Absurdo: Denúncias de irregularidades evidentes não quebram convênio com Instituto Cidade

Verbas do programa Pintando a Cidadania, do Ministério do Esporte, do Governo Federal do PT, repassadas à ONG Instituto Cidade, localizada em Juiz de Fora (MG), simplesmente desapareceram. Os recursos, que chegam a R$ 2, 4 milhões, seriam para a produção de material esportivo. A Polícia Federal (PF) investiga o caso.

No início de novembro de 2011, o deputado João Leite (PSDB), Bloco Transparência e Resultado da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), entrou com representação no Ministério Público Federal (MPF) pedindo a instauração de inquérito contra o Instituto Cidade. O deputado apresentou documentos que revelam a ligação de representantes da ONG com o PCdoB . O partido comanda o Ministério do Esporte desde 2003.

O caso ainda não foi resolvido. Segundo declaração do delegado federal, Ronaldo Guilherme Campos, publicada no site UOL (24/02/12) será preciso “mais quatro ou cinco meses” para concluir as investigações. O delegado aguarda a quebra do sigilo bancário dos envolvidos, mas adianta que “é possível afirmar a existência de forte indício de que algo de irregular aconteceu”.

Entre os principais envolvidos o site cita José Augusto da Silva, presidente da ONG e ex-cabo eleitoral de Wadson Ribeiro (PCdoB). Wadson atualmente é suplente do partido na Câmara dos Deputados. Ele foi braço direito do ex-ministro Orlando Silva, que deixou o ministério, da gestão do Governo do PT, após denúncias de corrupção.

O caso

Cumprindo mandado da Justiça, a Polícia Federal apreendeu computadores e documentos na sede da ONG, e em mais três endereços em Juiz de Fora, entre eles na casa do presidente da entidade, José Augusto da Silva. A ação aconteceu em novembro de 2011.

No mesmo mês, o Ministério do Esporte solicitou que José Augusto apresentasse extrato da movimentação bancária do convênio. Ele alegou que não poderia atender o pedido devido a apreensão dos documentos pela Polícia Federal.

Passado dois meses de investigações, um relatório interno do Ministério do Esporte (já encaminhado à Polícia Federal) traz denúncias de que vales-transportes foram pagos a integrantes do PCdoB que atuam no escritório regional do partido, mas eles não tem nenhum vínculo com o convênio Pintando Cidadania.

No mesmo relatório, a coordenadora da cooperativa, Sandra Rodrigues Costa – contratada para produzir o material esportivo previsto no convênio – narra ao Ministério do Esporte que o presidente do Instituto Cidade convocou reunião para comunicar os coordenadores do projeto que as atividades seriam interrompidas por falta de verbas em dezembro de 2011. O site ainda afirma que Sandra questiona o presidente da ONG sobre o paradeiro dos R$ 2,9 milhões de reais destinados ao projeto e tem como resposta: “Eu assumo que desviei os recursos do convênio do Ministério do Esporte para outros projetos do Instituto Cidade”.

Fica a pergunta: quais seriam esses projetos? Onde foi parar a verba pública? A falta de resposta, mostra o descontrole do Governo Federal do PT com o uso do dinheiro público.

Fonte: Minas Transparente

Leia Mais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s