Aécio Neves diz que tucanos e aliados estão prontos a apresentar nome para disputar eleições em Minas

A reunião foi realizada na sede do PSDB-MG, em Belo Horizonte. Foto Alessandro Carvalho
A reunião foi realizada na sede do PSDB-MG, em Belo Horizonte. Foto Alessandro Carvalho

O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, e o presidente do diretório estadual, deputado federal Marcus Pestana, reuniram-se, nesta segunda-feira (16/09), em Belo Horizonte, com dirigentes de dez partidos aliados (PPS, DEM, PP, PR, PSB, PDT, PV, PTdoB, PTB e PSD) com o objetivo de discutir estratégias para as próximas eleições. Aécio Neves afirmou que os tucanos e seus aliados estão prontos para apresentar um novo nome para disputar as eleições em Minas.

“Temos sim um projeto para dar continuidade ao governo Anastasia. E vamos fazer isso com absoluta naturalidade. Vejo até dos nossos adversários uma preocupação maior do que nos aliados. Quem tem os quadros que temos, quem tem o conjunto de partidos políticos que temos aqui em Minas, expressado nesta reunião de hoje, pode dar uma largada muito sólida, no momento em que as coisas estiverem maduras”, afirmou o senador.

Aécio Neves afirmou, no entanto, que o PSDB e os partidos aliados não têm pressa para definir o nome do candidato que vai disputar as eleições para o Governo de Minas em 2014.

“Não tenho pressa, e nenhuma das lideranças aqui presentes, e tampouco o governador, têm. Queremos que a decisão e o encaminhamento sejam naturais. E temos várias opções, extremamente competitivas”, disse.

Ética e eficiência do PSDB

O senador destacou que, desde 2003, Minas vivencia um modelo de desenvolvimento baseado na ética e na eficiência. Para o ex-governador de Minas, o PSDB e os partidos que compõem a base do governador Antonio Anastasia têm a responsabilidade de manter esse modelo.

“É nossa responsabilidade dar continuidade a este modelo de governança, que mudou Minas Gerais e que o Brasil respeita e, em muitos lugares, copia. Conseguimos aqui, ao longo dos últimos dez anos, compatibilizar ética, transparência absoluta nas ações públicas, com eficiência. É isso o que o Brasil busca. Ética e eficiência não são incompatíveis. Infelizmente, no plano nacional, não há a simbiose que existe em Minas Gerais em relação a essas duas questões. Temos sim um projeto para dar continuidade ao governo Anastasia e vamos fazer isso com absoluta naturalidade”, disse Aécio Neves.

Participaram da reunião, o vice-governador Alberto Pinto Coelho (PP); os presidentes estaduais do DEM, deputado estadual Gustavo Corrêa; do PSB, deputado federal Júlio Delgado; do PDT, deputado federal Mário Heringer; do PPS, deputada estadual Luzia Ferreira; do PTB, deputado estadual Dilzon Melo; e o presidente do PTdoB, Luis Tibé. Ainda estiveram presentes os dirigentes do DEM, Carlos Melles; do PSD, Alexandre Silveira; do PV, Agostinho Patrus Filho; e do PR, o deputado federal, Lincoln Portela, e José Santana. Também participaram, o presidente da Assembleia Legislativa, Dinis Pinheiro (PSDB) e o presidente do ITV-MG, Pimenta da Veiga.

Em entrevista à revista “Veja”, Antonio Anastasia destaca os legados do Choque de Gestão para Minas

em-entrevista-a-revista-veja-antonio-anastasia-destaca-os-legados-do-choque-de-gestao-para-minas_1

Em entrevista exclusiva publicada nas páginas amarelas da revista Veja desta semana, o governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, comenta temas estratégicos e relevantes para o país. Os resultados do Choque de Gestão, as manifestações populares que eclodiram no Brasil e a questão da criminalidade crescente no país são alguns dos temas abordados pelo governador.

Anastasia é apresentado pela Veja como “o responsável por coordenar a implantação do Choque de Gestão”, um conjunto de medidas destinadas a cortar despesas e otimizar o funcionamento da máquina pública de Minas. Como resultado, Anastasia ressalta que, hoje, os indicadores de Minas são os melhores do país. “Os indicadores de educação de Minas são hoje os melhores do Brasil. Em saúde, estamos em primeiro lugar entre os estados do Sudeste. Melhoramos a infraestrutura física e a diversidade econômica”, destaca.

Anastasia afirma que o maior legado do inovador modelo de gestão que começou a ser implantado em 2003 em Minas é o modelo de governança, o reconhecimento da meritocracia, a adição de uma política de resultados, o incentivo aos bons servidores e às boas práticas. “Este é o nosso maior legado: mostrar como a administração pública pode ser séria, inovadora e eficiente”, enfatiza o governador.

O governador mineiro também destaca que a gestão pública é necessária para a melhora da saúde, educação e da segurança. “Sem uma boa gestão, ainda que tenhamos mais recursos, não é possível fornecer um bom serviço”, comenta, na entrevista à revista. Para oferecer serviços de qualidade, o governador entende que é necessário discutir a dívida dos estados com a União. “O estado paga, paga e a dívida só aumenta. É um problema comum a prefeitos e governantes de todos os partidos. Ninguém tem mais dinheiro para investir”, justifica. Continuar lendo

Abi-Ackel faz balanço positivo das atividades desenvolvidas pela Comissão de Ciência e Tecnologia

Dep.Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG)
Dep.Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG)

O deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG) fez um balanço positivo das atividades desenvolvidas neste ano pela Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática, presidida por ele. Os vários temas debatidos e votados pelo colegiado – como telefonia celular, internet e liberdade de imprensa – têm ampla repercussão no dia a dia da população.

Em relação às telecomunicações, o tucano destacou a má qualidade do serviço e sua pouca abrangência no território nacional. Foram vários debates sobre o tema. O tucano  espera que o colegiado crie uma comissão especial com o objetivo de discutir as “Leis das Antenas”, projeto que unifica a legislação sobre o licenciamento para instalação desses equipamentos. As operadoras se queixam muito da falta de uma legislação federal que possa melhorar esses serviços.
Continuar lendo

PT transforma concessões em osso duro de roer

itv-logo534

Terminou em fracasso a primeira rodada do programa de concessões de rodovias do governo Dilma, fruto de um modelo que não para em pé e desperta irrestrita desconfiança entre os investidores. A iniciativa privada não entra em negócio sem clareza, em que as regras são desconexas. Com o país transformado pelo PT em laboratório, o que era para ser filé acabou revelando-se osso duro de roer. Privatizar é a solução, mas é preciso saber fazer, analisa a Carta de Formulação e Mobilização Política do Instituto Teotônio Vilela (ITV), órgão de estudos ligados ao PSDB, desta segunda-feira (16/09). Continuar lendo

O caleidoscópio brasileiro: confuso e imprevisível, por Marcus Pestana

Artigo do deputado federal Marcus Pestana, presidente do PSDB-MG, publicado no jornal O Tempo – 16/09/13

Um vendaval varreu o Brasil a partir das ruas. O ambiente político se agitou. A população assiste com preocupação aos desdobramentos. Grupos radicalizados tomam a cena com atitudes cheias de vandalismo e violência, espantando a maioria silenciosa que foi às ruas. Paralelamente, nuvens negras se avolumam no horizonte da economia. As grandes transformações sociais são precedidas sempre por períodos de turbulência. Nesses momentos, anos valem décadas, meses valem anos, dias condensam meses.
Continuar lendo

Aécio Neves: Concessões

Artigo do senador Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, publicado no jornal Folha de S.Paulo – 16/09/13

Na última semana, com o fracasso do leilão do primeiro lote de rodovias a serem concedidas à iniciativa privada –o trecho da BR-262 não teve sequer um interessado -, a gestão petista recebeu um duro recado: o mercado gosta de regras claras e desconfia do governo.

Para quem estava prestes a celebrar o sucesso do primeiro dos muitos leilões previstos no setor de transportes, foi uma lição inesperada. A rendição do PT à realidade de uma governança pública mais responsável com os destinos do país requer ainda longo aprendizado.
Continuar lendo