Governo Anastasia lança rede de 10 gigabytes para compartilhamento de dados

o-governador-em-exercicio-alberto-pinto-coelho-assinou-acordo-de-cooperacao-tecnica

O governador em exercício Alberto Pinto Coelho participou nesta sexta-feira (14), no Palácio Tiradentes, de cerimônia de lançamento das Redes Comunitárias de Educação e Pesquisa (Redecomep), sistema de transmissão de dados entre centros de pesquisa e instituições de ensino, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Com a entrada em operação da Redecomep, Minas Gerais terá a principal estrutura de rede do país, sendo o único com a velocidade de transmissão de dados de 10 gigabytes. O modelo foi desenvolvido no Estado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, e tem a coordenação técnica da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Na ocasião, o Governo de Minas e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) assinaram acordo de cooperação técnica, com intuito de desenvolver o projeto MG TI 2022, versão mineira do programa TI Maior do governo federal. O objetivo é que Minas seja líder no setor e Belo Horizonte a capital do TI.

Alberto Pinto Coelho, em entrevista, destacou o esforço do Governo de Minas, em parceria com o MCTI, para desenvolver um robusto sistema de tecnologia da informação. “Esses programas aqui anunciados representam o esforço do Brasil e de Minas Gerais para que a gente possa ter uma nação mais desenvolvida no futuro. Minas Gerais reúne excelência acadêmica. Temos uma mão de obra qualificada, centros tecnológicos, além de uma infraestrutura vigorosa. Com isso, estamos caminhando para diversificar a economia, fazer o valor agregado e oferecer oportunidades de empregos de qualidade para a nossa gente”, disse o governador de Minas em exercício.

Redecomep

Em Minas Gerais, a Redecomep irá interligar 14 instituições (Cefet, Cetec, Fapemig, Fiocruz, FJP, Funarte, IFMG, IGA, Prodemge, POP-MG RNP, PUC Minas, Sectes, Uemg, UFMG) em 23 endereços, por meio de 185 quilômetros de cabo, com a velocidade máxima de 10 gigabytes. Nos estados em que já existem a Redecomep, a velocidade máxima é de 1 giga.

O Governo de Minas já investiu cerca de R$ 1,3 milhão nesta primeira fase, enquanto o governo federal destinou aproximadamente R$ 2,2 milhões para implantar o projeto no Estado. A partir de um ano de implantação da Rede, a gestão da operação, seu custeio e sustentabilidade serão mantidos pelas instituições conveniadas.

O secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues, salientou que o engajamento do Governo de Minas no projeto foi fundamental para multiplicar a potência na transmissão de dados. “Essa iniciativa colocará Minas Gerais na vanguarda do desenvolvimento tecnológico, com um sistema robusto de intercomunicação em rede das instituições ligadas à sociedade do conhecimento, pesquisa e ensino superior”, afirmou.

Minas líder em TI

O MG TI 2022 é a versão mineira do TI Maior, programa do MCTI lançado em agosto deste ano, com o objetivo de ampliar o número de empresas de software e ofertar cursos para trabalhadores do setor. O Programa MG TI 2022 é a proposta do Governo de Minas para auxiliar o esforço nacional de consolidar o Brasil como grande plataforma na área de TI.

Por intermédio deste programa, o Governo de Minas assume o desafio de chegar em 2022 (ano em que o Brasil completará 200 anos de Independência) como o Estado líder, e Belo Horizonte a capital nacional da TI.

Estão previstos investimentos de cerca de R$ 195 milhões para o desenvolvimento do plano de trabalho mineiro. Desse total, R$ 100 milhões serão destinados para a criação do Polo Empresarial de TI e outros R$ 74 milhões para a capacitação de 50 mil profissionais e apoio às empresas. O setor em Belo Horizonte, principal polo de TI de Minas Gerais, fatura cerca de R$ 2 bilhões, emprega 20 mil profissionais e gera cerca de R$ 51 milhões de ISS. Em 2022, a meta é alcançar faturamento de R$ 9 bilhões, empregar 72 mil pessoas e gerar R$ 190 milhões em impostos (ISS).

O secretário de Políticas de Informática do MCTI, Virgílio Almeida, ressaltou que Minas Gerais tem todas as condições de ser um pilar do desenvolvimento tecnológico do país. “Temos aqui universidades de renome internacional, como a UFMG, várias empresas de ponta no setor, como, por exemplo, a Google, que aqui se localiza, além de um conjunto de empresas estatais muito fortes também. Então, essa possibilidade de colocar empresas do Estado, empresas internacionais, universidades e o próprio governo estadual em um grande programa para fazer o Estado ser um dos pilares deste desenvolvimento tecnológico, isso é muito importante para o programa TI Maior”, afirmou Virgílio Almeida.

Também participaram da cerimônia o presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara, deputado federal Eduardo Azeredo; o secretário-executivo do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, Luiz Elias; o diretor-geral da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), Nelson Simões; o secretário-adjunto de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Evaldo Vilela, e o reitor da UFMG, Clélio Campolina.

Fonte: Agência Minas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s