Do deputado federal Marcus Pestana, presidente do PSDB-MG:

“Conversei agora com o senador Aécio Neves que se mostrou perplexo com a declaração feita pelo deputado Protógenes. Em sessão conjunta do Congresso Nacional realizada na última quarta-feira, o senador e o deputado trocaram cumprimentos meramente formais na presença de diversos parlamentares. É falsa a afirmação de que o senador teria marcado reunião com o deputado para janeiro. O senador considera a iniciativa da CPI oportunista e demagógica, já que o PT há nove anos no poder e sem apresentar denúncia sobre as privatizações é a principal testemunha da lisura do governo Fernando Henrique Cardoso. O senador lamenta ainda que assuntos dessa seriedade possam ser alimentados por boatos e versões que não guardam qualquer relação com a realidade.”

Aécio Neves afirma que 2011 foi um ano de pouquíssimas realizações do governo federal

Senador critica ausência de reformas estruturantes que o Brasil necessita

O senador Aécio Neves (PSDB/MG) considerou 2011 um ano de pouquíssimas realizações por parte do governo federal. A declaração foi dada em entrevista, na manhã desta sexta-feira (23/11), após encontro com o governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, no Palácio das Mangabeiras, em Belo Horizonte. Para o senador, o Brasil continua avançando em razão de realizações de governos passados, mas sem promover nenhuma reforma que enfrente as grandes questões do País.

“Foi um ano em que o Brasil continua avançando, fruto de construções feitas ao longo de muitos anos. Mas, do ponto de vista de governo, um ano em que poderíamos ter avançado muito mais no plano federal. Infelizmente, o ano se encerra sem nenhuma reforma estruturante, sem nenhuma iniciativa que efetivamente possibilitasse ao Brasil enfrentar a questão tributária, enfrentar a questão previdenciária, enfrentar a própria reforma do Estado brasileiro. Acho que, do ponto de vista do governo, foi um ano de pouquíssimas realizações”, afirmou o senador.

Ainda segundo Aécio Neves, o governo federal perdeu o foco em meio às denúncias de corrupção, o que reduziu espaço para discutir os grandes temas.

“O primeiro ano de um governo é o ano de quem vence as eleições. A expectativa se dá em torno daqueles que são cobrados pelas promessas que apresentaram durante a campanha. E aí eu acho que o governo do PT falhou. Inúmeras propostas em torno das grandes reformas não vieram. O governo passou o ano apenas reagindo às inúmeras denúncias de corrupção, de malfeitos, para usar um termo que a presidente gosta muito. E acabou o governo perdendo foco. Não tivemos espaço para discutir os grandes temas”, disse.

Continuar lendo

Proposta de Azeredo homenageia Dalton Canabrava, político mineiro morto em 2011

O deputado Eduardo Azeredo (MG) apresentou projeto de lei que denomina “Rodovia Dalton Canabrava” o trecho da BR-259 que liga os municípios de Inimutaba e Serro, em Minas Gerais. Como recorda Azeredo, Canabrava, morto em 2011, foi um político expressivo de Minas Gerais, “liderança expoente na luta pela redemocratização do país”.

Ele nasceu em 1924 em Curvelo. Médico e fazendeiro, ingressou na carreira política como vereador da cidade natal nos períodos de 1954-1958 e 1959-1963, assumindo a Presidência da Câmara Municipal. Foi deputado federal constituinte de 1987 a 1991, ocasião em que pôde contribuir fortemente para a elaboração da Constituição de 1988.

“A homenagem, mais que justa, trata-se de uma reivindicação da própria comunidade, cuja região foi engrandecida pela marcante atuação ao longo de sua carreira política. O trecho cuja denominação se pretende alterar une Serro a Inimutaba, município vizinho a Curvelo, cidade onde Canabrava nasceu”, afirma Azeredo.

Dilma termina primeiro ano de governo com desempenho medíocre, avalia ITV

Por meio de sua carta de conjuntura política, o Instituto Teotônio Vilela (ITV) afirma que a presidente Dilma termina o primeiro ano de governo com “desempenho medíocre”. O documento destaca as denúncias de corrupção que tomaram conta da Esplanada. “Nunca antes na história se viu tantas autoridades metidas em escândalos.” Segundo o ITV, na economia, o Brasil está no fundo do poço. “Resta torcer para que 2012 seja um ano em que os erros de agora não continuem a se repetir e em que as oportunidades para construir um país melhor não sejam desperdiçadas”, avalia.  

Continuar lendo