Jornal britânico The Guardian destaca projeto de ressocialização de detentos de Minas

Detentos da Penitenciária Ariosvaldo Campos Pires, em Juiz de Fora, durante produção das peças – Osvaldo Afonso/Imprensa MG

Minas Gerais foi destaque, mais uma vez, em um dos principais jornais da Europa, o britânico The Guardian. Nesta semana, a publicação trouxe uma galeria de 11 fotos que mostram o trabalho desenvolvido pelos detentos da Penitenciária Ariosvaldo Campos Pires, localizada em Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira. As fotografias retratam as peças de tricô e croché feitas pelos presos e que têm sido utilizadas em desfiles de moda e usadas por diversos artistas.

O material produzido tem a chancela da estilista e empresária mineira Raquel Gonçalves, proprietária da marca Doisélles. O projeto só se tornou possível por meio de parceira com o Trabalhando a Cidadania, programa da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), por meio da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi).

Na galeria de fotos, o The Guardian destaca que “Raquel Guimarães treinou 18 presos condenados por crimes que vão de assalto à mão armada ao assassinato, a tricotar com a mais alta qualidade em troca de salário e redução de penas”.  Uma das fotos, por exemplo, mostra a estilista supervisionando o trabalho dos detentos. Em outra, ela ensina um dos presos a projetar malhas.

Projeto também é destaque na Revista Exame

A revista Exame desta semana também destacou o trabalho de moda feito pelos detentos da penitenciária de Juiz de Fora. A publicação enfatiza o início do projeto e da parceria entre Raquel Gonçalves e o Governo de Minas.

Segundo o texto, Raquel fundou a grife de moda Doisélles para fazer peças de croché e tricô, mas teve dificuldade de “encontrar mão de obra qualificada para tal tarefa”. Por meio do programa do Governo de Minas, a estilista começou a treinar os detentos e conseguiu solucionar a questão.

Além de ressaltar que o trabalho dos presos ganhou destaque no The Guardian, a matéria da Exame também enfatiza que o ensaio fotográfico foi feito pela Agência Reuters, tendo sido publicado na íntegra pelo jornal britânico e pela publicação brasileira.

Para acessar a repercussão no jornal The Guardian, clique aquiJá a reportagem da revista Exame está disponível aqui.

Fonte: Agência Minas

Propostas defendidas pelo PSDB contribuirão para reforma política, avalia Marcus Pestana

Marcus Pestana Foto George Gianni PSDB 3Durante audiência pública promovida pelo grupo de trabalho da Câmara que debate a reforma política, o deputado Marcus Pestana (PSDB-MG) defendeu nesta quinta-feira (8) a adoção de ações que vão aperfeiçoar o sistema em vigor no país. O debate contou com a participação de representantes da sociedade civil, como o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Força Sindical. O tucano destacou pontos da proposta aprovada recentemente pela Executiva Nacional do PSDB, que proporcionarão, entre outros aspectos, a redução de custos nas campanhas. “Podemos dar uma contribuição relevante e o apoio para que os trabalhos da comissão tenham consequência”, afirmou.

Representante do PSDB no colegiado, o parlamentar chamou atenção dos representantes dos movimentos para problemas que ele considera relevantes, como questões relativas à Justiça Eleitoral. “Vocês precisam sugerir muitas mudanças no processo, porque a protelação da aplicação da lei muitas vezes tem a ver com o engavetamento de processos e prazos”, avaliou.

Para Pestana, a questão do financiamento é fator importante para ser trabalhado. No entanto, disse que o aspecto central deve focar no mal estar da sociedade com a baixa representatividade política. E ressaltou que o financiamento tem a ver com o sistema eleitoral, que provoca a falta de vínculo e controle social. De acordo com o tucano, 70% das pessoas não sabem o nome dos deputados em quem votaram dois anos após as eleições. “Quem não diz o nome não controla, não acompanha e não fiscaliza. É um sistema maluco e de péssima qualidade”, alertou. Continuar lendo

Presidente Dilma erra informação sobre BR-381

Completamente distante de Minas e das questões do Estado, a presidente passou o constrangimento ao ser desmentida pelo seu próprio governo. Em entrevista concedida à Rádio Itatiaia, em Varginha, ela disse que a duplicação da BR-381 pode começar em dezembro e que o contrato de seis dos 11 lotes da obra estão prontos para serem assinados. “Não sei de onde a presidente tirou isso”, foi o que disse um funcionário do Dnit em reportagem ao jornal O Tempo. Leia mais

A duplicação da BR-381 é uma obra prometida desde a primeira campanha eleitoral do presidente Lula, em 2002, depois na campanha de Dilma, em 2010, mas nada saiu do papel até hoje. A licitação das obras já foi realizada, mas ainda não tem data certa para começar os trabalhos, gerando dúvidas para a população que sofre com os acidentes na estrada conhecida com o a “Rodovia da Morte”. Leia reportagem

Mais uma ‘gafe’ da presidente foi quando ela disse que o trecho de 303 quilômetros da BR-381, entre Belo Horizonte e Governador Valadares, seriam concedidos. ‘Concedido’ é um termo que se usa quando se refere a concessões, mas o governo do PT insiste em dizer que não faz concessão à iniciativa privada.Leia nota.

Recentemente, o mesmo governo federal do PT anunciou a cobrança de pedágios milionários nas BR-262 e 050. Leia mais aqui

Reprodução jornal O Tempo

Reprodução jornal O Tempo

 

Declaração do senador Aécio Neves sobre visita da presidente Dilma Rousseff a Minas Gerais

“A visita da presidente Dilma a Minas ontem revela, mais uma vez, o profundo desinteresse dos governos federais do PT com Minas Gerais, o que merece a renovada indignação de todos nós.

Sem ter nenhuma resposta concreta a dar às justas reivindicações do nosso estado, a presidente chegou a improvisar anúncios e acabou passando pelo constrangimento de ser desmentida pelo seu próprio governo.

A presidente volta a Minas para anunciar de novo as mesmas promessas, inaugurar um campus universitário que já funciona desde o ano passado, e tentar transferir para terceiros responsabilidades que são exclusivamente do seu governo.

São passados onze anos de governo do PT e a verdade é que, enquanto outros estados, durante todos esses anos, receberam centenas de milhões do governo federal para seus metrôs, o de BH ainda não saiu do papel. A duplicação da BR-381, tantas vezes anunciada, se transformou subitamente em uma obra muito menor que a prometida.

É também curiosa a obsessão da presidente Dilma com o ex-presidente Fernando Henrique. Por que o ex-presidente incomoda tanto a presidente?

Reitero que é um desrespeito à inteligência da população o tipo de comparação que a presidente insiste em fazer entre as gestões do PSDB e do PT. Não se pode comparar conjunturas diferentes como se fossem iguais. Se a presidente quer comparar, ofereço alguns parâmetros.

Nos dois anos do seu governo, o Brasil cresceu cerca de um terço da média do que cresceram os outros países da América do Sul.

No governo FHC, quando foram recorrentes as crises mundiais, crescemos quase o dobro da média do continente – a 2,3%, enquanto o restante do continente cresceu 1,3%.

A presidente será sempre bem-vinda a Minas. Mas esperamos que da próxima vez ela dê demonstrações de respeito não apenas ao ET de Varginha, mas a todos os mineiros.”

Pesquisa Sensus em MG: Aécio lidera com 45% e Dilma fica em segundo, com 25%

Publicado em 08 de agosto de 2013 por psdbminas

Pesquisa feita pelo Instituto Sensus, divulgada nesta quinta-feira (8), posiciona o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), como favorito na disputa para a Presidência da República, em 2014, em Minas Gerais.

O tucano lidera o ranking de intenções de voto, atingindo o percentual de 45%, contra 25% da presidente Dilma Rousseff e 13% da ex-senadora, Marina Silva. As informações são da coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo.

Em abril deste ano, pesquisa do mesmo instituto apontava a petista com 39,9% dos votos no estado. O levantamento mostra ainda que, em um eventual segundo turno entre Aécio e Dilma, a vitória seria do tucano: 52% a 28%.

Quando restrita a Belo Horizonte, terra natal da petista, a aprovação de Aécio Neves sobe para 46,8%. Já Marina Silva e Dilma Rousseff aparecem tecnicamente empatadas em segundo lugar, com 16% e 15,2%, respectivamente.

Para o deputado federal Sérgio Guerra (PSDB-PE), o avanço do senador tucano nas pesquisas tem se mostrado continuado e lógico: “A consistência nas intenções de voto de Aécio Neves prova que ele já se coloca como alternativa para a presidente da República em situação favorecida.”

Para Sérgio Guerra, “fica claro um forte declínio da candidata oficial e um crescimento gradual do candidato do PSDB, principalmente em sua base regional, mas também no eleitorado geral do Brasil”.

Manifestações – O parlamentar avalia que as manifestações populares iniciadas no mês de junho tiveram grande impacto na avaliação negativa da petista Dilma Rousseff, que não soube responder satisfatoriamente às demandas.

“Esses resultados se reproduzem em São Paulo, em Belo Horizonte e nas grandes cidades, que foram palco de grandes manifestações sociais dos últimos meses. Nessas áreas, Aécio cresceu”, ressalta.

E completa: “Ao mesmo tempo em que ele tem tendência de crescimento, a presidente sofre uma queda que já não é esporádica, o que começa a caracterizar uma tendência negativa”.

Fonte: Portal PSDB

Pesquisa Sensus: Avaliação de Dilma cai drasticamente em São Paulo, Rio e Minas

Dilma foto ABrO peso das reivindicações do povo não atendidas pelo governo federal tem trazido impactos negativos na avaliação da presidente Dilma Rousseff. Pesquisa do Instituto Sensus realizada em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, divulgada nesta quinta-feira (8), mostra que as manifestações do mês de junho fizeram um estrago na popularidade da petista. As informações são da coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo.

Em São Paulo, Dilma obteve apenas 29% de avaliações positivas, 38% de regulares e 31% de negativas. A petista ficou atrás do governador tucano Geraldo Alckmin, com 37% das avaliações positivas. A presidente só não foi pior avaliada que o atual prefeito da cidade, o petista Fernando Haddad. Ele obteve 17% de nota positiva, contra 30% de regular e 45% de negativa.

No Rio, Dilma aparece com 23% positivo, 41% regular e 33% negativo. Já em Minas Gerais, a avaliação positiva foi de 38%, também atrás de Antonio Anastasia (PSDB), com aprovação de 40%. Continuar lendo

Leia artigo “Salto alto”, por Danilo de Castro

Artigo do secretário de Governo de Minas Gerais, Danilo de Castro

DivulgaçãoA imagem do decênio petista caiu por terra com a recente publicação do Atlas do Desenvolvimento Humano Brasil 2013, iniciativa do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (IPEA) e a Fundação João Pinheiro (FJP). O PT envaidece-se ao propagar, erroneamente, que foi o partido das transformações sociais.

O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDMH) do país entre 1991 e 2010 apresentado à sociedade brasileira em julho mostra a verdadeira realidade dos fatos. Como bem situa o senador Aécio Neves em seu artigo desta semana para a coluna do jornal Folha de S.Paulo, a pesquisa mostra que o IDMH na década do Plano Real e da estabilização da economia de FHC registrou um aumento de 24%, maior que no período do governo que o sucedeu, o de Lula, que aumentou 19%.

A mudança de paradigma das políticas sociais de nosso país se deu, efetivamente, com as medidas para conter a hiperinflação e com os programas de transferência de renda postas em prática nos anos 90. Entre elas trago à memória o Projeto Alvorada, que integrou ações governamentais nas áreas de educação, saúde, saneamento, emprego e renda com o foco regionalizado nos municípios com IDH abaixo de 0,50 e que empenhou recursos para a erradicação da exclusão social.

Entre os indicadores de desenvolvimento humano os que mais contribuíram para a evolução positiva da classificação de nosso país foram o de longevidade e de educação. Sabendo que a educação é crucial para o desenvolvimento, Minas tem contribuído para esse feliz encadeamento na área de acesso ao conhecimento. Prova disso são os dados divulgados em 2011 do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que mostram as escolas estaduais mineiras entre as melhores do Brasil.

Hoje, nós brasileiros comemoramos o alto salto no desenvolvimento humano e a diminuição da desigualdade em diversas regiões brasileiras, uma transformação iniciada pelo sociólogo Fernando Henrique.