Canal no rio São Francisco avança apenas 1% em um ano e fica para 2015

As obras de transposição do rio S.Francisco recebem destaque novamente da imprensa. Semana passada, o descaso do governo do PT com a transposição, que prometia solução para a seca no Nordeste e se transformou no maior retrato a céu aberto da má gestão petista, foi mostrado em reportagem especial pelo jornal O Tempo.

Com as obras, já foram gastos R$ 3,5 bilhões a mais que o previsto, mas elas apresentam falhas técnicas, abandono e estão comprometidas pela ação do tempo. Neste sábado (19/10), o jornal Folha de S.Paulo traz a matéria “Canal no rio São Francisco avança apenas 1% em um ano”. De acordo com a reportagem, o primeiro canal da transposição do rio São Francisco, que inicialmente seria inaugurado pelo ex-presidente Lula em 2010, avançou apenas 1% no último ano e não ficará pronto até o fim deste mandato da presidente Dilma Rousseff. Leia matéria 

TRANSP

Cemitério de obras inacabadas

No programa nacional do PSDB, que foi ao ar nas emissoras de rádio e TV no dia 19 de setembro, o senador Aécio Neves, presidente do partido, alertava que o Brasil havia se transformado num cemitério de obras inacabadas. Ele foi até ao município de Mauriti (CE), mostrou o desperdício de dinheiro público com a obra de transposição do rio São Francisco e  conversou com o sr. Francisco, agricultor cearense, que sofre com a seca. “Não há desperdício maior do dinheiro público que começar uma obra, investir recursos nela e não terminá-la, porque aí o benefício não chega”, afirmou Aécio Neves.

Confira o programa do PSDB

Leia reportagem especial “Transposição do descaso”

Governo Federal do PT vai colocar sete pedágios na BR 262 em Minas

Depois da fracassada tentativa de leilão para a duplicação da BR 262, demonstrando a completa falta de planejamento do Governo Dilma na condução das políticas públicas das quais o Brasil tanto necessita, foi publicado nesta sexta-feira (18/10), o edital de concessão da rodovia. Em Minas, estão previstos sete praças de pedágios, com os valores de R$ 4,30 a R$ 7,70, com isso a viagem de Frutal a Betim ficaria em R$ 44, conforme mostra matéria publicada no jornal O Tempo:

o tempo

Foi publicado nesta sexta-feira, o edital de concessão das BR-060/153/262. Segundo o edital, a duplicação terá de ser totalmente bancada pelo concessionário. E o prazo de concessão é de 30 anos. O lote compreende 1.176,5 quilômetros nas BR-060/153/262 passando por Distrito Federal, Goiás e Minas Gerais. No estado de Minas estão previstos sete praças de pedágios, com os valores de R$ 4,30 a R$ 7,70, com isso a viagem de Frutal a Betim ficaria em R$ 44.

Do total 528,7 quilômetros já estão duplicados. Os 647,8 quilômetros restantes deverão ser duplicados inteiramente pelo concessionário nos cinco primeiros anos da concessão, mas o Programa de Exploração da Rodovia (PER) para esses trechos traça um plano de duplicação a ser realizado em quatro anos.

No primeiro ano de obras, está prevista a duplicação de 103,6 quilômetros, correspondente a 16% do total a ser duplicado. Essa primeira fase já possibilitaria ao concessionário começar a cobrar pedágio dos usuários. No segundo ano de obras, 155,5 quilômetros (24% do total) devem ser duplicados; no terceiro ano 220,3 quilômetros (34%); e no quarto ano, 168,4 quilômetros (26%).

Além da duplicação em toda a extensão onde ainda há pistas simples, os programas de exploração dessas rodovias também especificam todas as obras necessárias de vias marginais, interconexões de vários formatos, retornos, passarelas e melhorias de acessos. Todas essas obras também terão de ser concluídas até o quinto ano da concessão.Obras de manutenção de nível do serviço devem começar a partir do quinto ano da concessão e vão até o prazo final, de 30 anos. Assim que houver um aumento no tráfego das rodovias, deverão ser feitas obras de ampliação da capacidade para fluidez do trânsito e conforto dos usuários. Isso significa a construção de uma terceira pista e ampliações nos acessos às estradas e retornos.