. São oficinas realizadas especialmente com aquele segmento de jovens mais vulneráveis, que estão em uma faixa de risco maior da população e também através da central de mediação de conflitos, com o trabalho dos egressos do sistema prisional”, destaca Antonio Anastasia.

Esse trabalho precisa ser articulado com outras ações e é isso que o governo mineiro vem fazendo. Nesta semana, por exemplo, o Estado entregou mais de 300 viaturas e centenas de equipamentos para a Polícia Militar. E, de acordo com o governador, os investimentos vão continuar.

“Nós estamos alocando recursos expressivos, cerca de R$ 600 milhões, para a área da segurança pública. São mais de mil viaturas da Polícia Militar adquiridas ao longo desse ano e início do ano que vem. Há também um número expressivo de viaturas da Polícia Civil, equipamentos como computadores, armamento, coletes, ou seja, toda aquela estrutura necessária ao bom funcionamento das polícias. É um pacote de investimentos muito significativo para melhorar o funcionamento do Sistema de Defesa Social”, afirma Anastasia.

O Palavra do Governador pode ser reproduzido por qualquer veículo de imprensa, sem ônus. O programa é disponibilizado todas as quintas-feiras nas modalidades texto, áudio e vídeo (em qualidade HD). O endereço é www.agenciaminas.mg.gov.br

ITV: enquanto Dilma e o PT tentam aprender a governar, o país anda para trás

itv-logo534

O aprendizado de Dilma não é mera figura de retórica. É a prática corrente de um governo que tenta, tenta e não acerta, aponta a Carta de Formulação e Mobilização Política desta quinta-feira (24). “Nas provas de múltipla escolha da escolinha, ela quase sempre opta pela alternativa errada. O aprendizado é sempre nobre, mas acaba virando improvisação quando governantes titubeiam quanto ao que precisam fazer”, diz trecho do documento editado pelo Instituto Teotônio Vilela. Para o ITV, a atual gestão é pródiga nestas idas e vindas. O problema é que, enquanto o PT tenta aprender, o país anda para trás. Leia abaixo a íntegra: Continuar lendo

PSDB Sindical discute nova agenda do mundo do trabalho

Foto Pedro Paiva
Foto Pedro Paiva

Produtividade foi tema principal das palestras durante encontro nacional que reuniu, em Betim (MG), cerca de 800 sindicalistas de 23 estados

Mais de 800 sindicalistas de 23 estados brasileiros participaram em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, do 2º Encontro Nacional do PSDB Sindical, que teve como tema central uma nova agenda do mundo do trabalho. Líderes da Força Sindical, da União Geral dos Trabalhadores (UGT) e da Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST) de todo o país debateram uma nova agenda para o movimento.

Também estiveram presentes no evento o presidente do PSDB de Minas Gerais, deputado federal Marcus Pestana, o presidente do Instituto Teotônio Vilela (ITV-MG), Pimenta da Veiga, e o prefeito de Betim, Carlaile Pedrosa (PSDB), além de parlamentares mineiros.

Na abertura do evento, foi transmitido um vídeo gravado pelo presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG). Ele falou da importância dos movimentos sindicais para os partidos sociais democratas do mundo. “O fortalecimento do núcleo sindical é fundamental para o PSDB. Vamos fortalecer o partido e defender o crescimento da economia e empregos de maior qualidade para os trabalhadores brasileiros”, disse.

Pauta trabalhista

“É importante trazer a classe trabalhadora para a discussão e levar a pauta trabalhista para o PSDB. Os trabalhadores também querem construir projetos políticos”, afirmou Ramalho da Construção, presidente do PSDB Sindical e deputado estadual em Sâo Paulo.

A próxima reunião do PSDB Sindical vai acontecer em Brasília, quando será definida a data de um novo encontro nacional, adiantou Ramalho.

Para Rogério Fernandes, presidente do Núcleo Sindical do PSDB de Minas Gerais, esse segundo encontro nacional foi muito importante na organização dos movimentos sociais dentro do partido. “O PSDB tem história. Ele criou as condições macroeconômicas que deram condições ao Brasil de se tornar um país competitivo e de acabar com a famigerada inflação que corroia o salário dos trabalhadores. E agora a gente aproxima o PSDB cada vez mais dos anseios dos trabalhadores e da pauta trabalhista, que também queremos discutir com toda sociedade brasileira”, disse.

Rogério Fernandes ressaltou que o Brasil precisa gerar emprego de qualidade e lembrou que, entre os jovens de 17 a 24 anos, a taxa de desemprego chega a quase 24%. “Precisamos ver qual o caminho adotar para que possamos estancar a falta de emprego entre os jovens. Temos um problema grave com relação a formação profissional. Nós entendemos que o ensino profissional tem que começar na escola fundamental e não somente no ensino médio”, defendeu.

Importância da produtividade

Além de emprego de qualidade, a produtividade do trabalhador brasileiro foi a principal preocupação dos palestrantes José Marcio Camargo, professor da PUC-RJ, e de Wilson Fava, secretário do Núcleo Sindical de São Paulo.

Abordando o tema “Trabalho no Século XXI”, o professor da PUC-RJ afirmou que o Brasil tem hoje um crescimento medíocre, sem investimentos e sem produtividade.  Para ele, só existe uma fórmula para o país ter um crescimento saudável e de longo prazo: é ter ganho em produtividade. “E ganhos de produtividade dependem fundamentalmente de investimentos em infraestrutura  e, em especial, em educação e treinamento. Porém, o Brasil é hoje o país que tem a maior rotatividade no trabalho do mundo. Aproximadamente 60% dos trabalhadores brasileiros trocam de emprego a cada ano”, informou.

Ele defendeu uma mudança nas leis trabalhistas que seja capaz de juntar os dois atores sociais, empresários e trabalhadores.

Abordando os desafios do sindicalismo, Wilson Fava, afirmou que os trabalhadores precisam começar a lutar para o aumento da produtividade. “Se não aumentar a produtividade não adianta fazer greve porque não vai ter dinheiro para bons salários”, disse.

Wilson Fava defendeu também o investimento na produção e infraestrutura para que haja aumento de produtividade. “A taxa de investimento no Brasil está hoje abaixo de 20%. E qualquer economista sabe que um país, para se desenvolver, precisa ter uma taxa mínima de, no mínimo, 24 ou 25% de investimento anual”, afirmou.

PSDB na web

Além das duas palestras, a jornalista Vanessa Pimenta falou sobre mídias sociais e mostrou as plataformas utilizadas pelo PSDB na web, como o portal, que pode ser acessado no endereço www.psdb.org.br.

Ela apresentou também uma pesquisa indicando que 85% dos internautas acreditam que a internet é o local ideal para a discussão política. “A internet é hoje uma realidade e todos precisam se familiarizar e interagir”, aconselhou.

PSDB Sindical

O Núcleo do PSDB Sindical é o braço sindical do partido e estabelece um canal de interlocução com a população a partir da voz dos trabalhadores. Ele tem como filiados trabalhadores de diferentes centrais sindicais, que trazem as suas aspirações e seus projetos para o centro das decisões da legenda.

O PSDB Sindical está presente, atualmente, em 13 estados. Em Minas Gerais, o núcleo foi criado em agosto de 2011.

Veja galeria de fotos do 2º Encontro Nacional do PSDB Sindical